30/09/2021 às 15h34min - Atualizada em 30/09/2021 às 18h22min

Córrego Água Podre apresenta melhorias trazidas pelo programa Novo Rio Pinheiros

Até então, era considerado um dos mais poluídos na região

SALA DA NOTÍCIA Emilly Santos
Ex-Libris Comunicação Integrada

O programa Novo Rio Pinheiros alcançou mais um importante resultado no processo de despoluição do símbolo da cidade. As obras de saneamento na região do Córrego Água Podre encaminharam o esgoto de 1.588 casas à rede coletora da Sabesp. Isso significa que essas famílias deixaram de despejar o esgoto doméstico no Córrego, reduzindo a poluição dessas águas.

Na última semana, para celebrar a melhora significativa da qualidade do córrego, até então considerado um dos mais poluídos na região, a equipe socioambiental da Ação Jaguaré, integrante do consórcio Allonda MND, realizou uma tarde de expedição pelas margens do Água Podre, onde crianças do CEU Butantã aprenderam sobre a história e processo de despoluição do corpo hídrico. Além da participação da Sabesp, o evento contou com o apoio da fundação SOS Mata Atlântica e da subprefeitura do Butantã. Todos os participantes se engajaram no plantio de quatro árvores Ipês ao redor do córrego.

Moradora da região há 32 anos, Marinalva Xavier conta como tem percebido os benefícios das obras de coleta de esgoto. “Quando vim morar aqui há 32 anos, era muito difícil. Não tinha quem aguantasse o mau cheiro dentro de casa. Até que vieram as obras do Novo Rio Pinheiros. Agora dá até para se sentar à beira do córrego e ficar à vontade, porque não tem mais aquele mau cheiro. Essa obra foi muito boa”.

 

Córrego Água Podre

O córrego Água Podre fica na região do Rio Pequeno, zona Oeste de São Paulo, e integra a bacia do Ribeirão Jaguaré - uma das 16 frentes de despoluição do Programa Novo Rio Pinheiros e operada pelo consórcio Allonda MND. 

O afluente já foi considerado o mais poluído de São Paulo, mas as obras de infraestrutura realizadas pelo Programa Novo Rio Pinheiros possibilitaram a presença de oxigênio em nível 4 no corpo d’água, de acordo com análise do índice de poluição da água realizada em fevereiro de 2021 pela Fundação SOS Mata Atlântica. Nessa quantidade, o local começa a permitir retorno da vida aquática.

 

CEU revitalizado

Espaço de lazer totalmente integrado ao córrego, a Allonda também trabalhou para a revitalização do CEU Butantã, melhorando mais ainda a região. Bancos foram trocados e restaurados e os equipamentos de ginástica passaram por melhorias ou foram substituídos. Também foram colocadas placas de sinalização. “Podemos dizer que nosso espaço renasceu e temos ainda a alegria de estar nas proximidades do córrego sem aquele odor que era quase característico. Hoje, as pessoas que transitam pelo CEU sentem e enxergam essa mudança”, comemora Silvia Nascimento, gestora do CEU Butantã.

 

Novo Rio Pinheiros

O programa Novo Rio Pinheiros tem o objetivo de revitalizar este importante símbolo da cidade de São Paulo através da ação de diversos órgãos públicos em parceria com a sociedade. A meta é, até o fim de 2022, reduzir o esgoto lançado em seus afluentes, melhorar a qualidade das águas e integrá-lo completamente à cidade.

Por ser um rio urbano, a água não será potável, no entanto, com o projeto de despoluição concluído, haverá a melhora do odor existente, abrigo de vida aquática e, principalmente, a volta da população às suas margens por meio também da recuperação ambiental e paisagística do seu entorno.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »