16/04/2015 às 23h43min - Atualizada em 16/04/2015 às 23h43min

Governador Alckmin e Federação Paulista de Futebol lançam a campanha “SP Contra o Racismo”

Entre as ações, os torcedores serão convidados a dar um cartão vermelho ao preconceito nas finais do Campeonato Paulista

Federação Paulista de Futebol
Edson Lopes Jr.

Considerada a maior paixão nacional, o futebol tem sido palco de inúmeras manifestações racistas. Para reforçar o combate à discriminação, o Governo do Estado de São Paulo e a Federação Paulista de Futebol lançaram nesta quinta-feira, 16, a campanha “São Paulo Contra o Racismo”, um projeto concebido pela Coordenação de Políticas para a População Negra e Indígena, da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania.

“Hoje começa uma grande campanha contra o racismo no esporte”, disse Alckmin, frisando que o preconceito é o oposto ao espírito esportivo e olímpico. “É incompatível. E São Paulo é uma terra cosmopolita, da miscigenação e da multicultura racial. Temos o dever de dar exemplo para o Brasil”, destacou o governador, durante a cerimônia de lançamento, no Palácio dos Bandeirantes.

A ação tem como objetivo conscientizar a população de que qualquer forma de discriminação é crime. O Estado de São Paulo é o primeiro a ter uma legislação (Lei 14.187/10) que pune administrativamente a discriminação por raça ou cor.

Na entrada dos dois jogos da final do Campeonato Paulista um cartão vermelho será distribuído ao público para ser usado durante as partidas. Na parte da frente, o cartão exibirá o logo da campanha e a hashtag #SPCONTRAORACISMO. No verso, haverá uma explicação e um texto voltado ao torcedor para que ele também "faça parte desse time" e "dê um cartão vermelho para o Racismo". O locutor nos estádios convidará a todos a erguerem o cartão em sinal de apoio à campanha, em diversos momentos das partidas. No total, 80 mil cartões vermelhos serão entregues aos torcedores para que combatam diariamente o preconceito.

Antes dos jogos da grande final, a campanha já poderá ser vista nas duas partidas semifinais do campeonato, neste domingo, 19. Os jogadores dos quatro times semifinalistas entrarão em campo vestindo a camiseta da campanha, com a estampa “São Paulo Contra o Racismo”. O logo também estará presente na bola dos jogos, na camisa dos árbitros e nas braçadeiras dos capitães, com o apoio da Penalty, parceira da FPF. O placar eletrônico dos estádios, as placas e a faixa de campo também exibirão a hashtag da campanha.

“Os dirigentes dos clubes foram muitos receptivos e abraçaram a iniciativa imediatamente”, disse a coordenadora de Políticas para a População Negra e Indígena, Elisa Lucas Rodrigues. A coordenadora da Secretaria da Justiça, que articulou a campanha desde o início, comemorou o engajamento dos times, sem distinção: “Assim que souberam da campanha, os jogadores aceitaram gravar um vídeo com depoimentos para a campanha. Foram 78 depoimentos”. Cinco clubes já estão participando da campanha: Sport Clube Corinthians Paulista, São Paulo Futebol Clube, Sociedade Esportiva Palmeiras, Santos Futebol Clube e Associação Atlética Ponte Preta. Outros times ainda podem aderir.

A campanha conta com 17 comerciais que serão veiculados na internet e nas redes sociais, com depoimentos dos jogadores desses cinco clubes. Bruno Henrique, Fabio Santos e Gil do Corinthians; Arouca, Cristaldo e Vitor Hugo do Palmeiras; Elano, Ricardo Oliveira e Gabriel do Santos; Rogério Ceni, Ganso e Luis Fabiano do São Paulo; e Marcelo Lomba, Ivan Quaresma e Biro Biro da Ponte Preta, entre outros jogadores, convocam a todos nos vídeos para darem um cartão vermelho ao racismo. Os vídeos podem ser vistos no canal do Governo de São Paulo: www.youtube.com/governosp.

“Logo que fomos procurados pela Secretaria da Justiça, achamos a ideia excelente. O futebol paulista é um dos principais do país e uma campanha dessas irá colaborar muito para que o preconceito diminua nos estádios”, disse o novo presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »