23/05/2015 às 00h17min - Atualizada em 23/05/2015 às 00h17min

Falta de água é problema crônico na Zona Leste de São Paulo

Comunicação vereador Laércio Benko

Ontem (21/05) aconteceu a audiência pública da CPI da Sabesp em São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo, comandada pelo Vereador Laércio Benko. Cerca de 30 pessoas de vários bairros da região participaram da reunião. O objetivo da audiência, segundo o presidente da CPI, é conhecer as histórias dos cidadãos e levar suas demandas para que a Sabesp tome as devidas providências.
Dorcas Freitas, organizadora da audiência, disse aos presentes que aquele era o momento e espaço para desabafar. Hoje eles têm respaldo do vereador que vai buscar agilizar as soluções para o problema. Segundo ela, a Sabesp fala que o bairro é alto e que apenas reduz a pressão da água, mas a verdade é que a torneira secou.

“Não tem nem fiozinho, a água acaba 11h30 e volta 4h30 da manhã. Quando chega, a água não tem força suficiente para subir. O que fazer? Idosos e acamados ficam sem banho. É uma luta muito grande”.

“Os moradores ficaram com medo de participar dessa audiência, pois ontem a Sabesp passou aqui colocou relógio de graça e deu caixa d'água. As pessoas estão com medo de censura por parte da Sabesp”, afirmou Dorcas. “Aumentou a conta sem ter água, diferente da luz que aumentou mas não acaba.Todos têm o mesmo problema”.

A moradora Mara Rubia, recém-operada, disse está precisando de água para fazer seus curativos e não tem para usar. Já Ana Lúcia afirmou que só tem duas horas de água por dia e que faz um ano que não lava quintal.A moradora Socorro não lembra quando foi a última vez que não faltou água em sua casa. Zezinha, do Itaim Paulista, foi à reunião para dizer que no bairro dela, a água acaba todo dia e quando ela chega do trabalho não tem pra tomar banho.

Vitor Justiniano tem medo de reclamar e a Sabesp tirar o pouco de água que lhe resta. O senhor Ernesto da Silva, de 71 anos, disse que falta todo dia e às 9h30 não tem mais água. Ele acha que os políticos não pensam nos moradores. Ele tem dois doentes idosos em casa e não tem como cuidar da sua mulher de 71 anos e cunhada de 103 anos sem água. Ele diz que está pagando ar e que se não pagar a conta, a Sabesp manda cortar o restinho de água que tem na casa.

Laércio Benko afirmou que está enfrentando várias forças políticas poderosas para tentar reverter a crise de água. “O Governador diz que a culpa é de São Pedro, mas o que seu governo faz é desperdiçar água e usá-la de forma equivocada.Em 2011, choveu muito e se desperdiçou água e vem o governador dizer que não está faltando nada. É um absurdo”, pontuou o vereador


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »