27/05/2015 às 16h05min - Atualizada em 27/05/2015 às 16h05min

Aliança finaliza investimento em novos navios da cabotagem e foca em infraestrutura operacional

Empresa opera os maiores porta-contêineres no serviço costeiro no Brasil, com capacidades que variam de 3.800 a 4.800 TEUs.

DFreire Comunicação e Negócios

A Aliança Navegação e Logística, empresa do Grupo Hamburg Süd, após finalizar o investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 novos porta-contêineres, os maiores a operar no transporte costeiro no Brasil, com capacidades que variam de 3.800 a 4.800 contêineres, direcionará o foco para infraestrutura operacional terrestre.

Como estratégia, a Aliança criou a ATM - Aliança Transporte Multimodal para atender às necessidades do mercado com ênfase maior no transporte terrestre. A empresa ampliou sua infraestrutura para recebimento, armazenagem, paletização, consolidação, desconsolidação e entrega de cargas a partir dos portos de Itapoá, em Santa Catarina e Chibatão, em Manaus.

De acordo com Julian Thomas, diretor-superintendente da Aliança, após a renovação da frota, em 2015 a empresa disponibilizará a infraestrutura operacional necessária para garantir o nível de serviço no transporte multimodal e na geração de serviços de alto valor agregado às cadeias logísticas dos clientes. “Assim, pretendemos alcançar um crescimento de volume em torno de 10% em relação ao ano passado”, afirma.

Outro foco importante da Aliança para o ano é aumentar ainda mais a atuação da empresa no transporte de cabotagem de carga de projeto. Em 2014, a empresa afretou um navio do tipo multipropósito para carregar equipamentos com grandes dimensões e volumes, entre eles, transformadores, reatores, turbinas, entre outros. Nomeado de “Aliança Energia”, o navio tem capacidade para transportar, aproximadamente, 19 mil toneladas de carga e é equipado com três guindastes, que juntos podem içar peças de até 800 toneladas.

Aliança Navegação e Logística

A Aliança Navegação e Logística foi fundada em 1950 por Carl Fisher. Em 1998, a empresa foi adquirida pelo Grupo Oetker, também proprietário da Hamburg Süd. Em 1999, a Aliança retoma o transporte de cabotagem no Brasil, que até então era subutilizado.

Entre 2013 e 2014, a Aliança reestruturou sua frota de cabotagem com um investimento de R$ 700 milhões na compra de 6 navios porta-contêineres com capacidades que variam de 3.800 TEUs a 4.800 TEUs. Atualmente, a empresa conta com 13 navios em operação no serviço, com amplo atendimento em 15 portos de Buenos Aires até Manaus, e um total de 104 escalas mensais.
   
A Aliança é market leader na cabotagem e possui uma carteira de clientes que vai do arroz ao zinco, com grandes, pequenas e médias empresas e em praticamente todos os segmentos do mercado, com destaque cada vez maior para os segmentos de bens de consumo duráveis. No ano passado, obteve um faturamento de R$ 3,6 bilhões e movimentou 710 mil contêineres.
 
A empresa tem forte atuação no mercado externo, com 25 navios porta-contêineres que fazem a rota internacional, distribuídos em 9 serviços. Além disso, oferece o transporte de granéis (fertilizantes, grãos e minérios), onde são utilizados 8 navios com capacidade que vão de 38 mil toneladas a 45 mil toneladas. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »