06/01/2015 às 01h05min - Atualizada em 06/01/2015 às 01h05min

Conhecendo Havana

por Maíra Nardo // Diários de Férias

Com as notícias sobre a retomada de suas relações diplomáticas com os Estados Unidas estampadas em todos os principais jornais, Cuba voltou a atrair a atenção do mundo.

Seja pelo regime socialista vigente, seja pelos os embargos econômicos sofridos pela ilha, o país ainda conserva muitas das características arquitetônicas dos anos 50, quando era frequentado por diversos estrangeiros, como um famoso balneário de férias. 

Havana, a capital, pode ser facilmente visitada por conta própria. Em termos de turismo, os principais bairros que merecem destaque são Centro, Prado, Habana Vieja e Vedado. É fácil e barato deslocar-se entre eles de Coco Taxi, uma moto com uma espécie de orelhão atrás, com dois lugares para sentar.

Os bairros Centro e Prado ficam ao lado um do outro e é conveniente conhece-los no mesmo dia. Uma volta pelo Centro traz a sensação de ter sido jogado em um cenário de filme dos anos 50. Vale a pena dar uma volta por suas ruas observando a vida dos moradores.


Centro de Havana visto do Coco Taxi.

 

Do bairro, é possível pegar o Malecon, a avenida a beira mar que cruza boa parte da cidade. É muito interessante andar por ela.

 

Já no Prado, destaca-se a Praça José Martí e o Hotel Inglaterra, inaugurado em 1875 e onde se encontravam diversos cubanos que defendiam a independência de Cuba da Espanha. Ao lado do hotel, está o lindo prédio do Gran Teatro de La Habana. Não deixe de checar se durante a sua estadia haverá apresentações do famoso (e ótimo) Ballet Nacional.


Grand Teatro de La Habana

 

Na outra esquina do teatro está o Capitólio, imitação do Capitólio de Washington D.C., que foi sede do governo até 1959. É aberto à visitação e é possível conhecer a antiga câmara dos deputados e a biblioteca.


Capitólio

 

Atrás do Capitólio fica a Fábrica de Charutos Patargás, a maior e mais famosa do país. É possível fazer uma visita guiada pela fábrica e ver a produção de charutos. A marca Cohiba é vendida a ótimos preços na loja do local.

 

Ainda no Prado está o Museo de La Revolucion, instalado no antigo palácio presidencial do ditador Fulgencio Baptista. Foram conservadas algumas salas do palácio, mas o foco do museu é a coleção de fotos, objetos e documentos da Revolução, desde a guerrilha até 1990.

 

Outro bairro delicioso para conhecer é Havana Vieja. Ali está o famoso bar e restaurante La Bodeguita del Medio. Não deixe de experimentar seu tradicional mojito. No local, há uma frase de Ernest Hemingway que diz: “meu daiquiri no Floridita e meu mojito na Bodeguita”.

 

A Bodeguita é vizinha da Plaza de La Catedral, que, além da própria Catedral de San Cristóbal, abriga outros edifícios com arquitetura colonial.


A Catedral

 

O tempo para conhecer Havana Vieja vai depender da vontade de cada um de entrar nos muitos edifícios do bairro, a maioria com algum tipo de museu. As principais ruas, com as casas mais restauradas, são a Calle Obispo e a Calle de los Oficios. Na Calle Obispo fica a Farmácia Taquechel, com prateleiras e vidros antigos. Vende alguns cosméticos e produtos naturais criados em Cuba.

 

Por fim, outro bairro mais moderno e interessante para visitação é Vedado. Ali fica o Hotel Nacional, o mais famoso de Cuba. Construído em 1930, chegou a hospedar figuras internacionais como Winston Churchill, Fred Astaire e Walt Disney. É possível entrar para conhecê-lo. Nos jardins há uma bela vista do Malecon.

 

Outro hotel famoso da cidade é o TRYP Habana Libre (atual Meliá), que tem um conhecido painel de ladrilhos da artista cubana Pelaéz (La Fruta Cubana). Aberto em 1958, foi confiscado dos americanos após a revolução, para ser quartel-general de Fidel Castro.

 

Ainda em Vedado está a Plaza de La Revolucion, onde ficam os famosos ministérios com os rostos de Che e Fidel. O Ministério do Interior foi escolhido para ostentar a escultura com o rosto de Che, pois era nesse prédio que Ernesto Guevara mantinha seu escritório. 


Plaza de La Revolucion

 

Em frente aos ministérios fica o Memorial José Martí, uma torre de 109 metros de altura, que representa uma estrela de cinco pontas. Dentro do memorial, há documentos e fotos desse herói nacional. Ainda, é possível pegar o elevador até o topo da torre, de onde se tem uma vista panorâmica da cidade.

 

Um pouco fora do circuito turístico, fica a Fortaleza de La Cabaña, uma antiga fortaleza colonial, onde, todos os dias, às 21h, ocorre o cañonazo: vários tiros de canhões disparados por soldados das forças armadas, vestidos com trajes do século XVIII. A cerimônia lembra o período colonial, quando, ao final de cada dia, eram disparados tiros de canhão para informar aos cidadãos que os portões da cidade seriam fechados.

 

Outra opção (bastante turística) para a noite são os shows do Buena Vista Social Club. São vendidos em quase todos os hotéis e ocorrem em restaurantes, com antigos músicos cubanos que tocavam no famoso clube.

 

Ainda para a noite, e também vendido nos hotéis, é o show no Tropicana, famoso cabaré da década de 1940, onde até Carmem Miranda já se apresentou.

 

Para finalizar as atrações, outro programa noturno mais tranquilo é o Floridita, lugar que inventou o Daiquiri e que era muito frequentado por Ernest Hemingway. Além dos ótimos drinks, há músicos tocando a noite toda.

 

Cuba recebe muito bem seus visitantes e é um destino inesquecível. Que tal conhecer antes que vire apenas mais um balneário de férias dos tempos modernos?

 

O roteiro completo e outras indicações podem ser encontrados no site www.diariosdeferias.wordpress.com. Instagram: @diariosdeferias.

 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »