06/12/2021 às 18h33min - Atualizada em 07/12/2021 às 15h54min

Para ajudar na segurança da população, aplicativo VIU chega ao Rio de Janeiro

Inspirado em modelo norte-americano, app oferece ao cidadão a possibilidade de enviar e receber, em tempo real, informações que podem salvar vidas

SALA DA NOTÍCIA Redação

Os alarmantes índices de violência no Brasil, medidos por diferentes institutos, tornam a segurança um tema prioritário. De acordo com dados divulgados pelo Instituto de Segurança do Rio de Janeiro, apenas em abril deste ano, o estado contabilizou um aumento de 75% nos registros de violência, no comparativo com o mesmo mês do ano passado. Já  com relação ao período de janeiro a abril de 2020, o aumento foi de 15,7%. O índice inclui ocorrências como furtos, roubos, homicídios e pessoas desaparecidas. Se, por um lado, as políticas públicas de segurança, que dependem da ação direta do estado, precisam de constante aprimoramento, por outro, iniciativas de cidadãos têm buscado alternativas para responder a esse desafio.

 

Inspirada em modelos similares no mundo, que possibilitam transmissões ao vivo, pelo celular, de ocorrências policiais, roubos, incêndios e acidentes entre outros, a VIU foi criada em 2020 pelo norte-americano Jason Sprenger. Vencida a etapa de testes, o app está disponível no Rio de Janeiro desde outubro, inicialmente para usuários do sistema Android.

 

A criação da VIU foi uma resposta de Sprenger a uma situação de violência vivida por sua família no ano passado. Sua meta para o final de 2022 é contar com 1 milhão de downloads. O objetivo é acabar com a falta de transparência e aumentar a informação disponível, reunindo relatos de crimes e outras situações de emergência que possam colocar a vida e a segurança das pessoas em risco. 

 

“Queremos prover informação geolocalizada e relevante às pessoas sobre as ocorrências ao redor, e contribuir também diretamente nas tomadas de decisão dos órgãos públicos, além de permitir que policiais, bombeiros e socorristas compareçam ao local para ajudar possíveis vítimas”, explica o fundador. 

 

Em sua fase de testes a VIU possibilitou, por exemplo, o rápido socorro a um motociclista que teve o pescoço cortado por uma linha de pipa com cerol. Um dos usuários do aplicativo trafegava pela Linha Amarela, no sentido Barra da Tijuca, quando presenciou o grave incidente e, após acionar os socorristas, rapidamente transmitiu a ocorrência na plataforma, alertando outros usuários sobre o perigo e reforçando o pedido de socorro.

 

Recentemente um outro usuário cobriu um incêndio ocorrido na Rua da Passagem, em Botafogo, por mais de 20 minutos. Após o combate ao fogo pelos bombeiros, o incêndio retornou e a equipe da VIU comunicou prontamente ao Corpo de Bombeiros, que então retornou para controle do novo foco.

 

A VIU conta com transmissão ao vivo, o que torna a informação mais confiável,  dificultando a divulgação de notícias falsas. Todos os vídeos e fotos enviados passam por uma curadoria da equipe da plataforma, que verifica o conteúdo em tempo real e autoriza ou não que fiquem visíveis para o público geral. A ideia é evitar a proliferação de conteúdos explícitos, identificação não autorizada de pessoas ou inverdades. A plataforma garante também a confidencialidade dos seus usuários.

 

“O aplicativo permite o anonimato sem prejudicar a veracidade das informações e conta com uma interface simples e intuitiva, permitindo que o usuário inicie uma transmissão ao vivo fácil e rapidamente. A credibilidade dos fatos se dá por meio do acompanhamento de toda ocorrência denunciada”, finaliza Sprenger. O aplicativo tem notificações em tempo real e possibilita visualizar a lista de incidentes ou navegar pelo mapa.

 

Sobre a VIU

A VIU é uma plataforma de compartilhamento de informações de segurança, que tem como objetivo contribuir com a segurança pública, informando em tempo real as regiões que oferecem perigo. Criada em 2020 pelo norte Americano Jason Sprenger, a VIU está disponível para usuários de smartphones Android e residentes no Rio de Janeiro.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »