22/07/2015 às 14h00min - Atualizada em 22/07/2015 às 14h00min

Pesquisa da Regus aponta: sucesso do trabalho remoto depende de treinamento gerencial especializado

RMA Comunicação

O trabalho flexível é cada vez mais valorizado por executivos sêniores em âmbito global, de acordo com pesquisa da Regus – líder mundial em soluções flexíveis de espaços de trabalho – que entrevistou mais de 44.000 executivos nesta posição em mais de cem países. Dados específicos do Brasil, mostram que 64% dos gestores sêniores apoiam o modelo de trabalho flexível. No entanto, para 89% dos respondentes brasileiros é preciso treinamento específico para que se obtenha resultado positivo no gerenciamento de uma equipe de trabalhadores remotos.

Dados da pesquisa também mostram a necessidade de reuniões presenciais ao menos uma vez por mês (entre equipes e gestores), conforme imagem abaixo.

Com relação ao monitoramento de performance dos trabalhadores remotos, o levantamento aponta que:

• 85% dos entrevistados brasileiros acreditam que trabalhadores remotos devem estar abertos para o uso de sistemas tecnológicos que acompanhem e gerem métricas da atividade de trabalho desenvolvida;

• 87% opinaram que os mesmos sistemas de TI devem ser usados para medir também a produtividade do trabalhador;

• Quase todos (91%) pontuam que os trabalhadores remotos devem ser medidos e mais recompensados sobre os resultados produzidos do que simplesmente pelo tempo de trabalho.

Ainda que tenha sido enfatizada a importância de um treinamento específico para os gestores que administram equipes remotas, as vantagens para os negócios que já permitem o trabalho remoto são de grande notoriedade. 68% dos respondentes brasileiros confirmam que as empresas de seus mercados de atuação têm feito uso do trabalho flexível como benefício e estratégia de contratação e retenção de talentos. Uma maneira de estimular a flexibilização é fornecer locais de trabalho que sejam perto de onde moram seus colaboradores e em um ambiente livre de distrações.

“Com esses benefícios, tanto para o time de empregados quanto para os seus gestores, não há dúvidas de que os negócios globais impulsionem um crescimento cada vez maior do trabalho remoto. Mas também é certo, no entanto, que a gestão continua focada e empenhada em manter os níveis de produtividade e os pontos de contato entre as equipes e gerentes – o que pode ser alcançado quando se oferece aos colaboradores ambientes estruturados, com tecnologia, altamente profissionais e sem as distrações do home-office, por exemplo”, afirma Otávio Cavalcanti, diretor da Regus no Brasil.

Sobre a Regus

A Regus é provedora global de ambientes de trabalho.

Sua rede de mais de 2.300 centros de negócios em 106 países fornece espaços convenientes e de alta qualidade para as pessoas trabalharem, seja por alguns minutos ou alguns anos. Empresas como Google, Toshiba e GlaxoSmithKline escolheram a Regus para que eles possam trabalhar de forma flexível e tornar seus negócios mais bem-sucedidos.

A chave para o trabalho flexível é a conveniência e, pensando assim, a Regus está onde quer que seja que seus 2,1 milhões de membros querem apoio - seja no centro da cidade, bairros periféricos, centros comerciais e lojas de varejo, estações ferroviárias, postos de serviços em estradas e até mesmo em centros comunitários.

Fundada em Bruxelas, na Bélgica, em 1989, a Regus fica baseada em Luxemburgo e está listada na Bolsa de Valores de Londres. Para mais informações, visite: www.regus.com.br

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »