08/05/2015 às 08h16min - Atualizada em 08/05/2015 às 08h16min

Racionalização dos custos no mercado de aeronaves

Proprietário de jatos e helicópteros pode otimizar gastos com melhor administração

Ex Libris Comunicação Integrada

Manter uma aeronave à disposição pode representar um custo de difícil absorção para corporações nesses tempos de ajustes econômicos. Com o objetivo de racionalizar os investimentos com jatos e helicópteros, sem comprometer a segurança do voo, algumas companhias já buscam a assessoria especializada na hora de administrar suas aeronaves.

 

Eduardo Noronha, engenheiro formado pelo ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) e sócio da Vinci Aeronáutica, empresa de consultoria na compra, venda e administração de aviões e helicópteros, reforça que a única maneira legal de se vender horas de voo de aeronaves para terceiros é através da inclusão da mesma em uma companhia de táxi aéreo. Entretanto, ele alerta para as obrigações estabelecidas pelos órgãos reguladores brasileiros do setor. “Se você tem uma aeronave, não pode vender horas de voos sem adotar algumas medidas”, aponta.

 

Algumas delas são mais restritivas do que se a operação fosse apenas privada e representam custo adicional. “É uma troca. Os requisitos se tornam um pouco mais restritos. Em contrapartida, o proprietário consegue amortizar parte ou todo o custo de operação de seu jato ou helicóptero através das horas vendidas para terceiros”, ressalta Noronha. Para algumas aeronaves, bastam 20 horas de voo vendidas por mês para que uma companhia consiga reduzir em até 100% dos seus desembolsos com a sua operação. Noronha exemplifica com um helicóptero monoturbina pequeno, com viagens comercializadas a R$ 4 mil a hora voo. “Se vender 25 horas por mês, o faturamento já cobre todo o desembolso da companhia com a operação da aeronave”, analisa.  

 

Mesmo em um mercado com fornecedores exclusivos, é possível buscar a negociação de alguns itens, como hangares com valores menores e melhores contratos de seguros. “Mesmo para manutenção, o mercado oferece várias oficinas homologadas. Um administrador do setor pode oferecer alternativas que tragam melhor benefício financeiro, sem diminuição dos níveis de segurança”, afirma Noronha.

 

Uma boa alternativa para os proprietários de aeronaves é o planejamento da manutenção. “O planejamento adequado da manutenção traz várias vantagens para o proprietário, além de conseguir adequar seu fluxo de caixa às necessidades de desembolsos, ele pode aproveitar oportunidades de economia, seja utilizando slot (tempo vago) da oficina, até o melhor planejamento da logística de peças quando for agendar a sua manutenção”, aconselha o engenheiro. Segundo ele, essa administração permite ainda que se faça a manutenção durante o período em que a aeronave não está sendo utilizada pelo proprietário. “Em vez de parar a aeronave para uma manutenção que irá demandar 30 horas de trabalho, você pode conseguir dividir esse serviço em cinco visitas à oficina com módulos 6 horas de trabalho”, orienta.

 

A empresa

Criada para prestar consultoria na compra, venda e administração de aeronaves, a Vinci Aeronáutica conta com a experiência combinada de mais de 16 anos de seus sócios no mercado de aviação. A empresa oferece aos seus clientes uma abordagem consultiva com uma solução única para cada cliente. Confira o site da empresa: www.vinciaero.com


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »