09/06/2015 às 14h44min - Atualizada em 09/06/2015 às 14h44min

Brasil o país de todas as religiões ?

Conversamos com o Babalorixá Marcelo de Xangô que luta contra a intolerância religiosa

Leonardo Almeida - Assessoria de Imprensa

O Brasil é um país com paz religiosa, mas é desafiado cada vez mais quando observamos religiões de ancestralidades africanas, que são os alvos freqüentes. Um país mestiço, cujas fronteiras avançam umas sobre as outras, com notório sincretismo, doutrinas e ritos. Nessa mistura cultural e religiosa diversos conflitos se instalam, gerando visões distorcidas de expressões da fé, negando assim, a miscigenação de nossa cultura, vinda grande parte da África. Os cantos, os toques, a comida, danças e influências da negritude que pairam nessa terra guardam uma riqueza cultural imensurável. Historicamente, a construção da nossa identidade fez com que o Brasil se tornasse um país negro em cor, forma e conteúdo.

A destruição de terreiros, ofensas, invasões e manifestação de ódio e intolerância mostram o retrocesso de parte da sociedade brasileira que teima em contestar a diversidade cultural de um país formado da intensa mistura de etnias. Por esse motivo, a luta das comunidades tradicionais e como de fato acontecem os rituais, a representação do sagrado e toda riqueza cultural ficam escondidos por uma sociedade ocidental de predominância cristã. Para o Babalorixá Marcelo de Xangô Agodô em nossa sociedade, sempre foi negado à cultura vinda da África, retirando a identidade do negro para justificar marginalização de suas crenças.  

Babalorixá Marcelo de Xangô

Babalorixá Marcelo de Xangô

Segundo ele, as religiões de matriz africana foram demonizadas pela sociedade cristã branca e patriarcal e até hoje as pessoas reproduzem esse discurso de macumba, feitiçaria e magia negra, o que explicita ainda mais o racismo. “Somos de uma cultura milenar, viva e resistente nos dias de hoje, queremos respeito a nossa cultura, não queremos mais nos esconder. Para mudar essa realidade, devemos ganhar espaços nas mídias para apresentarmos o que temos de melhor, que é a nossa tradição.“A beleza das tradições afro-brasileiras não é mostrada porque não temos espaço na mídia para exibir o que os povos de terreiro têm de melhor”.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »