27/08/2012 às 11h07min - Atualizada em 27/08/2012 às 11h07min

Cenário Imobiliário

Setor imobiliário melhor aplicação do momento

Fabio Vezzetti

De acordo com os dados mais recentes da entidade que representa o setor no país, a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), em junho dês te ano, os financiamentos imobiliários com recursos da poupança atingiram R$ 7,4 bilhões, queda de 5% na comparação com junho do ano anterior. Na comparação com maio deste ano, no entanto, houve alta de 18% no volume emprestado. Em 2012, a previsão da Caixa Econômica Federal é que o credito para a casa própria atinja R$ 100 Bilhões.

Nos seis primeiros meses do ano, as vendas de imóveis residenciais novos na capital paulista voltaram a subir, com leve alta de 2,6%, revertendo, em parte, a queda de 31% registrada no primeiro semestre de 2011, de acordo com informações de Sindicato da Habitação ( Secovi – SP).

Os preços dos imóveis em São Paulo acumulam 9,1% no ano, até julho, e de 18,8% em 12 meses, segundo aponta o índice FipeZap.

Com esses números o cenário imobiliário atrai cada vez mais investidores, pois, o mercado financeiro tem hoje números em aplicações de CDI e Poupança em media na casa dos 0,45% a 0,62% ao mês, abatendo impostos e taxas operacionais a rentabilidade tende a diminuir ainda mais. Quando se fala de índices mais gordos, entramos no campo das ações, e, ai vem outro impasse, onde e em quem investir, podemos ter resultados fantásticos em poucas horas, porem, o risco é para cima ou para baixo, e quem não tem as informações mais exatas acaba por perder mais do que ganhar nas apostas do mercado.

Por esta razão o mercado tem procura certa por imóveis que quando adquiridos na planta chegam a proporcionar ganhos de mais de 100% sobre o valor aplicado durante o período das obras, formando assim um mercado aquecido e sem riscos para o investidor, pois as construtoras hoje trabalham com seguro de construção e outros dispositivos que garantem a entrega dos empreendimentos, além do mais com o imóvel pronto os consumidores contam com o FGTS e financiamentos cada vez mais atrativos para aquisição da casa própria.

O déficit imobiliário chega hoje em 40 milhões de unidades para a população, portanto não o que se falar em zerar o interesse pelo consumo de imóveis pelos próximos 20 anos, isso tem atraído cada vez mais resultados positivos para o investidor e para o consumidor , pois depois de algum tempo de aquisição do seu imóvel a valorização do patrimônio é maior do que o saldo financiado, ao contrario do que acontecia no passado.

Hoje o mercado tem diversas formas de investimentos em imóveis, porém, o mais certo é a orientação de um consultor imobiliário, seja para comprar, vender ou  investir, consulte um profissional.

Vezzetti – Tel. 11- 9 7145-1300


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »