28/09/2021 às 14h05min - Atualizada em 28/09/2021 às 14h54min

Desafios de conciliar tecnologia, conforto, segurança e privacidade em uma casa inteligente

Especialista dá dicas sobre como tornar a experiência segura e acessível

SALA DA NOTÍCIA Daniel Galvão
Internet

Por Bruno Azevedo 

 

Há apenas alguns anos, imaginar dispositivos conectados à Internet que poderiam ser controlados à distância pelo celular para abrir portas, acionar câmeras de monitoramento e acender ou apagar lâmpadas em casa, parecia algo muito distante da nossa realidade ou cena de filmes e desenhos futuristas. Mas, o futuro chegou e hoje o conceito ‘smart home’ segue uma tendência irreversível de popularização. 

 

Nos EUA, por exemplo, segundo o portal Techaeris, quase 70% dos americanos imaginam que nos próximos 10 anos as smart home serão tão populares quanto os smartphones. Além disso, mais de 80% dos compradores de imóveis dizem que casas inteligentes estão entre suas preferências para uma possível aquisição. 

 

Para se ter uma ideia desta nova realidade, gigantes da tecnologia mundial já possuem algumas soluções para transformar casas comuns em casas inteligentes. O Google Home, por exemplo, é a iniciativa do Google para competir com os dispositivos Echo, da Amazon, e os HomePod, da Apple. Todos estes aparelhos têm funções parecidas e oferecem uma assistente pronta para atender aos comandos de voz dos usuários. Não bastasse isso, eles podem responder perguntas e acionar outros dispositivos conectados.

 

O mercado também oferece kits mais acessíveis com baixo custo de investimento. Os mais comuns, por exemplo, oferecem sensores de movimento, interruptores inteligentes e detectores que informam sobre a abertura ou fechamento de portas e janelas. Mas, até onde produtos como smart displaysfechadurascâmeras de segurança e  lâmpadas podem colocar em risco a segurança domiciliar?

 

Grande parte dos equipamentos utilizados para transformar uma casa em smart podem coloca, sim, a segurança - e a privacidade - em risco. Sem a devida proteção de rede, as informações a respeito do funcionamento de diversos aparelhos podem estar desprotegidas - expondo fechaduras, por exemplo, a ação de hackers. 

 

Por isso mesmo, o ideal é que, além da contratação de empresas especialistas no assunto para executar o projeto, todo o planejamento seja feito durante a construção do imóvel. Esse tipo de modificação exige uma certa infraestrutura, que é mais difícil de implantar se a casa já estiver pronta.

 

Apesar dos cuidados com a segurança e privacidade, esse conceito veio pra ficar. Quem não gostaria de poder controlar eletrodomésticos, iluminação, temperatura, multimídia, segurança, janelas e portas, e ainda personalizar a cor dos nomes nos interruptores, a intensidade da luz de cada ambiente e programar horário para desligar dos aparelhos e lâmpadas em sua casa tudo à distância de forma simples, fácil e com muito conforto?!

 

Como você pode proteger sua Casa Inteligente?

 

Estima-se que, até o final de 2021, estarão em uso cerca de 25 bilhões de dispositivos inteligentes. Essa é uma projeção fantástica, principalmente quando pensamos que, há algumas décadas, a ideia de controlar de modo remoto diversos sistemas da casa via smartphone parecia um cenário de ficção científica. Por isso, vou recomendar 4 passos simples que vão ajudar você a proteger sua smart home agora ou no futuro:

 

1. Proteja sua rede - Entenda: se a sua rede Wi-Fi não está segura, então sua informação pessoal também não está. Isso porque, Produtos Smart precisam se conectar à internet e a maioria de nós usa sinal de Wi-Fi para isso. Não deixe de ligar o acesso protegido do protocolo de criptografia (WPA2) quando configurar o seu Wi-Fi e também de usar um roteador que oferece proteção de firewall. Sempre que possível, durante o uso da rede, altere seu nome e senha. Você pode aprender a fazer isso acessando o site do seu provedor e fazendo a procura por “como alterar a senha do Wi-Fi”.

 

2. Conheça seus dispositivos - Certifique-se de que você conhece todas as funcionalidades que seu disposito Smart possui. Acredite: talvez você nem tenha conhecimento de todas elas. Por exemplo: você sabia que algumas TVs smart são capazes de ouvir suas conversas?! Então, desabilite  funções como esta para seu maior conforto, através do menu Configurações. Ajuste também outras configurações de privacidade e segurança de acordo com as suas necessidades.

 

3. Instale um software de segurança - Ainda que um softwre de Segurança da Internet não funcione em todos os dispositivos Smart, funciona com os mais importantes: seu PC, Mac, smartphone e tablet. Muitas empresas de software protegem múltiplos dispositivos, incluindo seu smartphone. Mesmo se a sua rede de Wi-Fi for segura, ela não será capaz de protegê-lo(a) de alguns tipos de invasão que podem infectar os seus computadores. 

 

4. Proteja seu Smartphone - É claro que você já deveria estar usando senhas fortes em todos os seus dispositivos. Mesmo assim, muitas pessoas ainda não usam senhas para bloquear seus smartphones — 33%, de acordo com o Relatório Norton Cybersecurity Insights Report. Quase todos os dispositivos IoT são controlados por um aplicativo de smartphone, ou seja, celulares tem se tornado a chave de entrada para nossas casas inteligentes e, em casos de fechaduras Smart, eles já são literalmente as chaves para nossas casas físicas. Já imaginou se o seu celular sem senha, desprotegido, cai nas mãos erradas e você não fechou o aplicativo que desbloqueia/da acesso à porta de entrada da sua casa?

 

* Bruno Azevedo é Bacharel em Análise de Sistemas com Pós-Graduação em Administração de Empresas pela FGV e Tecnólogo em Comunicação para Web.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »