21/07/2015 às 10h51min - Atualizada em 21/07/2015 às 10h51min

Plastivida questiona, junto ao Ministério Público do Estado, acordo APAS e PROCON/SP para cobrança de sacolas plásticas na cidade de São Paulo

Mfree Comunicação

A Plastivida, juntamente com entidades representantes dos direitos dos consumidores, entrou com uma representação junto à Procuradoria Geral da Justiça (Ministério Público do Estado) para questionar o protocolo de intenções firmado entre a Associação Paulista de Supermercados (Apas) e o PROCON/SP.

 

O acordo retira do consumidor da cidade paulistana o direito de receber gratuitamente as sacolas de supermercado, conforme preconiza o Código de Defesa do Consumidor. O próprio PROCON/SP, em comunicado publicado em abril, reconhece esse direito do consumidor.

 

A representação foi protocolada no último dia 8 de julho.

 

Estudo realizado pela FIPE - Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas revelou que, em caso de suspensão da distribuição de sacolas plásticas, as famílias terão um aumento de 146% de gastos mensais com embalagens para carregar compras e para descartar o lixo, equivalentes aos custos com o arroz e o feijão.

 

O acordo prejudica o consumidor e ainda compromete a possibilidade de se melhorar as condições de coleta seletiva na cidade de São Paulo. Ou seja, há prejuízo ao consumidor e ao meio ambiente. Os únicos beneficiados são os  supermercados que passam a lucrar com a venda das sacolas e dos sacos de lixo.

 

A Plastivida está à disposição para entrevista.

 

M.Free Comunicação

55 11 3171-2024

55 11 3262-4121


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »