19/05/2015 às 09h44min - Atualizada em 19/05/2015 às 09h44min

Viva e Deixe Viver inicia treinamento em Salvador e fecha parceria com a UNEB

O curso de formação de voluntários contadores de histórias acontecerá aos sábados, a partir do dia 23 de maio. Já a parceria com a UNEB terá um curso do Viva para os estudantes da universidade.

Oficina da Palavra

A Associação Viva e Deixe Viver iniciará o Curso de Contação de Histórias 2015, na Bahia, no dia 23 de maio, abrindo uma programação que se estenderá até 26 de outubro, com a formatura dos novos voluntários, coincidindo com a realização do Fórum de Humanização da Saúde. O primeiro encontro será realizado das 8h às 12h, no Hospital Geral do Estado (HGE), em Brotas, Salvador.

Claudia Guimarães, uma das coordenadoras da Viva na capital baiana, manifesta sua expectativa para ampliar a equipe responsável por levar alegria a crianças e adolescentes hospitalizados, ajudando-os a enfrentar a doença. Ela reforça o convite: "Ser um contador de historias é compartilhar um texto, envolvendo todos os ouvintes a viver um personagem. Viva! Vem ser um voluntário”.

Para ser voluntário da Associação Viva e Deixe Viver, é necessário preencher os seguintes requisitos: conhecer e concordar com a missão, causa, princípios e visão da entidade; ter idade superior a 18 anos; ter disponibilidade para atuar uma vez por semana durante 2 horas no hospital e participar de oficinas de capacitação, que ocorrem uma vez por mês, para aperfeiçoamento da atividade de contar histórias; pesquisar e manter-se atualizado sobre literatura infantil; gostar de ler e ter disponibilidade para estudar livros infantis, pois as atividades desenvolvidas no hospital são baseadas exclusivamente da apresentação de histórias; saber que o trabalho voluntário não será considerado como um estágio; e não buscar colocação profissional nos hospitais parceiros.

O processo de seleção/capacitação compreende palestras, vivências, dinâmicas e treinamento nos hospitais, com o objetivo de avaliar alguns requisitos essenciais para atuar no ambiente hospitalar e a disposição do candidato em realizar trabalho voluntário com compromisso e responsabilidade. A participação em todas as fases do treinamento é obrigatória e o candidato que faltar a qualquer uma delas será eliminado do processo seletivo.

Programação:

  • 23 de maio - Planejamento Pessoal e Administração do Tempo. Diário do Contador de História

Local: Hospital Geral do Estado (HGE)

Endereço: Ladeira do Hospital Geral, s/n, Brotas, Salvador (BA)

Horário: 8h às 12h
 

  • 30 de maio - Fundamentos Filosóficos do Voluntário Contemporâneo
  • 20 de junho - Formação de Leitores e Contação de Histórias, Ambientação Hospitalar / Mundo da Saúde
  • 18 de julho - Processo de Morrer e Morte / Lidando com as Perdas
  • Agosto – Três Vivências e Conversa Viva Assumindo o seu Contador de História – Teatro Grió, Tranludus, Brahma Kumaris, Anjos da Enfermagem
  • 26 de outubro – Formatura "Celebrando a Arte de Ler, Brincar e Contar Histórias"
  • 26 de outubro - Fórum de Humanização da Saúde

As inscrições são gratuitas. Aos voluntários que concluírem o curso será cobrado o valor de R$100,00, referente ao crachá personalizado e o direito de uso do jaleco pelo período em que exercer a função de contador de histórias, pois este vestuário pertence à organização.

Para saber mais, basta fazer contato pelo e-mail: vivaedeixeviver.ba@gmail.com

Parceria com a UNEB

Por meio de um acordo de cooperação firmado em março entre a Associação Viva e Deixe Viver e a Universidade do Estado da Bahia (UNEB), novos voluntários contadores de história serão capacitados naquele estado, nos próximos cinco anos. O documento estabelece a realização do curso de extensão “A arte de contar histórias e do brincar no âmbito da Saúde e da Educação” destinado a estudantes ligados ao Departamento de Ciências da Vida da UNEB.

Os voluntários atuarão em quatro hospitais que já são parceiros da Viva:

  • Obras Sociais Irmã Dulce - Coordenadora: Rosangela Paraiso
  •  Hospital Geral do Estado da Bahia (HGE) - Coordenadores: Loide Bonina e Edivaldo Alcântara
  • Hospital Geral Roberto Santos - Coordenadora: Claudia Guimarães
  • Hospital São Rafael – Coordenadora: Viviane Santo

Caberá à UNEB, entre outras atribuições, fornecer espaço físico e equipamentos para a realização do curso, fazer a divulgação nos veículos de comunicação internos e aos públicos de interesse e certificar os participantes. A Viva e Deixe Viver deverá corresponsabilizar-se pela organização e realização do curso de extensão, assim como pelo conteúdo teórico e prático da programação, além de produzir a comunicação a ser veiculada no campus da UNEB. Ambas as parceiras ainda cuidarão da realização e divulgação de pesquisas.

Sobre a Associação Viva e Deixe Viver - www.vivaedeixeviver.org.br - Fundada em 1997, pelo paulistano Valdir Cimino, a Associação Viva e Deixe Viver é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que conta com o apoio de voluntários que se dedicam a contar histórias para crianças e adolescentes hospitalizados, visando transformar a internação hospitalar num momento mais alegre, agradável e terapêutico, além de contribuir para a humanização da saúde, causa da entidade. Hoje, além dos 1.245 fazedores e contadores de histórias voluntários, que visitam regularmente 92 hospitais em todo o Brasil, a Associação conta com o apoio das empresas Mahle Metal Leve, Pfizer, Mattos Filho Veiga Filho Marrey Jr. e Quiroga Advogados, Volvo e Bradesco.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »