13/09/2021 às 10h55min - Atualizada em 13/09/2021 às 13h10min

Construção a seco: vantagens que vão além da sustentabilidade

A popularização das construções limpas traze benefícios os usuários e ao meio ambiente

SALA DA NOTÍCIA ANA PAULA BARBOSA DOS SANTOS
Foto de divulgação
A construção a seco é um conceito que abrange metodologias construtivas mais ágeis, proporcionando uma obra rápida, com economia de materiais, sustentável, de melhor qualidade e eficiência do início ao fim da obra. Há várias opções atualmente no mercado, mas podemos dar destaque a dois conceitos que vêm ganhando cada vez mais espaço neste setor: o Steel Frame e o contêiner.
A obra a seco, como o próprio nome já diz, é um sistema que o utiliza o mínimo ou zero de água durante o seu processo. Dispensando, assim, o uso de cimento e argamassa. Um modelo pensado para ser sólido, resistente e versátil.
O steel framing, por exemplo, é utilizado para a construção de estruturas portantes em residências, mezaninos, fechamentos externos e edifícios industriais, entre outros. Neste modelo, as paredes assumem a função estrutural. Elas possuem um excelente conforto termoacústico pelos materiais usados, mas pode ficar ainda mais eficiente com o acréscimo de materiais isolantes.

Já o contêiner, é uma caixa, feita em aço, alumínio ou fibra, muito bem estruturada para resistir ao uso constante de transporte de mercadorias de diversos tipos. É resistente a chuva, incêndio e outras intempéries. A construção em contêiner pode ser considerada mais sustentável por ser uma obra mais limpa e rápida e pelo próprio reuso do material.

Em ambos modelos construtivos, há o pilar da sustentabilidade, pois o uso de recursos naturais, como areia, tijolo e água é baixo, gerando um mínimo índice de desperdício de materiais. E, ainda, gera economia. A construção a seco gera muito pouco resíduo e isso se deve não só à ausência de cimento, cal e areia, mas também porque os elementos utilizados, como os perfis de aço, podem ser adquiridos nas medidas adequadas a cada projeto. É uma construção simples, rápida e limpa, pois não requerem picotar e gerar entulho.

A empresa Smart Home, por exemplo, é especialista em construções limpas. Ela trabalha com o modelo construtivo a seco em diversas frentes e, de acordo com seus sócios-proprietários Bruno Veloso e Eduardo Ramos, este mercado é perfeito para quem busca obras sustentáveis, ágeis, seguras e econômicas.

“Trabalhamos com vários métodos construtivos inovadores, dentre eles o steel frame e o contêiner, que vêm se destacando no mercado de construção sustentável. Utilizamos estes modelos em projetos de residências, hospitais, UPAs, Escritórios, etc. Tudo o que o mercado necessita que seja realizado em tempo recorde. Trabalhamos com projetos sob medida ou dentro dos padrões de módulos/contêiner. Nosso objetivo é reduzir tempo e custo para os nossos clientes”, afirmam Bruno e Eduardo.

Além do quesito sustentabilidade, que já é um destaque importantíssimo nestes novos modelos construtivos, há também as vantagens de proporcionarem maior isolamento térmico e acústico, maior segurança, trazer flexibilização na hora da mudança e fácil manutenção.

“Os elementos utilizados na construção a seco são compatíveis com outros sistemas construtivos, o que facilita tanto a realização de novas obras como remodelações em obras existentes, mesmo que estas sejam de alvenaria. Além disso, com este modelo construtivo, é possível reduzir os prazos de execução e racionalizar a mão de obra. Alguns estudos estimam que uma obra em steel frame, por exemplo, pode ser executada até 60% mais rápido do que uma de alvenaria”, relatam os sócios-proprietários.

O isolamento permite que uma casa construída neste sistema seja mais fresca no verão e mais quente no inverno, alcançando uma economia significativa de energia. Além disso, os perfis utilizados na construção a seco são fabricados seguindo rígidos padrões de qualidade, assim, possuem grande durabilidade, resistência ao fogo e proteção contra corrosão, proporcionando um maior grau de segurança às estruturas.

O trabalho executado pela Smart Home poderá ser conferido a partir de 14 de setembro, no ambiente Módulo 37, assinado pelo arquiteto Francisco Morais, na CASACOR Minas.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »