15/06/2015 às 23h38min - Atualizada em 15/06/2015 às 23h38min

Floriano Pesaro e equipe participam da Campanha 'Junho Vermelho'

Político aderiu à iniciativa com o objetivo de conscientizar os cidadãos sobre a importância da doação de sangue

Ricardo Viveiros & Associados – Oficina de Comunicação

Hoje, dia 15 de junho, o Secretário Estadual do Desenvolvimento Social, Deputado Federal Floriano Pesaro (PSDB/SP) e sua equipe fizeram uma doação de sangue para a campanha “Junho Vermelho, de autoria do movimento “Eu Dou Sangue pelo Brasil”.

Vale lembrar que, no mês de junho, os principais pontos históricos e monumentos da cidade de São Paulo, Curitiba e Brasília estarão iluminados em vermelho. Isso acontece por conta da campanha.

 

Para fazer parte, o interessado deve postar usando a hashtag #EuDouSangue.

 

A origem do movimento

Criada a partir da parceria entre o movimento "Eu Dou Sangue pelo Brasil" e diferentes instituições dos setores público e privado, a iniciativa "Junho Vermelho" tem por objetivo incentivar as pessoas a doarem sangue como um hábito constante. "Em épocas de campanhas, os hemocentros têm pequenas altas em seus estoques. No entanto, o fluxo de doações não se mantém. As bolsas de sangue coletadas são divididas em três partes: hemácias, plasma e plaquetas e cada hemo-componente têm um prazo de validade diferente. De uma forma geral, a oferta é sempre inferior à demanda", explica uma das idealizadoras da ação, Debi Aronis.

 

A ideia surgiu em 2011, quando Debi e sua irmã Diana Berezin lançaram o movimento no estado de São Paulo. Três anos depois, a iniciativa foi estendida para todo o território nacional. "Somente quem vive a dificuldade de conseguir sangue sabe a importância das doações. Depois de sentir na pele o que é isso, decidimos disseminar e promover a conscientização para que esse se torne um hábito na vida do brasileiro", explica Debi.

 

Com a chegada do inverno, o número de doações cai ainda mais. "A queda de temperatura, o aumento das infecções respiratórias e outras enfermidades fazem com que as doações diminuam em média 30%. Além disso, com o período de férias há um aumento no número de acidentes nas estradas, o que pressiona ainda mais os estoques dos hemocentros", observa Diana. "Não há um material substituto. Em caso de cirurgias ou tratamentos, só se pode contar com a solidariedade dos doadores", pontua.

 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a recomendação é que, no mínimo, 5% da população seja doadora. No Brasil, essa porcentagem não chega aos 2%. Em 2014, foram coletadas cerca de 3,6 milhões de bolsas de sangue, quantidade responsável por 3.127.957 transfusões ambulatoriais e hospitalares. São Paulo é o estado com o melhor índice de doações em todo o país, correspondendo a 25% do total. Todavia, segue muito abaixo do padrão internacional.

 

Para conscientizar a população sobre a necessidade de elevação desses indicadores, o movimento "Eu Dou Sangue pelo Brasil" decidiu marcar de vermelho o dia a dia dos brasileiros. Desta forma, em parceria com o poder público, a iniciativa privada e a sociedade civil das respectivas cidades e Estados, diferentes monumentos de São Paulo, Curitiba e Brasília serão iluminados em vermelho, durante as noites do mês de junho. A previsão é que outras cidades passem a aderir à iniciativa. Veja abaixo a lista:

 

São Paulo:

• Viaduto do Chá

• Biblioteca Mario de Andrade

• Ponte das Bandeiras

• Monumento às Bandeiras

• Estátua do Borba Gato

• Câmara dos Vereadores

• Sala São Paulo

• Sede da Secretaria de Desenvolvimento Social

• Sede da Secretaria de Saúde

• Fonte do Parque do Ibirapuera

• Instituto do Câncer - ICESP

• Memorial da América Latina

• FIESP

• Assembléia Legislativa do Estado de SP

 

Curitiba:

• Teatro do Paiol

• Teatro Novelas Curitibanas

• Casa Hoffman

• Capela Santa Maria

• Memorial de Curitiba

·    Jardim Botânico

 

Brasília:

• Ministério da Saúde - DF


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »