21/10/2021 às 17h15min - Atualizada em 22/10/2021 às 00h02min

Anvisa concede registro sanitário de novo medicamento para o tratamento de câncer de mama em estágio avançado

Trastuzumabe deruxtecana é resultado da colaboração global entre Daiichi Sankyo e AstraZeneca. Tecnologia, destinada a tratamento de adultos com câncer de mama HER2+ metastático, deve chegar ao mercado brasileiro no primeiro semestre de 2022

SALA DA NOTÍCIA Tatiana Inoue
São Paulo, outubro de 2021 - Os laboratórios Daiichi Sankyo e AstraZeneca estabeleceram uma parceria tecnológica para o desenvolvimento de tratamentos para tumores HER2+. O trastuzumabe deruxtecana, que acaba de ser aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), representa um avanço da ciência no desenvolvimento de terapias-alvo, nas quais os fármacos são direcionados apenas às células cancerígenas.

Voltado ao tratamento de tumores HER2+, considerados mais agressivos e com tendência à metástase, o medicamento é um ADC (conjugado anticorpo-medicamento) injetável com indicação em monoterapia para o tratamento de adultos com câncer de mama HER2+ metastático ou não ressecável, que tenham recebido dois ou mais regimes de tratamento baseados em anti-HER2. ¹

ADC é a sigla em inglês para conjugado anticorpo-medicamento. É uma terapia alvo que usa um biomarcador como alvo para o tratamento. É conhecida entre os médicos como uma estratégia “Cavalo de Tróia”, porque o anticorpo carrega com ele um fármaco que só vai ser ativado quando o anticorpo se ligar à célula cancerosa. ²

De acordo com o Global Cancer Observatory (GLOBOCAN), em 2020, o câncer de mama ultrapassou os tumores de pulmão e se tornou o tipo de câncer mais incidente em todo o mundo. ³ Uma em cada 8 mulheres desenvolverá a doença durante a vida. ⁴ No caso dos pacientes com câncer de mama, cerca de 15% a 20% dos casos serão HER2+. ₅

“O registro sanitário do medicamento no Brasil representa esperança para pacientes e familiares, visto que neste estágio, quando há progressão da doença as opções sequenciais de tratamento ficam limitadas. Com a aprovação no Brasil do trastuzumabe deruxtecana, ampliam-se as expectativas, com qualidade de vida e boa tolerância ao medicamento.”, explica Gabriela Prior, diretora de Assuntos Médicos da Daiichi Sankyo Brasil.


Sobre a divisão de Oncologia da Daiichi Sankyo
Comprometida em proporcionar qualidade de vida e bem-estar para as pessoas, a Daiichi Sankyo é uma empresa mundialmente orientada à pesquisa e inovação de medicamentos. Para seguir seu compromisso em oncologia, a companhia está empenhada em transformar a ciência, a fim de criar tratamentos significativos para pacientes com câncer nos mais altos padrões de excelência e qualidade.

Sobre a Daiichi Sankyo
A Daiichi Sankyo, companhia farmacêutica global com origem corporativa no Japão, dedica-se à criação e fornecimento de produtos farmacêuticos e serviços em 24 países para suprir as diversas necessidades médicas, tanto em mercados desenvolvidos quanto em desenvolvimento.
Com mais de 16.000 colaboradores ao redor do mundo e mais de 100 anos de expertise científica, a companhia baseia-se em um rico legado de inovação e um pipeline robusto de novos medicamentos promissores para ajudar os pacientes. Enquanto mantém seu portfólio de produtos farmacêuticos nas áreas cardiovascular, psiquiatria, hipertensão, gastroenterologia, ortopedia, inflamação e dor; o grupo está engajado no desenvolvimento de terapias inovadoras nas áreas metabólicas, cardiovasculares e em oncologia. Para mais informações, visite: www.daiichisankyo.com.br

Relações com Imprensa
FleishmanHillard Brasil
Tatiana Inoue | [email protected] | 11 3185-9992
Erika Freitas | [email protected] | 11 3185-9935 | 11 98814-2237
Renata Jordão | [email protected]  | 21 3723-8094

¹ American Cancer Society. Targeted Drug Therapy for Breast Cancer. Disponível em: https://www.cancer.org/cancer/breast-cancer/treatment/targeted-therapy-for-breast-cancer.html. Acesso em: 30/09/2021.
Bula de Enhertu. [ANVISA]

² Modi S, et al.; DESTINY-Breast01 Investigators. Trastuzumab Deruxtecan in Previously Treated HER2-Positive Breast Cancer. N Engl J Med. 2020 Feb 13;382(7):610-621.

³Sung H, Ferlay J, Siegel RL, et al. Global Cancer Statistics 2020: GLOBOCAN Estimates of Incidence and Mortality Worldwide for 36 Cancers in 185 Countries. CA Cancer J Clin. 2021;71(3):209-249.

⁴American Cancer Society. Breast Cancer Facts & Figures 2019-2020. Atlanta: American Cancer Society, Inc. 2019.

Krishnamurti U, Silverman JF. HER2 in breast cancer: a review and update. Adv Anat Pathol. 2014;21(2):100-107.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »