22/09/2014 às 23h42min - Atualizada em 15/09/2014 às 23h42min

Dubai: uma cidade moderna sem perder a essência árabe

@diariosdeferias
Diário de Férias

Maíra Nardo

A região de Dubai sempre foi uma importante área comercial, mas até o início da década de 1940, a maioria das residências era em forma de tendas beduínas. Em 1950, a cidade começou a ter mais construções, década em que também recebeu energia elétrica. Foi somente após a descoberta do petróleo, em 1966, que a cidade viu sua população crescer mais de 300%.

A evolução relativamente tardia foi substituída pelo desenvolvimento rápido. Hoje, Dubai é uma cidade de superlativos, moderna e globalizada, embora a população ainda conserve hábitos tradicionais muçulmanos. As mulheres, por exemplo, devem observar o hijab (no islã, vestuário que permite privacidade).

O turismo na cidade vem crescendo rapidamente, principalmente por seu aeroporto ter se consolidado como um importante hub para voos que levam a diversos países do Oriente Médio e da Ásia. É uma ótima opção para casar com alguma viagem para essas partes do mundo. Mas o que fazer na cidade?

O Burj Khalifa é o prédio mais alto do mundo, com 828 metros e um deck de observação no topo. A altura é tão grande que faz a cidade lá embaixo parecer uma maquete.

Vizinho, está o gigantesco Dubai Mall. Para dar uma ideia do tamanho do shopping, há lojas de departamento inteiras lá dentro, incluindo uma Galeria Lafayette e uma Bloomingdales. São lojas de várias nacionalidades, de fast fashion a alta costura, além de várias filiais de restaurantes famosos ao redor do mundo, como Magnolia Bakery, Entrecote Paris, Cheescake Factory, Petrossian, etc. Conta ainda com uma pista de patinação no gelo e com o Dubai Aquaruim, que pode ser visto de fora ou pelo túnel de vidro que passa embaixo da água. Para ir mais fundo, é possível mergulhar no próprio aquário, com ou sem cilindro.

À noite, no grande lago artificial que fica ao lado do shopping, acontece um show de águas ao estilo do Bellagio, de Las Vegas, bonito de se ver.

Outro shopping de grandes proporções na cidade é o Mall of the Emirates. Embora não tenha tantas lojas e restaurantes interessantes como o Dubai Mall, tem como atração uma pista de ski indoor.  

Não só de prédios modernos vive Dubai. Foi construída na cidade uma ilha artificial no formato de uma palmeira, a chamada The Palms. A maioria de suas atrações turísticas fica por conta das atividades aquáticas do hotel Atlantis. É possível nadar com golfinhos e focas, mergulhar, visitar o parque aquático, entre outras.

Já na região de Al Fahidi District foram preservadas diversas casas de arquitetura árabe, com seus pátios internos e suas torres de vento. Ali, fica também o Dubai Museum, construído em um antigo forte.

Da região de Al Fahidi, é possível pegar um abra ou down (barcos tradicionais árabes) para atravessar a Dubai Creek. Do outro lado está a região de Deira, onde ficam os famosos Mercado de Especiarias e Mercado do Ouro.

Caso o visitante não queira se aventurar sozinho, o Sheikh Mohammed Centre for Cultural Understanding oferece diversos passeios guiados pelos distritos históricos e mercados da cidade. Alguns tours incluem, também, refeições culturais, onde são servidas comidas árabes e expostos diversos aspectos da cultura e da religião.

Para conhecer o Burj Al Arab, hotel em forma de vela de barco que virou o símbolo da cidade, a única forma é hospedar-se ou reservar um almoço/jantar em um de seus restaurantes. O mais conhecido é o Al Mahara, que simula uma refeição embaixo do oceano. Para chegar até ele, pega-se um elevador que imita um submarino, como se estivesse descendo ao fundo do mar. Já no salão, o aquário do chão ao teto garante a continuidade da experiência.

Outro hotel que merece visita é o Complexo Madinat. Os prédios, construídos em arquitetura típica árabe, são interligados por um enorme lago artificial. Para se locomover, há barcos típicos que fazem o transporte pela água. Além de muitos restaurantes, o lugar conta com uma imitação de mercado árabe. Vale a pena programar um almoço por lá.

Fora da cidade, o Desert Safári é um dos passeios mais populares entre os turistas. Apesar da denominação de safári, a atividade mais se aproxima de um rali. São carros 4×4 que fazem um passeio pelas dunas, bem emocionante em alguns momentos. Ao final do dia, os carros param para ver o pôr-do-sol e há a opção de incluir um jantar em um acampamento beduíno montado em meio ao deserto.

Para ver o deserto de outro ponto de vista, é possível realizar um passeio de balão por cima das dunas.

Para os mais radicais, Dubai conta com o maior centro de paraquedismo do mundo. O salto ocorre sobre a ilha The Palms e, além dela, é possível avistar outra ilha artificial construída para imitar o mapa mundi (e só toma forma vista do céu).

Por fim, quem visita Dubai não deve perder a oportunidade de passar um dia na vizinha Abu Dhabi, mas esse é assunto para outra coluna.

O roteiro completo e outras indicações podem ser encontrados no site www.diariosdeferias.wordpress.com.

Instagram: @diariosdeferias.

 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »