29/11/2021 às 17h48min - Atualizada em 29/11/2021 às 21h13min

Você vai se aposentar um dia?

Ademir Bueno (*)

SALA DA NOTÍCIA Ademir Bueno
Se você tem 25, 45 ou mais de 60 anos, deveria se preocupar com a resposta desta pergunta. Pois um dia, por bem ou mal, por vontade ou não, com saúde ou na ausência dela, você vai se aposentar ou terá que parar de trabalhar. E quanto mais tarde essa pergunta te inquietar, quanto mais velho você estiver, pior será o resultado que obterá ao tentar dar a resposta.

As pessoas no Brasil, de forma geral, sejam por nossa eterna condição de país em desenvolvimento, pela má qualidade de nossa educação para compreender os ciclos de vida, por teimosia ou ignorância, não se importam ou se preocupam em planejar seu futuro. Vão levando a vida como dá, enfrentando alguns percalços, de ordem pessoal e profissional, mas seguem trabalhando, no mercado formal e informal e, não gastam tempo, nem energia, para pensar e arquitetar um plano para os dias vindouros.

Será que as pessoas acham que terão a mesma disposição e vigor que se tem aos 20, 30 ou 40 anos para trabalhar horas a fio? Para suportar pressão ou para trabalhar com novidades tecnológicas?
Parece que sim! Visto que, em quase sua totalidade, os adultos com presença no mercado de trabalho formal e informal acham que serão eternos, sempre saudáveis e dispostos. Não torço pelo contrário, desejo que tenham vida longa e feliz para sempre. Mas no meio do caminho, nem tudo sempre sai conforme esperamos.

Não fomos formados durante nosso processo de educação formal para pensar nas questões de administração financeira pessoal, sobre planejamento ou empreendedorismo. E isso um dia, cobra seu preço. Um deles é a pessoa chegar numa fase da vida em que o que deveria ter sido feito há 10, 20 anos para ter alguma garantia na velhice já passou. E daí? Nunca é tarde para começar, mas nunca será igual se tivesse iniciado mais cedo a pensar na aposentadoria.

Uma parcela da população, especialmente os muitos jovens, quando questionados sobre como pensam suas aposentadorias, já sacam logo aquela frase que leram ou ouviram em algum blog ou canal na internet: “vou juntar meu primeiro milhão até os 30 anos, e isso sim será o início da minha pomposa aposentadoria”. Quem já passou dos trinta anos conta, ou eu mesmo conto para eles que não é bem assim. Juntar esse milhão não é para qualquer um. Apenas um percentual ínfimo dos que tentam e atuam arduamente para isso, conseguem. Triste notícia, mas pura realidade.

Já os profissionais de meia idade focam em trabalhar e responder ao que o mercado de trabalho espera deles, estudando, se qualificando e atuando. Mas dificilmente param e planejam seu futuro. Seguem apenas tentando sobreviver num mercado altamente competitivo e até injusto, pois depois dos 40 anos a vida para quem estiver em busca de recolocação não é tão fácil. Quando se dão conta, o tempo passou e não fizeram nada objetivamente para garantir uma vida mais tranquila quando não puderem ou quiserem trabalhar mais.

Assim, pensar na aposentadoria e um dia poder parar de trabalhar ou mudar radicalmente sua rotina não é um luxo, é uma necessidade. Planejar essa transição não é tarefa fácil, mas possível. Para tanto, se faz necessário, primeiro, tomar consciência desta necessidade, depois reservar um tempo na agenda sobrecarregada para planejar o que fará nos próximos anos ou décadas.

Algumas formas de encaminhar esse planejamento, é se interessar pelo assunto. Fazer leituras pertinentes, buscar ajuda na área de gestão de pessoas, se aconselhar com especialistas em aposentadoria ou contratar seus serviços para ser auxiliado no planejamento. Instituir um cronograma de ações com objetivos e metas a serem alcançadas nos próximos anos e décadas.

Outros caminhos possíveis, são economizar dinheiro sempre. Imprevistos acontecem e uma reserva, evita uma desestruturação financeira nestes momentos. Buscar aumentar o patrimônio com bens que possam gerar renda no futuro, é sempre uma opção.

Conhecer mais sobre os planos de benefícios das aposentadorias complementares e fazer escolhas com base em dados, e não em argumentos dos gerentes de banco, são outras possibilidades.
Assim, não perca tempo, gaste energia hoje para não sofrer as consequências daqui a alguns anos. Comece a trabalhar para que no futuro você seja o privilegiado que conseguirá se aposentar.

(*) Ademir Bueno é psicólogo, mestre em Sociologia e professor adjunto do curso de Administração do Grupo Educacional Uninter.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »