18/10/2021 às 15h38min - Atualizada em 18/10/2021 às 16h00min

SUDEP é uma das causas de morte mais comuns em pessoas com epilepsia, mas pode ser evitada

Evento da Associação Brasileira de Epilepsia mostra que o controle das crises epilépticas, associado ao acompanhamento médico, é fundamental

SALA DA NOTÍCIA KB!COM
https://www.epilepsiabrasil.org.br/
ABE - Associação Brasileira de Epilepsia

A falta de informação sobre epilepsia no Brasil ainda é grande, quadro que fica ainda pior com as fake news. Um dos aspectos sobre a doença que precisa de maior esclarecimento e divulgação é a SUDEP, morte subita nas epilepsias, que é uma das causas mais comuns de morte de pessoas com epilepsia. Por isso, a Associação Brasileira de Epilepsia fará uma transmissão em seus canais nas redes sociais para explicar que a SUDEP pode ser evitada com controle das crises epilépticas.

O que é SUDEP?

É definida como morte súbita, inesperada, testemunhada ou não, não causada por traumas, em pacientes com epilepsia. Pode existir ou não evidência de crise antes da morte e não pode estar relacionada a estado de mal epiléptico, condição em que a pessoa apresenta crise prolongada ou reentrante. O exame pós-morte (necropsia) não revela outras causas.

A Epilepsia é frequente e em aproximadamente 30% das pessoas, as crises não respondem adequadamente aos medicamentos, o que chamamos de epilepsia refratária. Crises descontroladas, especialmente tônico-clônicas, quando ocorrem em sono são o principal fator de risco para SUDEP. Assim, pessoas com epilepsia refratária apresentam maior risco de morte.

Pesquisas revelam que de cada 3 pessoas com epilepsia consultadas, 2 se preocupam com a SUDEP.  Ainda, a maioria das pessoas que morreu por SUDEP não tinha tomado a última dose da medicação. O Controle das crises é a principal prevenção da SUDEP.

Como é possível controlar as crises?

O primeiro passo é realizar o acompanhamento médico de forma contínua e séria. O profissional fará a análise de cada caso para definição do melhor tratamento. Usar as medicações corretamente, respeitando doses, horários e intervalos é fundamental. Em alguns casos outros tratamentos, como cirurgia, neuromodulação, entre outros tratamentos médicos que podem ser necessários.

Como será a Live da ABE?

O evento gratuito, marcado para o dia 21 de outubro, às 19h, terá como tema informações e estudos recentes sobre SUDEP e contará com a participação do neurologista Dr. Lécio Figueira, a neuropediatra Dra. Laura Guilhoto e a Doutoranda em Neurociências, Amanda Mosini. Qualquer pessoa interessada pode participar e interagir com perguntas e comentários. Basta acessar os canais da ABE nas redes sociais (Youtube e Facebook).

“Mais uma vez estamos levantando um assunto relacionado à epilepsia que precisa ser detalhado, esclarecido, discutido e compartilhado. É essencial que todo conhecimento sobre SUDEP ultrapasse esta live e ganhe eco na sociedade. A informação é a principal arma para salvar vidas”, explica Maria Alice Susemihl, presidente da ABE.

Serviço

SUDEP
Dia: 21 de outubro
Horário: às 19h
Local: Redes Sociais da ABE#


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »