12/08/2014 às 20h55min - Atualizada em 12/08/2014 às 20h55min

Não brota

nada brota...

Isabela Gomes

Ser poeta é bem difícil, por isso já disse logo de cara que não gosto desse título. Escritora até que vai... mas dizer que escrevo poesia é dizer demais.
Você deve pensar que é só olhar um emaranhado de galhos de uma árvore onde, nos furinhos se enxerga o azul do céu e pronto! o poema brota na cabeça.
Mas não brota.
Nada brota.
Para aqueles que desconhecem, o poeta parnasianista é aquele poeta besta que fica reescrevendo um poema mil vezes até encontrar o que ele chama de perfeição. Apesar de eu não ir nada nada com a cara deles, reconheço o trabalho. Se escrever sem rimas está difícil, imagina com rimas, regras e reformas ortográficas.
As rimas não brotam.
Nada brota.
Preciso admitir que meus neurônios estão me deixando na mão. Fecharam a portinha da criatividade e agora a nuvem é só a nuvem, o céu é só o céu. Talvez esta seja uma das poucas vezes que eu esteja enxergando com olhos normais. E que tristeza, que maçada! Nada como ver uma flor e enxergar a poesia escrita em suas pétalas. Que tristeza ver a flor e...só ver a flor! Que chatice não ter o coração acelerado ao juntar estas palavras.
As palavras não brotam.
Nada brota.
A inspiração foi embora, me largou, não voltou. Tô esperando ela voltar. Até lá...
A poesia não brota.
Nada brota em um coração sem amor.

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »