31/07/2015 às 11h47min - Atualizada em 31/07/2015 às 11h47min

DSE South America supera expectativas, promove crescimento e geração de negócios no setor de digital signage

Com a presença de grandes players do mercado, o evento internacional promove educação no segmento e fortalece marcas, mostrando aos visitantes uma nova experiência com a sinalização digital, mídia out of home e soluções interativas

CM Comunicação

A primeira edição da DSE South America, referência mundial de digital signage que acontece desde 2004 nos Estados Unidos, superou as expectativas  de público e interesse pelas novidades de mídia out of home. A feira, promovida pela BTS Informa em parceria com a Exponation LLC, aconteceu entre os dias 21 e 24 de julho em São Paulo, destacou as inovações tecnológicas e tendências para o mercado da América Latina, contou com grandes oportunidades de negócios, educação e a presença dos principais profissionais e players do setor.

Segundo Victor Tranquilini, executivo da DSE South America, a primeira edição foi um grande sucesso e a feira já se tornou um dos mais importantes eventos de digital signage no país. “O mercado de sinalização digital está em expansão no Brasil e as perspectivas são muito boas. A realização da primeira DSE South America veio de encontro a esse momento e superou as expectativas de visitantes e expositores, que compartilharam conhecimento, trocaram experiência e fizeram negócios, ajudando a elevar o nível de profissionalismo e impactando positivamente o setor no Brasil e na América Latina. A feira foi um termômetro do segmento, além de uma plataforma especializada e completa para lançamentos e tendências”, declarou.

Giovanni Maddaloni, CEO do grupo GM7, um dos principais expositores e patrocinadores do evento, definiu sua participação como uma troca de experiências e oportunidades de negócios. “Na DSE South America destacamos algumas coisas como videowall 4x2 com resolução de 4k e o videowall 2x1, mostrando destinos e despertando a atenção das pessoas através de imagens e vídeos. A nossa preocupação na GM7 é primeiro entender a necessidade de um cliente, criar uma estratégia de conteúdo e estudar como esse conteúdo vai ser trabalhado, seja em um vídeo wall, seja na interatividade”, destacou. Segundo o especialista, as mídias têm seguido o consumidor onde quer que ele vá com as novas tecnologias e nos últimos anos a Mídia Out of Home tem mostrado um aumento significativo no mercado brasileiro. “Para os próximos anos, minha aposta é que a interatividade seja a chave para o crescimento do digital signage no Brasil”, finaliza. 

Geração de negócios

Um dos principais focos da 1ª DSE South America foi a geração de negócios e de parcerias estratégicas entre os players do mercado. Para Valdecir Buch, sócio da GMA Brazil, a participação da empresa no evento foi importante para gerar possibilidades e também visibilidade para pessoas de fora do circuito São Paulo – Rio – Paraná (de onde vem a empresa). “Vamos conseguir medir o resultado de nossa participação na DSE assim que o evento acabar, mas falamos com muitas pessoas com potencial de investimento e atendemos nossos clientes e prospects por aqui também. É importante estar presente junto com as outras marcas que oferecem soluções parecidas com a nossa para marcar presença. Nosso folder digital foi o produto que mais chamou a atenção por aqui e estamos satisfeitos”, declarou.

O CEO da Double Trading, Sérgio Brandão, também destacou a importância de trazer um evento como a DSE para o mercado brasileiro e já fechou a participação de sua empresa na edição de 2016. “Foi ótimo participar da feira para mostrar ao público novas visões de negócios, principalmente para agências de publicidade que passaram por aqui. Recebemos também a visita de pessoas do Nordeste e do Sul que também estão atentos ao mercado digital. Acreditamos que nossa participação trará muitas parcerias estratégicas e um grande leque de oportunidades de negócios", comemorou Brandão. Para João Guilherme Beschorner, diretor de vendas da Bee Leds, a feira ajuda o segmento a crescer no Brasil. “O mercado de sinalização digital tem muito o que crescer e evoluir, principalmente na questão do LED e publicidade outdoor. Podemos dizer que o país ainda engatinha no setor e, apesar, de já ter um número considerável de grandes empresas no país, tem ainda muito espaço para crescer e um evento desse porte auxilia nisso”, explicou. João considerou a participação da empresa muito positiva, especialmente por reunir as novidades em um só lugar, o que atrai um público qualificado.

Quem comemorou as oportunidades de negócios durante a DSE foi a Leyard Brasil & Latin America. A empresa fechou a venda de dois painéis de LED de alta definição para um cliente de Belém. “Vendemos dois painéis no tamanho de 4,80 x 2,40, totalizando mais R$ 600 mil, já que o metro quadrado custa em média R$ 60 mil. Esse painel é um dos mais modernos e com maior definição e é voltado para aplicações internas, em eventos corporativos”, explica Jaron Custódio, da área comercial da empresa. Para o executivo que comemora o negócio gerado dentro da DSE South America, o mercado ainda está retraído por conta da crise, mas a empresa   acredita que o segundo semestre seja mais otimista.

Salim Junes, da Prisma Painéis de Belém, visitante da feira e comprador do produto da Leyard, está muito satisfeito com a DSE South America, já que teve a oportunidade de conhecer outras tecnologias. “A Leyard tem sido uma grande parceira nossa e temos uma excelente experiência com o fornecedor, a tendência é estreitar mais esse relacionamento. Estamos entrando nesse mercado de digital signage agora e estamos cada vez mais fascinados. As palestras foram super positivas e trouxeram muito conhecimento, saímos do evento com a cabeça e os neurônios com muitas ideias para implantar”, contou. O executivo já confirmou sua presença para a próxima edição. 

DSE TV

Uma das patrocinadoras da feira, a Philips, disponibilizou monitores específicos para o mercado de sinalização digital para a DSE TV, TV corporativa da feira produzida em parceria com a empresa DNTV. Segundo André Ingnez, corporate sales da marca, a Philips entrou nesse segmento em 2014 e somente no primeiro trimestre de 2015, conseguiu igualar o número de vendas do ano passado. “Todos os estudos do mercado mostram que o Brasil tem um potencial de crescimento exponencial e um evento como a DSE é muito importante, porque hoje as empresas na feira possuem uma qualidade excelente de conteúdo e instalação que não devem nada ao mercado americano. A grande questão é que o número de empresas de digital signage ainda é pequeno se comparado ao território nacional, então um evento como esse estimula novos parceiros de tecnologia a entrarem no mercado e aumentar a cobertura, que atualmente fica muito centralizada em São Paulo”, declarou.

Gama de conteúdo na DSE Conference

Com o objetivo de difundir e fortalecer os conceitos de digital signage no Brasil e no mundo e contribuir para o crescimento do setor, a DSE Conference reuniu um time de profissionais talentosos e de grande relevância para o mercado de sinalização digital e mídia out of home para troca de experiências e conhecimento. A abertura da programação contou com Ubiratan Macedo, diretor executivo da ABMOOH, fazendo um panorama sobre o mercado de mídia digital out of home.

Entre os destaques da Conference está a palestra de Waltely Longo, diretor da PROOH e expert no mercado, que acredita que há uma tendência no setor em se fazer investimentos reduzidos em conteúdo, mas não é levado em consideração que pensar no conteúdo é o grande trunfo para capturar a atenção da audiência. “O conteúdo é o principal responsável por conseguir conquistar a atenção da audiência, mas seja em função do processo histórico ou da cultura da empresa, pelo foco no curto prazo ou mesmo pela crise financeira, é nítido que o conteúdo fica em segundo plano”, lamenta. Para ele, esse é um dos maiores erros que as empresas que querem investir nessa mídia cometem, porque o conteúdo é um dos principais pilares para o sucesso da sinalização digital.

Tendência foi a palavra de ordem na apresentação abordando o panorama sobre IoT no mercado digital e a oportunidade no Brasil, com o diretor técnico da Orion PC, Carlos Alberto Farinelli e o diretor da Topcomm, Seido Nakanishi. Segundo os especialistas, a IoT (“internet das coisas”) é uma tendência que vai causar uma revolução tecnológica onde as pessoas irão se conectar pelo celular com itens usados em nosso dia a dia. “Em breve, qualquer eletrodoméstico que comprarmos terá um botão de comunicação, desde uma geladeira até qualquer outra coisa. Espelhos conectados que refletem as notícias do dia a dia e aplicativos, escova de dente inteligente que te avisa sobre a hora de escovar os dentes, aplicativo que sinaliza o nível do botijão de gás e quando ele deve ser trocado, tudo isso parece distante, mas já é uma realidade com a qual conviveremos em breve”, declarou Carlos.

Rodrigo Cadena, chefe de operação da Elemidia, começou sua palestra com uma grande mentira contada no setor de sinalização digital: “quando se liga uma tela, nasce uma rede digital out of home, isso não é verdade, há muito trabalho antes de se tornar uma operação real de DOOH”, disse. Cadena destaca algumas atitudes que podem fazer toda a diferença no segmento, como investir no funcionário, em conteúdo, em métricas e em algumas boas práticas como participar de associação do mercado, valorizar o conteúdo e checagem auditada da operação para gerar credibilidade para o cliente e também para a audiência. “Mas a grande verdade é que o maior perigo desse mercado é se acostumar com as verdades e pensar que elas são absolutas, porque elas não são. Todo o mercado tem muito a melhorar e com a indústria mais unida, conseguiremos um resultado cada vez melhor”, finaliza.

A apresentação de Gustavo Brancante, gerente de tecnologia da Otima, empresa responsável pela instalação e manutenção de abrigos de ônibus e tótens indicativos de parada de São Paulo, tratou da necessidade de mudança na percepção do comércio, com bons projetos que devem ser compartilhados. “A tendência é a economia colaborativa, que funciona com Wikipedia, Waze, Über e Airbnb. Houve uma mudança de B2B e B2C para Human to Human, as pessoas querem acesso direto ao ser humano”, defende. Para Brancante, a inteligência de mercado está mudando e é mais importante ver a massa usando os produtos das marcas do que simplesmente vender. Para isso, pontos físicos em breve serão transformados em ações para digital signage, chamados de PHYGITAL. A DSE Conference fechou a programação de palestras com Silvio Laban, do POPAI Brasil, falando sobre varejo sem fronteiras e o digital no ponto de venda.

A próxima edição da DSE South America acontece entre os dias 3 e 6 de maio de 2016, no Anhembi. Mais informações através do site www.dsexpo.com.br

Para fotos em alta resolução da DSE South América, acesse: https://www.flickr.com/photos/134953235@N05/ 

Sobre a BTS Informa

Parte do Informa Group, a BTS Informa ocupa a segunda posição no ranking das maiores promotoras de feiras de negócios no Brasil, e é a principal promotora de eventos para a cadeia produtiva de alimentos e bebidas da América Latina. Detentora de um portfólio diversificado, composto por 21 feiras, atua nos mais variados setores da economia, com marcas que são referência em seus mercados de atuação.  Entre seus eventos estão: Fispal Tecnologia, Fispal Food Service, Agrishow, ABF Franchising Expo, Expo Revestir, TecnoCarne, MercoAgro, ForMóbile, SIAL Brazil, ExpoVinis Brasil, Serigrafia SIGN FutureTEXTIL, Cards Payment & Identification e Vitafoods South America. Na área editorial, é responsável pela publicação das revistas Leite & Derivados, Revista Nacional da Carne, Silk-Screen e Sign - quatro maiores e mais importantes publicações técnicas dos seus segmentos. Para mais informações, visite www.btsinforma.com.br


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »