13/04/2012 às 22h32min - Atualizada em 05/05/2012 às 22h32min

Sinal amarelo: Estreia de "Máscaras" não empolga

Os primeiros capítulos trouxeram muita pouca sedução.

Fabio Maksymczuk

Olá, internautas

A Rede Record estreou nesta semana “Máscaras”, novela de Lauro Cesar Muniz, autor responsável por duas ótimas obras na emissora, “Cidadão Brasileiro” e “Poder Paralelo”. Os telespectadores tinham uma boa expectativa. As chamadas da nova aposta da emissora da Barra Funda vendiam bem o “produto”.

Apesar disso, os primeiros capítulos trouxeram muita pouca sedução. É nítida a preocupação em dar um clima de suspense. Só que a novela ficou truncada. O público não conseguiu se identificar com os personagens. A dubiedade é a linha mestre. Ninguém sabe quem está ao lado da verdade. Todos são suspeitos. Quem sequestrou Maria e seu filho? Por que?

Logo no primeiro capítulo, ocorreu o crime que permeia até o quarto capítulo. Só que os telespectadores entendem absolutamente nada do que é apresentado. É uma sucessão de cenas. Gritos. E só. Ficar ao lado de quem se ninguém sabe o que de fato acontece? Somente no terceiro capítulo, ocorreu um brilho especial com a entrada de Paloma Duarte. A atriz realmente irradia no vídeo.

Os índices de audiência já despencaram em comparação a antecessora “Vidas em Jogo”. A novela tem encontrado dificuldades para atingir dois dígitos na média. Fica no mesmo patamar de “Rebelde”. O sinal amarelo já acendeu.

Por isso, a Record mudou a estratégia de programação e escalou o famigerado “Tudo a Ver” para ficar colado em “Máscaras”. A reprise de “Vidas Opostas” não atinge bom resultado no IBOPE. Isso é verdade. Porém, o problema maior aparece na nova novela. O público precisa se envolver com a história. Pode ser que isso ocorra no desenvolvimento da trama. Lauro Cesar Muniz é um dos mestres da teledramaturgia nacional. Porém, até aqui, isso não aconteceu.

Fabio Maksymczuk

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »