27/10/2021 às 15h23min - Atualizada em 28/10/2021 às 00h02min

Expo Dubai: um oásis de grandes negócios para o Brasil

A previsão de especialistas é que a participação brasileira atraia US$ 10 bilhões em investimentos do exterior

SALA DA NOTÍCIA AIs Comunicação e Estratégia Ltda
https://www.aiscomunicacao.com.br
Expo 2020 - Dubai
A Expo 2020 Dubai, edição da exposição universal itinerante, que foi adiada por quase um ano em decorrência da pandemia de Covid-19, teve início em um espaço digno da cidade conhecida pela arquitetura inovadora e imponente. Em uma área de quase 5 km², a mega exposição deve reunir cerca de 25 milhões de pessoas de todo o mundo até o final do evento, marcado para março de 2022.

Esta é a primeira vez que uma exposição mundial está sendo realizada em um país árabe, e o intuito é explorar a cultura, os avanços científicos e tecnológicos, além das inovações que impactarão as pessoas pelo mundo inteiro. Com o tema “Conectando Mentes, criando o Futuro”, a feira, que é o maior evento da área no mundo, reúne setores governamentais, privados e ONGs, e traz à tona temas como comércio, tecnologia, planejamento urbano, sustentabilidade, ciência, cultura, alimentação e economia. O Brasil é um dos 192 países que marcam presença no encontro.

"O espaço é incrível, com inovações tecnológicas e projetos de sustentabilidade. É muito mais do que o visual, a Expo Dubai se mostra como uma grande oportunidade de estreitamento de relações internacionais e captação de investimentos. Uma chance de ouro para atrair negócios e promover a nossa economia, em diferentes setores”, declara o consultor Leon Rangel, da equipe de Relações Governamentais da BMJ Consultores Associados, que está em Dubai desde o início do mês, participando do evento.

O Brasil, que soma 32 participações em exposições universais, oferece uma experiência sensorial, com o intuito de difundir formas sustentáveis de utilização dos recursos naturais. No pavilhão do País, localizado no setor de sustentabilidade do evento, são apresentadas inovações para o aproveitamento consciente de recursos ambientais e geração de energia renovável. Também está à disposição dos visitantes uma série de recursos visuais, como projeções, sons e aromas. Á água, é o elemento principal da mostra brasileira, representando nossos rios e recursos hídricos. O evento é uma grande oportunidade de divulgação de marcas e produtos nacionais.

De acordo com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a participação do Brasil na exposição pode atrair cerca de US$ 10 bilhões de investimento externo no País, gerando mais de US$ 500 milhões em exportações.

Um dos destaques da participação brasileira no evento é a exposição paranaense, que teve início no último dia 10. Durante a mostra, os visitantes que passam pelo local, têm a oportunidade de conhecer o potencial do agronegócio do Estado, bem como a geração de energia.

O Paraná foi eleito um estado sustentável pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o que justifica o destaque da federação no evento. As negociações entre o Paraná e os Emirados Árabes Unidos ultrapassaram os US$ 200 milhões em produtos, somente em 2020. Para os países árabes, o montante chega a US$ 1 bilhão no mesmo período.

A partir do dia 25 de outubro terá início a participação de São Paulo no evento, com destaque para a produção agrícola de alta qualidade e a tecnologia de produção de alimentos do Estado. Além disso, temas como segurança alimentar, agronegócio e turismo também serão destaques da delegação paulista. A expectativa é que a feira possa reforçar as exportações do Brasil para o Oriente Médio.

No dia 15 de novembro está prevista a participação do presidente Jair Bolsonaro no evento. A data foi definida pela organização da Expo Dubai para ser o Dia do Brasil no encontro. A comitiva do presidente contará com a presença de alguns ministros, entre eles: Fabio Faria (Comunicações) e Marcos Pontes (MCTI).

Sobre a BMJ
Fundada pelo ex-Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, e pelo ex-Secretário de Comércio Exterior, Welber Barral, desde 2011 a consultoria agrega credibilidade às relações entre entidades públicas e a iniciativa privada. A BMJ tem sede em Brasília e conta com escritórios em São Paulo e Belo Horizonte, além de parceiros internacionais.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »