23/07/2015 às 12h25min - Atualizada em 23/07/2015 às 12h25min

GreenChem esclarece o Arla 32

Empresa dissemina informações sobre o produto com o objetivo de orientar e evitar adulterações e infrações ainda comuns no mercado brasileiro

Carmen Rosa

Ainda incipiente na questão, o mercado brasileiro necessita de muitas informações para dirimir dúvidas em torno do Arla 32, também conhecido como AdBlue na Europa e DEF nos Estados Unidos. É mandatório tornar clara a importância do agente líquido redutor de emissões de óxidos de nitrogênio (NOx) de modo que todos se conscientizem sobre os benefícios gerados com seu uso correto e os malefícios de se ignorar algo de fato relevante para o meio ambiente e, consequentemente, para as pessoas. E este é um compromisso assumido pela GreenChem Solutions do Brasil, especialista na produção e distribuição de Arla 32 e no fornecimento de soluções para o seu abastecimento, desde que se instalou no país.

 

Embora obrigatório para todos os veículos a diesel com a tecnologia SCR (Redutor Catalítico Seletivo) produzidos a partir de janeiro de 2012, na fase P7 do Proconve (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores), o uso do Arla 32 ainda se encontra muito aquém da demanda necessária. De acordo com David Piany, diretor geral da GreenChem no Brasil, o mercado brasileiro está de 30% a 40% abaixo do que deveria, pela falta de conhecimento de muitos usuários que se valem de burla nos sistemas de tratamento de gases dos veículos e falsificação do produto: “Um mau exemplo, uma fraude que coloca em risco o meio ambiente e a saúde de milhões de brasileiros. Em torno de 70% da poluição nas grandes cidades vêm do escapamento de caminhões que rodam com diesel.”

 

Por esse motivo, a empresa se empenha em disseminar, pelos mais diversos canais, tudo o que diz respeito a esse produto desenvolvido para reduzir em até 97% a emissão de materiais particulados e em até 95% os níveis de NOx dos motores a diesel, desde os níveis iniciais que apresentavam os motores Euro I. A GreenChem tem know how para informar e esclarecer todos os aspectos e mitos sobre o aditivo. A empresa, além de produzir seu Arla4you com ureia própria, também fabrica equipamentos de armazenagem e faz a distribuição. Em resumo: controla o processo de ponta a ponta.

 

O crime não compensa

Testes realizados comprovam o aumento das emissões em quase cinco vezes com o uso de emuladores, conhecidos como “chips”, que permitem burlar o uso do Arla 32. A adulteração do aditivo pode gerar advertência e penalidade para usuários e suspensão das atividades para quem comercializa o produto ou o fabrica internamente para consumo próprio. É delito e as multas podem chegar a R$ 60 mil, com apreensão do veículo. Por isso, a importância em dar visibilidade à questão de modo a conscientizar a sociedade, fortalecer a fiscalização e eliminar a prática lesiva, assegurando o cumprimento da resolução do Conama. “É preocupante o avanço da quantidade de casos de adulteração de veículos para burlar o uso do produto”, alerta Piany.

Dados de mercado dão conta de que a partir de abril de 2013 houve claro descolamento entre as vendas do Arla 32 e do óleo diesel. O uso de chips que permitem burlar o uso do produto equivale a uma regressão de 20 anos em termos de atraso ambiental, afirmam especialistas, que garantem, ainda, que as emissões de NOx de um caminhão Euro 5 adulterado para não usar o Arla 32 equivalem às emissões de 4,5 caminhões regulares.

“Os consumidores devem desconfiar de Arla 32 muito barato”. David Piany explica que o verdadeiro é fabricado com ureia automotiva e água desmineralizada, dois itens praticamente puros, portanto com custos de produção elevados. E diz ainda que é possível alcançar os 32,5 de concentração de ureia exigidos, utilizando água da torneira e ureia agrícola, mas não será Arla: “O produto adulterado provoca ainda mais danos do que se não utilizado. É preciso que todos saibam disso. O aditivo falsificado gera aumento na emissão de partículas por ter conteúdo elevado de biureto, algo limitadíssimo no caso da ureia automotiva, bem como emissão de produto cancerígeno pela transformação, dentro do catalisador, do aldeído que a ureia agrícola incorpora para proteção durante a estocagem e que está proibido no caso da ureia automotiva. Sem contar os danos graves ao catalisador do veículo pelo acúmulo de partículas e metais, gerando custo muito alto de  manutenção”.

 

Para saber mais sobre o Arla 32, tirar dúvidas e conhecer todo o processo que envolve o produto, basta entrar na página da GreenChem http://www.arla4you.com.br/.

 

 

Perfil GreenChem

Em busca de desenvolver soluções para um novo mercado em crescimento, em 2003, a GreenChem iniciou suas atividades em Breda, na Holanda. Começou como uma pequena empresa e hoje é líder mundial na produção e um dos maiores distribuidores europeus de AdBlue/Arla 32. Para otimizar a logística e a cadeia de suprimentos possui duas fábricas de ureia (República Eslovaca e Alemanha) e 28 unidades produtivas na Europa e, fora de lá, está presente na Austrália, Brasil, Chile, Colômbia, Índia e Japão.

As 30 instalações de mistura do Arla 32 da GreenChem se complementam aos mais de 3,5 mil depósitos (de 3 mil a 80 mil litros) operativos em toda a Europa, dos quais 75% por telemetria. Em 2009, se tornou parte da Agrofert Holding, grupo com sede em Praga, na República Tcheca, formado por 235 empresas dos setores químico, agrário, florestal, de alimentos e de distribuição de máquinas. Atualmente, a empresa é fornecedora exclusiva do produto para muitos dos fabricantes de veículos (OEM).

Em operação desde 2013, a GreenChem Solutions do Brasil, com sede em Santa Catarina, é filial da GreenChem Holding B.V. Conta com duas unidades de produção (Rio Grande do Sul e São Paulo), utilizando matéria-prima da matriz, que é especialista em soluções puras de ureia automotiva.

Com logística realizada por caminhões dedicados, sistemas de armazenamento e abastecimento profissionais baseados nos seus clientes, além de produto com análise total por lote de produção, a GreenChem oferece hoje no Brasil a única solução que atende por completo a normativa de qualidade internacional ISO 22241, que regula a produção e distribuição do Arla 32.

 

 

GreenChem Solutions do Brasil Ltda.

F: (48) 3012-2116

davidpiany@greenchem-adblue.com

www.greenchem-adblue.com

www.arla4you.com.br

 

Informações para imprensa:

Erica Munhoz: (11) 99994.1895 erica@viapublicacomunicacao.com.br


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »