19/05/2022 às 13h47min - Atualizada em 19/05/2022 às 14h04min

Como os líderes de diferentes gerações encaram dilemas profissionais?

Sputnik tem trabalhado a integração de times multigeracionais dentro das empresas potencializando a inclusão, a produtividade e principalmente a inovação

SALA DA NOTÍCIA PinePR
Freepik
 

Um dos grandes desafios das empresas atualmente tem sido lidar com quatro gerações distintas compartilhando o mesmo ambiente profissional. Por mais que as tensões entre pessoas de diferentes idades existam dentro e fora do mundo corporativo, esse é um encontro que pode e deve ser aproveitado pelas empresas. A Sputnik, uma das maiores escolas corporativas do Brasil, tem auxiliado as organizações com a integração de times multigeracionais, potencializando a inclusão, a produtividade e principalmente a inovação.

Enquanto a geração Z chega com crenças fortes e bandeiras a serem levantadas, profissionais mais velhos seguem na tentativa de mostrar que merecem respeito pela experiência que conquistaram ao longo de sua carreira. Além disso, de um lado vemos uma geração que já nasceu conectada e ambientalizada no mundo tecnológico, e do outro lado temos uma outra que teve que aprender do zero o beabá digital. E como os líderes de diferentes gerações encaram esses dilemas?

As jovens lideranças chegam nesse momento para implementar uma nova cultura de trabalho e gestão, enquanto lideranças já consolidadas têm o desafio de renovar seus conceitos e práticas."O papel da Sputnik nesse contexto tem sido o de auxiliar as empresas a superarem esses desafios. O mundo corporativo precisa se habituar com a longevidade, e isso implica em entendê-la de forma mais integrada e   cooperativa.” explica Mari Achutti, CEO da Sputnik.

Esse mix de gerações já é uma realidade e os profissionais 50+ são uma fonte essencial para a inovação no ambiente corporativo. Segundo o relatório da VitalSmart, apesar de 91% dos respondentes afirmarem que suas organizações empregam funcionários de pelo menos três gerações diferentes, ainda assim 79,99% dizem que não têm uma estratégia definida para lidar com as diferenças geracionais de seus times, o que pode resultar em casos de etarismo e até mesmo prejudicar a produtividade das equipes. Para Achutti, quando as organizações entenderem esse encontro entre as idades como uma forma de integração e não como um conflito, aí teremos um equilíbrio geracional. “Em um mundo cada vez mais volátil, habilidades técnicas e socioemocionais são cada vez mais exigidas, e pessoas de diferentes idades são uma fonte muito rica para tais aprendizados.” finaliza Achutti. No último dia 18, a Sputnik reuniu líderes e especialistas do mercado para abordar o assunto em uma aula aberta do curso JUNTOS, uma jornada imersiva sobre o potencial da diversidade etária.
 

Sobre a SPUTNiK

Fundada em 2014 e parte do Grupo Perestroika, a SPUTNiK é uma das maiores escolas corporativas do Brasil e leva às empresas conteúdos relevantes de maneira original e disruptiva. Seus serviços carregam conceitos, ferramentas e reflexões alinhados a valores contemporâneos, e podem ser explorados por  meio de palestras, cursos, experiências e workshops presenciais e online. Atualmente, já formaram mais de 34 mil alunos e impactaram mais de 350 empresas, entre elas estão Google, Facebook, Globo, Boticário e Ambev.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »