17/07/2015 às 12h29min - Atualizada em 17/07/2015 às 12h29min

Instituto Brasileiro de Impermeabilização comemora 40 anos com simpósio de sucesso

Tendências, tecnologias e casos de aplicação acerca da impermeabilização na construção civil deram o tom da edição 2015 do evento

Carmen Rosa

Refletir, discutir e disseminar todo conhecimento, inovação e tecnologia que deve orientar as tendências a serem seguidas pelo setor da construção civil. Reforçar a importância da pesquisa e consequente inovação no processo e nas técnicas de impermeabilização, etapa fundamental para assegurar qualidade, durabilidade e perfeita adequação custo/vida útil da obra com real redução de manutenção futura. E tudo sem perder o foco na preservação do meio ambiente e na consistente qualificação para o atendimento da crescente demanda do mercado.

 

Foi em torno de toda essa importante, e necessária, temática que a indústria da impermeabilização esteve reunida para o 14º Simpósio Brasileiro de Impermeabilização, realizado em São Paulo, de 15 a 17 de junho. Promovido pelo Instituto Brasileiro de Impermeabilização (IBI), contou com a presença de 338 participantes, de 18 estados brasileiros, entre os quais especialistas, estudantes, representantes do meio acadêmico, de entidades setoriais e das indústrias de impermeabilizantes e produtos químicos, engenheiros, aplicadores e outros profissionais da construção civil. Por lá estavam também as principais indústrias do setor – Denver Impermeabilizantes, MC-Bauchemie, Sika, Vedacit, Viapol e Weber – como patrocinadoras.

 

Diferentemente da última edição do simpósio, de 2013, esta contou com um período a mais, a noite do dia 15, para a comemoração dos 40 anos do IBI, celebrados em 15 de abril último. A programação mais intensa ficou mesmo para os outros dois dias. Entre uma palestra e outra – seis no total – sobre os mais variados temas de interesse, e sessões técnicas para apresentação dos trabalhos, o público presente pôde visitar ainda exposição paralela, com a participação de 22 empresas.

 

“Completo. É assim que definimos o simpósio, sem dúvida,o principal evento do setor e também o fórum ideal para colocar em evidência toda cadeia produtiva, empresas, marcas, produtos e soluções tecnológicas. O poder de aglutinação do encontro é determinante para o centro de decisão produtivo, dos aplicadores, dos formadores de opinião e dos representantes do meio acadêmico que se reuniram com um só objetivo: a impermeabilização. Mas é importante reforçar que precisamos de mais gente nesta caminhada junto com o IBI. Quanto mais pessoas, mais conhecimento, mais força”, destacou Elton de Souza Góes, presidente do IBI.

 

Alto nível

Sob o tema central “A relevância da impermeabilização na construção civil”, o simpósio recebeu 83 resumos e, após serem submetidos à avaliação da comissão técnica composta por 13 especialistas das principais empresas do setor, 40 foram selecionados e seus autores enviaram o trabalho completo para avaliação do comitê científico. Destes, 18 foram aprovados para apresentação no evento. Divididos em cinco sessões técnicas, abordaram os temas Proteção Estrutural, Obras Especiais, Novas Tecnologias, Conservação de Patrimônio e Científico.

 

“O nível dos trabalhos recebidos foi tão alto que a comissão teve que se desdobrar para escolher os que seriam mostrados no simpósio. Depois foi outra dificuldade para premiar os três melhores tamanha qualidade das apresentações. Mas, ao final, a certeza é que conseguimos atingir o objetivo ao mostrar ao mercado as melhores práticas da área da impermeabilização. É uma contribuição necessária e que precisa ser constantemente oferecida para que o setor siga evoluindo”, enfatizou José Miguel Farinha Morgado, coordenador do simpósio.

 

Para quem fez a história

Outro ponto alto da 14ª edição do Simpósio Brasileiro de Impermeabilização foi a homenagem prestada pelo IBI aos ícones que ajudaram a construir a história do Instituto: Félix Hacker, João Gonçalves (in memoriam), João Leondarides, Jorge Zubelli (in memoriam), Maria Amélia Silveira, Pedro Lui (in memoriam), Sérgio Borovik, Zeno Pirondi (in memoriam) e OG Pozzoli, que discursou ao final da entrega das placas representando todos os reverenciados. Secretária por mais de 20 anos da entidade, Onésia Liberal de Brito, também recebeu as honras do IBI.

 

Os ganhadores

Os artigos aprovados foram apresentados durante o simpósio para uma banca avaliadora que premiou os três melhores cases e indicou uma menção honrosa. Todos levaram para casa cheque e certificado. O primeiro lugar, com prêmio de R$ 7.000,00, ficou com Jaqueline Zubelli Guimarães pela apresentação do trabalho “Estruturas enterradas sujeitas a ação de lençol freático: o desafio de torná-las estanques”.

 

Ernani Camargo Porcello, com o estudo “As providências nos projetos de impermeabilização e de instalações após a identificação das interferências”, arrebanhou a segunda colocação e o prêmio de R$ 5.000,00.

 

Luiz Fernando Bernhoeft faturou o terceiro lugar e levou R$ 3.000,00 com sua “Apresentação de dados referentes a manifestações patológicas ligadas a impermeabilização em edificações com data de entrega inferior a 5 anos na região metropolitana do Recife”.

 

José Eduardo Granato foi contemplado com menção honrosa e prêmio de R$ 1.000,00por seu artigo “Reforço secundário de proteção mecânica sobre impermeabilização utilizando macrofibra sintética”.

 

Para obter a íntegra dos trabalhos premiados - e os demais apresentados - basta entrar em contato com a organização pelo e-mail: simposio2015@ibibrasil.org.br.

 

 

Informações para imprensa:

Erica Munhoz: (11) 99994.1895 - erica@viapublicacomunicacao.com.br

Taís Augusto: (11) 4423.3150/99642.7274 - tais@viapublicacomunicacao.com.br


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »