24/08/2015 às 17h13min - Atualizada em 24/08/2015 às 17h13min

Paulo Markun entrevista Floriano Peixoto, o “Marechal de Ferro”, no dia 27 em Retrovisor

No palco do teatro Eva Herz, jornalista fará talk-show com personagem brasileiro revivido por Paulo Vinícius

Atelier de Imagem e Comunicação

Em 27 de agosto (quinta-feira), às 12h, o jornalista Paulo Markun irá “entrevistar” Floriano Peixoto (nascido em 1939, morto em 1895). Trata-se da gravação de outro episódio da segunda temporada de Retrovisor, programa no formato de talk-show com personagens históricos brasileiros... mortos. Todos são revividos por atores que, no palco, respondem às perguntas do jornalista, e depois da plateia do teatro Eva Herz, da Livraria Cultura (Avenida Paulista).

O ator Paulo Vinícius irá viver Floriano Peixoto. Caracterizado e preparado com texto elaborado a partir de pesquisas históricas, Paulo -- ou melhor, Floriano Peixoto --, será questionado sobre fatos importantes de sua vida.

Alagoano nascido em Ipioca, distrito de Maceió, Floriano Peixoto era formado em Ciências Físicas e Matemáticas e pela Escola Militar. Foi vice-presidente de Deodoro da Fonseca e, após a renúncia deste, assumiu a presidência, com o apoio de parte dos militares e de grupos anti Deodoro.

Floriano governava pela força, ganhando assim o apelido de “Marechal de Ferro”. Os oposicionistas não o aceitavam. Segundo regras da época, caso o presidente ficasse menos de dois anos no poder, deveria convocar nova eleição. Peixoto ficou por nove meses e não convocou eleições, daí as revoltas. Nas duas de 1893 – a Revolta Federalista do Rio Grande do Sul, e a Revolta da Armada – usou de muita violência para vencer.

Apoiado por parte do Congresso Nacional, da classe média e da ala militar florianista, o presidente era rejeitado pela oligarquia cafeeira e pelos banqueiros estrangeiros. Mas a nação o admirava por tomar medidas eficazes para baixar o custo de vida. Ainda assim escolheu deixar a vida pública, e em novembro de 1894 assumiu seu sucessor, Prudente de Moraes.

 

 

Segunda temporada

 

Nesta temporada, Retrovisor tem uma cenografia especialmente desenvolvida que mescla projeções e uma espécie de “janela para o passado”, com o uso de sombra. A direção de imagem é de Marcelo Amiky.

“Percebi que Retrovisor funciona bem tanto no teatro quanto no vídeo. Nesta temporada, ao gravar no teatro Eva Herz ao meio-dia, oferecemos ao público uma opção que mescla entretenimento e história num horário alternativo”, diz Markun.

      Esta temporada terá entrevistas com 13 personalidades. Quanto aos temas, Markun esclarece: “Incluímos tanto gente envolvida em episódios históricos marcantes quanto pessoas que se destacaram do ponto de vista dos costumes, e ainda em áreas como educação, cultura e ciência”.

As gravações de Retrovisor são realizadas no Teatro Eva Herz, em São Paulo, até outubro, sempre às 12h e com entrada gratuita para a população.

As entrevistas têm duração de uma hora e posteriormente serão exibidas em episódios de 26 minutos no Canal Brasil, a partir de outubro. “A ideia é também transformar todo esse material em um livro e DVDs. Os entrevistados são personagens de extrema relevância na história do Brasil, porém pouco conhecidos pela população”, ressalta Markun.

Ainda estarão sob perguntas de Markun Plácido de Castro, Joaquim Nabuco, José Bonifácio e Francisco José do Nascimento, o Chico da Matilde.

 

 

Serviço

Entrevistador: Paulo Markun

Personagem: Floriano Peixoto – por Paulo Vinícius

Dia: 27 de agosto de 2015

Horário: 12h às 13h                                                                                      

Local: Teatro Eva Herz - Conjunto Nacional

Endereço: Av. Paulista, 2.073, Bela Vista - São Paulo/SP

Entrada franca: ingressos devem ser retirados com 1 hora de antecedência

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »