15/10/2021 às 12h50min - Atualizada em 16/10/2021 às 00h00min

Outubro Rosa: campanha alerta para que mulheres e homens cuidem da saúde das mamas

Apesar de afetar majoritariamente o público feminino, homens também são vítimas da doença, por isso, todos devem apostar na rotina de cuidados e exames preventivos, que ajudam no diagnóstico precoce e melhor desfecho clínico.

SALA DA NOTÍCIA VIVIANE MELEM
sabin.com.br
Divulgação
Outubro, 2021. Criado nos anos de 1990 para inspirar pessoas a se conscientizaram sobre o câncer de mama, “Outubro Rosa” é um movimento global que ano após ano ganha notoriedade e tem sido importante incentivador na busca pela prevenção.
                Mesmo afetando principalmente mulheres com mais de 50 anos, a doença também atinge homens e homens trans. A campanha também propõe maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e ajuda na redução da mortalidade pela doença. Por isso, as iniciativas em favor da atenção com o próprio corpo e o cuidado com a saúde das mamas são importantes e devem ser priorizadas sempre.
                De acordo com os últimos indicadores do Instituto Nacional do Câncer (INCA), que estima 66 mil novos casos de câncer de mama no Brasil até o final deste ano. Resultante do descontrole da multiplicação das células mamárias, a doença pode ocorrer por diversas causas, desde fatores genéticos e causas externas que podem ser desencadeadores de tumores. Especialistas destacam fatores de risco maior, como idade acima de 65 anos, mutações genéticas herdadas, dois ou mais parentes de primeiro grau com doença anterior e mamas pós-menopáusicas. Além disso, outros fatores de risco também são considerados desde o grau de parentesco com outros familiares afetados pelo câncer de mama até pacientes expostos a doses de radiação na mama.

Exames preventivos não podem ser deixados de lado
                Na luta contra a doença, os exames preventivos são fundamentais e baixa procura pela mamografia preocupa as autoridades, já que o exame é considerado o método mais eficaz para detecção de microcalcificações aglomeradas, sendo imprescindível para atenção com a saúde das mamas, mas segundo dados da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), houve queda de 70% na presença de mulheres nas unidades hospitalares.
                Outro indicador preocupante é o do DataSus, que aponta que mais um milhão de mulheres deixaram de fazer seus exames em 2020 e segundo o “Radar do Câncer”, desenvolvido pelo Instituto Oncoguia, em 2020, houve uma queda de 50% de mamografias realizadas em comparação com 2019. Uma das ferramentas mais indicadas para detecção precoce do câncer de mama: a mamografia é considerada imprescindível para o calendário de jornada de cuidados das mulheres a partir dos até os 40 anos. Ela não substitui o físico, mas pode ser decisivo para o desfecho clínico em caso de detecção de anormalidades.
                Outros exames também são importantes nesta jornada, como a ultrassonografia e ressonância magnética – complementares à mamografia e podem ser indicadas para pacientes mais jovens, com mamas naturalmente mais densas, já que nestes casos a mamografia pode ter maior dificuldade de detectar eventuais nódulos. A ultrassonografia também ajuda nos casos em que a mamografia se mostra inconclusiva devido à presença de um tumor, por exemplo.
                Além disso, mesmo com a campanha focada nas mulheres, homens também apresentam quadro clínico da doença. Hoje, 1,2% dos casos de câncer de mama é masculino. As principais vítimas são homens com mais de 50 anos, e pode ser mais frequente em pacientes com famílias com casos de câncer de mama e de ovário. Como também possuem glândulas mamárias e hormônios femininos, ainda que em quantidade pequena, e podem ser diagnosticados. Os números do Instituto Nacional do Câncer mostram que cerca de quatro a cada cinco casos da doença em homens ocorrem após os 50 anos. Por isso, a prevenção e o cuidado com a saúde das mamas devem ser práticas de todos.
                Assim como nas mulheres, o tratamento do câncer de mama em homens também depende da fase em que a doença é descoberta e do tipo de tumor encontrado. Além disso, a recomendação de tratamento pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica, de acordo com o caso.

Cuidado com a alimentação é essencial
                Além das campanhas para o diagnóstico precoce com o autoexame e mamografia, o Outubro Rosa também acende o alerta para a integração de hábitos mais saudáveis no dia-a-dia apenas na prevenção, mas também no prognóstico do câncer. Um artigo publicado pela American Society of Clinical Oncology (ASCO), feito a partir da observação da composição corporal de pacientes e da prática de atividades físicas, apontou evidências quanto à importância do controle de peso e de exercício na prevenção e no controle do câncer de mama.
                A médica endocrinologista do Grupo Sabin, Dra. Talita Cordeschi, destaca que, além deste, há diversos estudos científicos que evidenciam que pacientes acima do peso na pós-menopausa podem apresentar maior risco de desenvolver câncer de mama. Outras pesquisas relacionam a obesidade ao aumento do risco de recorrência do câncer de mama e mortalidade de mulheres na pré e pós-menopausa. “Também existem evidências apontando como o sedentarismo pode ser fator de risco para a incidência do câncer de mama e até mesmo óbito. Por isso, é tão importante adotar uma rotina mais saudável, investir em atividades físicas e manter uma alimentação mais balanceada. É uma combinação que pode contribuir para melhorar resultados de pacientes em tratamento, reduzir índices de obesidade e combater o sedentarismo”, observa. A especialista revela ainda que obesidade e sobrepeso estão associados a um risco até duas vezes maior de câncer de mama na pós-menopausa. 
                As evidências apresentadas no estudo levaram o American Cancer Society a produzir diretrizes para nutrição e atividades físicas aos sobreviventes de câncer e receberam a chancela da médica. “Fazer uma redução de ingestão de alimentos processados e do consumo de bebidas alcóolicas e açucaradas; aumentar atividade física e incluir, se possível, exercícios de resistência; limitar o consumo de carne vermelha; aumentar a ingestão de frutas e vegetais frescos, são medidas essenciais”, concluiu.

Serviço: O Grupo Sabin dispõe de um portfólio com mais de 3.500 serviços de saúde, dentre eles, a mamografia convencional e a mamografia digital, além da ultrassonografia e ressonância magnética. Durante todo o mês haverá pacotes especiais para a realização de exames de análises clínicas e imagens. Para conferir todos os detalhes e realizar agendamento, acesse: www.sabin.com.br

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »