03/03/2015 às 19h05min - Atualizada em 03/03/2015 às 19h05min

Kiusam de Oliveira reconta a história de “O Mundo no Black Power de Tayó”

No Dia Internacional da Mulher a escritora bate papo sobre racismo, discriminação e preconceito na Casa das Rosas com entrada franca

FB Imprensa
Assessoria de Imprensa

Temos acompanhado o aumento de práticas racistas e sexistas, como o caso de professoras e diretoras de escolas que proibiram a entrada de crianças negras com o penteado conhecido como “Black Power”.

 

Kiusam de Oliveira ativista do movimento negro e feminista luta diariamente contra o preconceito, o racismo principalmente com crianças e adolescentes. Com um currículo extenso e focado na educação, a escritora, dançarina, professora e doutora em educação realiza palestras por todo o Brasil e através da contação de histórias e bate papos com música e interatividade das crianças, ela vem transformando vidas país a fora.

 

Torna-se fundamental discutirmos as questões voltadas à educação das relações étnico-raciais. E se podemos fazer isso de forma lúdica, melhor ainda.

 

A escritora ira recontar a história do livro “O mundo no Black Power de Tayó” (indicado pelos direitos humanos como um dos livros mais importantes para a formação e educação das crianças no país) e logo em seguida acontecerá um bate-papo sobre discriminação, preconceito, racismo, estética e beleza negra, respeito e valorização humana.

 

O evento acontecerá no dia 8 de março (domingo) Dia Internacional da Mulher na Casa das Rosas, na Av. Paulista nº 37, Bela Vista a partir das 11h da manhã.

 

 

Serviço:

Contação de Histórias “O mundo no Black Power de Tayó”.

Com Kiusam de Oliveira e percussão de Paulo Silva

Dia: 8 de março de 2015 – Domingo

A partir das 11h

Av. Paulista, nº 37 – Bela Vista – São Paulo

Entrada Franca


Sobre Kiusam de Oliveira

Kiusam de Oliveira é artista multimídia, ativista do movimento negro e feminista, autora dos livros Omo-Oba: histórias de princesas (Mazza, 2009), O mundo no Black Power de Tayó (Peirópolis’, 2013), O mar que banha a ilha de Goré (Peirópolis’, no prelo) e Omo-Oba: histórias de príncipes (Global, no prelo), além de contadora de histórias, doutora em Educação e mestre em Psicologia pela Universidade de São Paulo. Especialista na temática das relações étnico-raciais, participa de conferências, congressos e simpósios. Atua também como bailarina, coreógrafa e professora de danças afro-brasileiras.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »