27/01/2015 às 00h55min - Atualizada em 27/01/2015 às 00h55min

A surpreendente região do Jalapão

por Maíra Nardo / Diários de Férias

O Jalapão é uma região do Tocantins, perto da divisa com a Bahia e o Maranhão, a cerca de 150 km de Palmas, capital do Estado. É popularmente conhecida como Deserto do Jalapão, mas de deserto só tem baixíssima densidade populacional, porque o lugar é repleto de rios, que formam a maioria das atrações turísticas.

A estrutura de turismo ainda pouco desenvolvida da região talvez tenha ajudado a manter suas características originais. Há muito o que se visitar por lá, ficando aqui a sugestão das principais atrações.

Um dos pontos altos de uma viagem à região é a Cachoeira da Fumaça. Tão alta e forte que a força da água chega a formar uma névoa, dando o nome de fumaça à cachoeira. É possível atravessar o rio por trás da parede de água formada pela queda, uma experiência inesquecível, para sair de energia renovada!


Cachoeira da Fumaça


Por trás do da queda da Cachoeira da Fumaça

 

Já a Cachoeira da Velha é a maior do Jalapão e fica emoldurada pelos campos planos. Um volume enorme de água, só para apreciar de fora. Deixe para se banhar na Prainha do Rio Novo, de areias brancas e águas frescas. Uma trilha de aproximadamente um quilometro dá acesso ao local.


Cachoeira da Velha


Prainha do Rio Novo

A última cachoeira que merece destaque é a Cachoeira da Formiga. Embora seja pequena, suas águas são cristalinas. Além disso, no local forma-se uma piscina natural bem rasa e totalmente transparente. Para a família inteira aproveitar tranquilamente.


Cachoeira da Formiga

 

Mas nem só de cachoeiras vive o Jalapão. A região é rica em fervedouros, lençóis freáticos que acham um caminho até a superfície pelo terreno arenoso, formando pequenas lagoas. O principal e maior/mais forte deles fica na estrada para a Comunidade Mumbuca.


Fervedouro

Dentro do fervedouro, a experiência é surpreendente. As bordas são rasas, mas mais para o meio do círculo há um buraco, que, embora muito fundo, não deixa o corpo afundar. A força do lençol freático em direção à superfície faz tudo boiar. Uma boa forma de experimentar a sensação do Mar Morto, no Brasil e sem sal.

Outro ponto imperdível na região, as dunas podem ser visitadas em qualquer horário do dia, mas é no pôr-do-sol que todos os passeios param por lá, devido ao surpreendente tom alaranjado que reveste a areia.


Dunas

 

Por fim, a Comunidade Mumbuca é formada por descendentes de quilombolas e foi ali que teve início o artesanato de capim dourado, hoje em dia famoso em todo o Brasil. Na comunidade há uma loja, com muitas coisas do material. Para quem gosta de ecoturismo, está aí um ótimo destino … Boa viagem!

O roteiro completo e outras indicações podem ser encontrados no site www.diariosdeferias.wordpress.com. Instagram: @diariosdeferias.

 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »