25/10/2021 às 16h50min - Atualizada em 25/10/2021 às 18h28min

Pe. Antônio Maria e Editora Lumen et Virtus convidam para lançamento de obra sobre o Santo Sudário

Escrito pelo Prof. Dr. Jack Brandão, romance que aborda a relíquia a partir de um olhar histórico, científico e imagético será lançado no Mosteiro Ain Karim, fundado pelo Padre Antônio Maria, em Jacareí (SP)

SALA DA NOTÍCIA Mariana Mascarenhas

O pano de linho que teria envolvido o corpo de Cristo após sua crucificação, o Santo Sudário, segue intrigando religiosos, cientistas e demais pesquisadores a respeito de sua veracidade. Considerada a relíquia mais importante do Cristianismo, o tecido, para alguns pesquisadores, não passaria de uma pintura medieval; enquanto para outros, seria a verdadeira imagem de Cristo. Embora muitas pesquisas tenham surgido a respeito da relíquia, um estudo inédito envolvendo a arte e a ciência foi elaborado pelo Prof. Dr. Jack Brandão, um dos maiores especialistas em Santo Sudário no Brasil, que afirma não ser possível o tecido ser uma pintura medieval.

Para melhor compreensão de sua pesquisa, o professor nos leva para uma viagem histórica, filosófica, teológica e imagética, em torno do tecido, por meio de seu romance A Saga Desconhecida do Santo Sudário de Cristo e de sua Igreja, da Editora Lumen et Virtus. No dia 11 de novembro, a partir das 14h30, acontecerá o lançamento do livro no Mosteiro Ain Karim, em Jacareí (SP), com uma palestra proferida pelo professor.

A obra não se resume apenas a contar a trajetória da relíquia – desde a origem do tecido, iniciando-se com a plantação do linho a sua chegada a Jerusalém, os meios empregados para salvá-lo e protegê-lo de seus possíveis inimigos, até sua elevação a objeto científico, a partir da fotografia de Secondo Pia, em 1898 –, mas também a abordar todo o contexto que a acompanhou, como a história da Igreja e a dos Impérios pelos quais passou, em mais de dois mil anos de cristianismo.

Fruto de um intenso trabalho de pesquisa que durou anos, a obra faz perceber a importância de se compreenderem as partes para a compreensão do todo e como aquelas se revelam maior do que este. Para isso, o autor amplia o olhar sobre o objeto de estudo ao apresentar uma cronologia que envolve um dos maiores mistérios da humanidade. Temos, portanto, uma obra que ousa levar o leitor a questionamentos e a reflexões sobre até que ponto ele, realmente, conhece a história de Jesus e da Igreja.

“Para mim será uma grande honra poder abordar meu trabalho de pesquisa e obra a respeito da relíquia, em um espaço tão primoroso como o Mosteiro Ain Karim, ainda mais com com a recepção ilustre do querido Padre Antônio Maria. Certamente o lugar contribuirá para levar os participantes ao período e contexto abordados”, ressalta o autor.

Sobre a pesquisa do Prof. Dr. Jack Brandão

No ano de 1978, após exaustiva investigação, diversos cientistas dos EUA afirmaram que não havia tinta no tecido do Sudário, mas não conseguiram explicar a origem da imagem ali estampada. Dez anos depois, uma bomba: o resultado do exame de carbono 14, realizado por três laboratórios de ponta, afirmou que o pano seria uma criação medieval.

Em 2018, pesquisadores da Liverpool John Moores University, no Reino Unido, e da Universidade de Pavia, na Itália, reafirmaram que a relíquia é uma falsificação produzida na Idade Média, ao realizarem experimentos com sangue humano, manequins e voluntários. Tais resultados - não poderia ser diferente -  foram todos contestados.

Brandão é um dos contestadores. Para ele, a relíquia não pode ser uma pintura medieval, porque as obras artísticas na Idade Média deveriam possuir padrões comuns daquela época, e nenhuma delas é parecida com os traços da imagem presente no lençol.

Segundo o pesquisador, tal estudo fica claro quando se observam as diferenças entre as pinturas de Cristo e os traços presentes na relíquia. “O homem do Sudário está completamente nu. Já as primeiras obras artísticas que retratam Jesus crucificado mostram-no de olhos abertos e vestido com as roupas sacerdotais, não como se apresenta no lençol mortuário”.

Essas e muitas outras curiosidades serão abordadas no dia 11 de novembro, no lançamento da obra que é apenas a primeira de uma série de livros a ser lançada pelo professor sobre o tema.

Serviço:

Lançamento da obra A Saga Desconhecida do Santo Sudário de Cristo e de sua Igreja e palestra sobre o tema

Local: Mosteiro Ain Karim: Estrada Arlindo Alves Vieira, 1001, Jacareí (SP)

Horário: às 14h30

Sobre o Prof. Dr. Jack Brandão:

Doutor em Literatura pela Universidade de São Paulo (USP). Diretor do Centro de Estudos Imagéticos CONDES-FOTÓS IMAGO LAB, editor da Lumen et Virtus, Revista interdisciplinar de Cultura e Imagem, pesquisador sobre a questão imagética em diversos níveis, como nas artes pictográficas, escultóricas e fotográficas.  

Mais informações: https://www.jackbran.pro.br/sudariodeturim.html Canal no Youtube: Imagens em Foco

Sobre o Mosteiro Ain Karim:

Fundado em 2000 pelo Padre Antônio Maria para abrigar a Congregação das Irmãs Filhas de Maria Serva dos Pequeninos, que surgiu com o intuito de acolher crianças desvalidas e sacerdotes, o Mosteiro constitui um lugar de contemplação da Congregação, que também possui ramos de atuação pelo Brasil.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »