18/10/2021 às 16h40min - Atualizada em 18/10/2021 às 18h38min

Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT) recebe executivos da Schneider Electric para fortalecer a Indústria 4.0 na região amazônica

Evento, a ser realizado em 20 de outubro, fortalece a parceria, que tem como destaque o laboratório de inovação FabLab Powered by EcoStruxure

SALA DA NOTÍCIA WAGNER HIROI
Divulgação

Na próxima quarta-feira (20 de outubro), o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT) de Manaus (AM) será responsável por receber uma comitiva da cúpula executiva da Schneider Electric,  líder global em transformação digital e gerenciamento e automação de energia. Dentre os visitantes, estarão presentes os presidentes, e vice-presidentes das unidades da empresa na América do Sul e executivos globais. O presidente da Schneider Electric no  Brasil, Marcos Matias, é um dos participantes do encontro. 

A ocasião tem como objetivo apresentar os projetos fomentados pela parceria entre a Schneider Electric e o INDT, com destaque ao laboratório de inovação FabLab Powered by EcoStruxure, criado em 2019, voltado à capacitação profissional para a Indústria 4.0 - além dos resultados alcançados a partir dessa iniciativa. Dessa forma, os executivos terão a oportunidade de discutir novas oportunidades de negócios para a região amazônica. 

 

A importância do FabLab na região Amazônica

A intenção dessa visita é averiguar como a Schneider Electric está atingindo o seu principal objetivo na região, que é tornar-se referência em aplicações da Indústria 4.0 na cadeia extrativista amazônica, promovendo desenvolvimento sustentável com apoio à transformação digital.

Nesse contexto, o FabLab possui um papel muito importante por possibilitar ampla experimentação de arquiteturas e capacitação dos profissionais locais, seguindo o modelo de valor compartilhado, que permite ampliar o impacto positivo gerado e levar a tecnologia para a economia local a preços extremamente competitivos.

Marcos Matias comenta sobre a escolha da Amazônia para a instalação do FabLab, exaltando a importância estratégica da região. “O FabLab foi concebido para impulsionar a adoção das tecnologias habilitadoras da Indústria 4.0, integrantes da plataforma EcoStruxure da Schneider Electric, no Polo Industrial de Manaus, que abrange toda a cadeia extrativista da Amazônia, porque essa iniciativa permite um salto em termos de sustentabilidade, competitividade, integração e rastreabilidade na Amazônia, uma região muito importante para o Brasil e para o mundo”, afirma. 

 

Parceria entre Schneider e INDT

Além disso, o executivo também ressalta a importância da parceria com o INDT para realizar os objetivos da multinacional. “A parceria com o INDT é muito benéfica, pois o instituto é capaz de nos possibilitar maior abrangência na determinação do nível de maturidade digital de todos os membros da cadeia e mensuração dos esforços necessários para a utilização das ferramentas e dos recursos da Schneider Electric para que fosse possível realizar essa implantação conjunta com os distribuidores de automação industrial, além de desenvolver soluções complementares visando à integração total das tecnologias”, Matias destaca.

Já Geraldo Feitoza, diretor-executivo do INDT, entende que a visita é o  momento ideal  para o instituto mostrar o que tem sido realizado com os investimentos da multinacional. “Acreditamos que seja muito importante o INDT mostrar os resultados e as conquistas dos investimentos da Schneider Electric em nossa região, através de todos os projetos de capacitação e implementação da Manufatura 4.0, por meio do FabLab e de outras iniciativas interessantes das quais temos participado. Além disso, também vamos aproveitar a ocasião para agradecermos a confiança e a parceria dessa empresa que é pioneira em Indústria 4.0 no mundo. Dessa forma, para nós do INDT, é um imenso orgulho e prazer termos a Schneider como uma de nossas grandes parcerias”, afirma Feitoza. 

As ações realizadas pelo INDT por meio do FabLab englobam, principalmente, a capacitação de pessoas e de empresas em Manufatura 4.0, além do esclarecimento dos conceitos e da importância desse segmento, que envolve outros campos e tecnologias da Indústria 4.0. “A Manufatura 4.0 requer investimento em capacitação de pessoas, melhora na capacidade de industrialização, mudança de procedimento, segurança cibernética e não apenas mudanças de estruturas e de maquinários. Sendo assim, esse processo de transformação é demorado por envolver etapas que precisam de tempo e continuidade em seu processo de adaptação. Ou seja, a Manufatura 4.0 agrega diversas tecnologias que são fundamentais para que a Indústria 4.0 aconteça. Portanto, o trabalho que estamos fazendo é fundamental para garantir uma competividade futura”, Geraldo finaliza.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »