31/08/2015 às 17h25min - Atualizada em 31/08/2015 às 17h25min

João Doria é o primeiro a oficializar a pré-candidatura para prefeito de São Paulo pelo PSDB

Doria assinou a formalização da pré-candidatura a prefeito de São Paulo nesta manhã (28), no diretório municipal do PSDB, na presença de membros do partido, empresários e personalidades

O senador Aloysio Nunes, presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, e Mario Covas Neto, presidente municipal do PSDB, recebem a pré-candidatura de João Doria - foto: Paula Anselmo

O empresário e jornalista João Doria, presidente do GRUPO DORIA e do LIDE e apresentador do programa Show Business, oficializou hoje, 28 de agosto, durante evento no diretório municipal do PSDB em São Paulo, sua pré-candidatura ao comando do Governo Municipal paulistano em 2016. Doria disse que a cidade precisa de liderança e não pode parar e deu o tom de sua campanha: “Vamos acelerar São Paulo”.

A pré-candidatura de Doria foi a primeira oficialmente inscrita no partido - as inscrições terminam em outubro e a escolha está prevista para dezembro. O diretório da Rua dos Ingleses ficou lotado com a presença de membros do partido, entre os quais o senador Aloysio Nunes; o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Fernando Capez; o presidente municipal do PSDB, Mario Covas Neto; o subsecretário de Tecnologia e Serviço ao Cidadão do Governo do Estado de São Paulo, Júlio Semeghini; o secretário-geral da Executiva Nacional do PSDB, deputado federal Silvio Torres, empresários, familiares, amigos de Doria e algumas personalidades como a atriz Bruna Lombardi e o marido, Carlos Alberto Riccelli; além do apresentador Ronnie Von e a chef de cozinha Morena Leite.

Depois de agradecer a presença de líderes do partido e dos demais convidados presentes – destacando a família, militantes e políticos com os quais mantém relações há várias décadas, desde que foi presidente da Paulistur, no Governo Mário Covas, a quem mencionou várias vezes ao longo de seu discurso, Doria apresentou, em forma de compromisso com a população, as razões que o motivaram a disputar a Prefeitura Municipal: dever cívico, respeito por São Paulo, comprometimento com a mudança, coragem para avançar, inovar e globalizar, disposição e dedicação.

“Sou fã de João Doria. Ele lutou muito para chegar onde chegou. Tudo que conquistou foi fruto de muito trabalho. Como perfeccionista que é, sei que ele gosta de fazer bem-feito. Manifesto minha alegria em ver esta pré-candidatura porque ele fez questão de fazer uma renúncia, já que está muito bem no setor empresarial”, declarou o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Fernando Capez.

“João Doria sempre esteve muito próximo de nossos ideais. Ele possui qualidades pessoais e a força da nossa militância, com trabalho e convicção, trará o desejo de mudança que São Paulo precisa. Doria tem compromisso com a ética e se ele for o escolhido, pode ter certeza que estaremos todos ao lado dele”, anunciou o senador Aloysio Nunes.

Doria admitiu que administrar São Paulo é um desafio gigantesco que assume com disposição e com as características que marcam sua trajetória no mundo empresarial: de trabalhar muito, ser perfeccionista, atuar em equipe, cercar-se de talentos e cultivar como atitude de humildade o “nós” e não o “eu”, pois “o trabalho é sempre coletivo”.

Ainda elencando as motivações que o levaram a candidatar-se, Doria assinalou que pretende governar para todos – paulistanos, paulistas, brasileiros e estrangeiros que vivem em São Paulo. “Não haverá eles contra outros”, destacou. “Administrar São Paulo é um exercício que requer um conjunto de valores e atitudes, vontade, experiência, gestão eficiente, sentido de prioridade, atração de capital e investimentos, meritocracia, responsabilidade, transparência, senso de urgência, controle de programas e prazos, além de compromisso com todos os seus habitantes”.  

Segundo o pré-candidato, o momento atual impõe a necessidade de mudanças de padrões, sistemas e métodos. Exige uma profunda reforma administrativa, com foco na descentralização e eficiência. Os serviços públicos estão deteriorados. “Há questionamentos do Tribunal de Contas do Município sobre a exorbitância de valores pagos em obras. O PSDB, meu partido, não compactua com o mal feito, nem com a falta de lisura e descontrole de despesas”, ressalta, complementando que “é preciso resgatar a autoestima dos habitantes de São Paulo”.

Para João Doria, já passou da hora de modernizar e melhorar o diálogo na administração pública, fortalecer a relação com o legislativo municipal, aumentar as parcerias com o Governo Estadual e a comunicação com a sociedade civil. “É preciso desburocratizar e melhorar o atendimento às demandas dos cidadãos de São Paulo e compreender que o senso de urgência é tarefa do setor público. Atender bem e rápido ao cidadão é uma obrigação da administração municipal, demonstra respeito ao dinheiro público e uma das mais eficazes armas contra a corrupção”.

 

A seguir o documento com a declaração de compromisso de João Doria apresentada durante seu discurso no evento:

AS RAZÕES QUE ME MOTIVAM A DISPUTAR A PREFEITURA DE SÃO PAULO

JOÃO DORIA

São Paulo, maior cidade do País, é um gigantesco desafio da administração pública no Brasil.

Administrar São Paulo é um exercício que requer um conjunto de valores e atitudes, vontade, experiência, gestão eficiente, sentido de prioridade, atração de capital e investimentos, meritocracia, responsabilidade, transparência, senso de urgência, controle de programas e prazos, além de compromisso com todos os seus habitantes, pobres ou ricos.

O termo – compromisso – expressa os objetivos que me motivaram a pleitear a candidatura à Prefeitura de São Paulo, pelo PSDB.

 

1.      Dever cívico – Sou filho de político. E tenho orgulho disso. Meu pai, João Doria, foi deputado federal cassado e exilado pelo Golpe Militar. Recebi de meu Pai o único legado que pode me oferecer e aos meus irmãos Raul, Marcelo e Raphael: moralidade, honestidade e idealismo. Tenho sido bem sucedido em minha vida. Tanto na administração pública quanto na empresarial. Fui presidente da Embratur, onde  realizei uma gestão eficaz, até hoje reconhecida. Fui secretário de Turismo da cidade de São Paulo na gestão do saudoso Prefeito Mário Covas. Implantamos amplo programa de atividades que deram significativo impulso ao turismo e ao lazer na capital paulista.

 

2.     Respeito por São Paulo – Nasci aqui. Amo minha cidade. Acompanho seu crescimento e a expansão de suas demandas. Sempre procurei incentivar ideias e propostas para a melhoria da cidade e da qualidade de vida dos seus habitantes. Respeito o povo de São Paulo. Porque conheço a sua força de trabalho e determinação. Agora, de forma mais ampla, decidi dedicar meu conhecimento e experiência, à causa da coletividade.

 

3.     Compromisso com a mudança – o momento atual impõe a necessidade de mudanças de padrões, sistemas e métodos. Exige  uma profunda reforma administrativa, com foco na descentralização e eficiência. Os serviços públicos estão deteriorados. A infraestrutura de equipamentos urbanos está sucateada. Há questionamentos do TCM sobre a exorbitância de valores pagos em obras no município. O PSDB, meu partido, não compactua com o mal feito, nem com a falta de lisura e descontrole de despesas. As comunidades regionais da Capital estão desprotegidas em seus direitos mínimos. A descrença social na autoridade municipal se expande. É preciso resgatar a autoestima dos habitantes de São Paulo.

 

4.     Coragem de avançar – Já é hora de modernizar e melhorar  o diálogo na administração pública. Fortalecer a relação com o legislativo municipal. Aumentar parcerias com o Governo estadual e a comunicação com a sociedade civil. Desburocratizar e melhorar o atendimento às demandas dos habitantes de São Paulo. E compreender que o senso de urgência é tarefa do setor público. Atender bem e rápido ao cidadão é rigorosamente uma obrigação da administração municipal. E um direito inquestionável do cidadão.

 

5.     Inovar e globalizar – São Paulo é uma metrópole mundial. Deve ser compreendida e respeitada como tal. Vamos pensar grande. Buscar recursos em agências de fomento, no Brasil e no exterior, para financiar programas sociais, culturais e de mobilidade urbana. E estimular também, a entrada de capital externo na economia da cidade, especialmente nos setores de serviços e tecnologia.

 

6.   Disposição e dedicação - O prefeito de São Paulo deve estar atento, de forma plena, aos problemas e demandas que emergem diariamente em todos os bairros e regiões da Capital. Deve trabalhar muito, estar presente na cidade, junto às comunidades e suas necessidades. Durmo tarde e acordo cedo. E sempre trabalhei duro. Com esta motivação, quero chegar à Prefeitura. Empregarei um ritmo de trabalho integrado e intenso na Prefeitura, caso conquiste a posição de candidato pelo meu partido, o PSDB. Mas não vou governar sozinho. Aprendi a juntar pessoas, ideias e forças. E liderar compartilhando. São Paulo precisa de liderança. E não pode parar. Por isso, vamos acelerar São Paulo. Para integrar, avançar e contagiar os brasileiros de São Paulo. Sinal livre para uma nova cidade. Viva São Paulo!

 

João Doria

 

São Paulo, 28 de agosto de 2015.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »