28/08/2015 às 17h48min - Atualizada em 28/08/2015 às 17h48min

Empresas apostam em parcerias tripartites para viabilizar microgeração de energia fotovoltáica

DuPont traz ao país modelo de negócio para geração de energia limpa e com custo baixo de manutenção

O número de projetos cadastrados para o 1º Leilão de Energia de Reserva de 2015 - remarcado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) para 28 de agosto - exemplifica o novo posicionamento da energia fotovoltáica (solar) como uma alternativa viável para geração do insumo no Brasil. Ao todo, 382 projetos disputarão a oferta de 12.528 megawatts. Atentas às possibilidades, empresas do setor estão investindo em pesquisa e desenvolvimento de soluções. É o caso da DuPont do Brasil, que trouxe ao País um modelo de negócio diferenciado de microgeração de energia fotovoltáica. 

Segundo o gerente de Manutenção da DuPont do Brasil, Daniel dal Poggetto Barbosa, o objetivo é fomentar este tipo de projeto no Brasil que, comparado aos Estados Unidos ou Ásia, e mesmo com incentivos, continua aquém de seu potencial de exploração dessa fonte de energia. “Vivemos momentos de incertezas e por isso precisamos unir as empresas para viabilizar alguns projetos. O País precisa investir mais neste tipo de energia”, diz.

Para viabilizar o projeto de microgeração por meio da energia solar, a empresa aliou ciência, tecnologia e parceiros. “É uma iniciativa de operação sustentável, com baixo custo de manutenção e utilização de tecnologia com potencial de desenvolvimento na região”, explicou o gerente, que irá apresentar o ‘case’ de negócio durante o 16º Energy Summit, tradicional fórum de discussões do setor energético que acontece em São Paulo.

Ainda pouco utilizado pelas empresas brasileiras, o modelo de negócio adotado pela DuPont foi determinante para os resultados. “Realizamos uma parceria tripartite entre DuPont, Manserv, responsável pela manutenção, e Ebes, especialista em projetos de sistema fotovoltáico. Ter uma outra fonte do insumo faz com que não sejamos dependentes de uma única fonte de energia. A energia gerada pelo sistema solar será distribuída para os setores instalados na sede da DuPont”, explica Barbosa, que gerencia parcerias em diversos segmentos e globalmente.

Para Barbosa, o Energy Summit é uma oportunidade de conscientizar os empresários e especialistas sobre a demanda de energia e geração de negócio. “Será uma boa ocasião para interação e compartilhamento das melhores práticas, trocando experiência e conhecimento com profissionais e interessados no tema”, pontuou. A DuPont atua há mais de 200 anos e procura oferecer o melhor da ciência em forma de produtos, materiais e serviços inovadores, de forma sustentável e consciente, reduzindo a utilização de combustíveis fósseis.

O case da DuPont será apresentado na 16ª edição do Energy Summit, que acontece de 15 a 17 de setembro, no Hotel Pullman Vila Olímpia, em São Paulo (SP). O evento reunirá profissionais e especialistas em debates sobre as necessidades de crescimento e novas estratégias de negócio e atuação. Mais informações em http://www.informagroup.com.br/energy-summit/pt.

Sobre o ENERGY SUMMIT 2015
Tradicional fórum de discussões da indústria elétrica, o Energy Summit realiza em 2015 sua 16ª edição reunindo especialistas sobre geração, transmissão e distribuição e comercialização do insumo, com o intuito de gerar novos negócios, compartilhar informações estratégicas para o setor e novas ideias. Este ano, o evento acontece de 15 a 17 de setembro, no Hotel Pullman Vila Olímpia, em São Paulo. Mais informações sobre as palestras, palestrante e inscrições estão disponíveis no site do evento, em http://www.informagroup.com.br/energy-summit/pt.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »