17/07/2015 às 12h34min - Atualizada em 17/07/2015 às 12h34min

Encontro de RI discute o impacto dos resultados trimestrais e anuais

O sexto painel do 17º Encontro Nacional de RI e Mercado de Capitais abordou a “Divulgação de resultados trimestrais e anuais. Sua eficácia e propostas para discussão”.

Imprensa IBRI

O sexto painel do 17º Encontro Nacional de RI e Mercado de Capitais abordou a “Divulgação de resultados trimestrais e anuais. Sua eficácia e propostas para discussão”.  O evento está sendo promovido pelo IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores) e pela ABRASCA (Associação Nacional das Companhias Abertas) nos dias 14 e 15 de julho, de 2015, na Fecomércio, em São Paulo.

O painel foi comandado por Lélio Lauretti, membro do Conselho da Abrasca e do Comitê Superior de Orientação, Nomeação e Ética do IBRI. Ele deu início à sua explanação comentando o formato dos relatórios anuais. “Conferimos ao relatório anual um duplo aspecto de informações financeiras e não financeiras. Depois tiramos um relatório social”, observa.

Lauretti relembrou as empreitadas bem-sucedidas que foram capitaneadas pela Abrasca, IBRI e outras entidades de grande importância no mercado de capitais atual. “O prêmio Troféu Transparência e o relatório anual têm características pioneiras. E a busca pela transparência demonstra o desejo de informações claras”, aponta.

Lélio, no entanto, tocou em um ponto crucial e polêmico: a demasiada importância dos relatórios trimestrais e seu impacto nos resultados das empresas. “Precisamos observar com atenção o papel dos relatórios trimestrais sob a ótica do mercado. Um exemplo é o caso do Twitter que apresentou um lucro de 460 milhões de dólares, pouco abaixo da expectativa do mercado que estimava lucro de 500 milhões de dólares, e o mercado acabou penalizando as suas ações. Ora, não teve absoluta importância o fato de que a empresa aumentou em 85% o seu lucro?”, jogou para a plateia.

 Marcel Moraes, analista do Deutsche Bank, respondeu a questão da importância dos relatórios trimestrais. “Do lado da corretora, o relatório trimestral é muito importante, pois vivemos em um momento de desafios econômicos. Eu cubro varejo e as vendas neste setor continuam se deteriorando . E o relatório trimestral traz informações sobre até que ponto as empresas estão sendo afetadas pela conjuntura. A uniformidade da informação é muito importante, pois o mercado necessita de informações precisas senão também corre-se o risco de facilitar o fluxo, inclusive, de informações privilegiadas”, observa.

O 17º Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais é patrocinado pelas empresas: Banco do Brasil, Bloomberg, BM&FBOVESPA, BNY Mellon, Bradesco, CEMIG, Chorus Call, Deloitte, Deutsche Bank, Diligent Board Member Services, Economatica, GreenbergTraurig, Itaú Unibanco, J.P. Morgan, MZ, Oliveira Trust, Petrobras, RIWeb, RR Donnelley, Sabesp, Sherpany, SulAmérica, TheMediaGroup, VALE, Valor Econômico e Wittel.

Mais informações acesse:http://www.encontroderi.com.br/17/index.htm


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »