29/07/2021 às 11h07min - Atualizada em 29/07/2021 às 12h26min

Movimento Construção Saudável promove estágio para estudantes de relações públicas

Os alunos fazem parte da primeira pesquisa sobre a relação entre os problemas respiratórios e a falta de impermeabilização dos imóveis

SALA DA NOTÍCIA Vanessa de Cássia Tófano Denardi
http://construcaosaudavel.org
O Movimento Construção Saudável oferece estágio voluntário para estudantes de Relações Públicas. A educação é um dos pilares de sustentação do Movimento, por isso, ao realizar a primeira pesquisa do setor sobre a relação dos problemas respiratórios e as patologias das edificações, os alunos foram convidados para integrar o projeto.

A instituição escolhida foi o Centro Universitário das Américas – FAM. “O curso de Relações Públicas da FAM foi escolhido pela seriedade com que os professores e a coordenação se empenham no ensino de pesquisa. Cabe a eles a proposta, a parte prática das entrevistas e a organização dos resultados, sob nossa orientação”, afirma Júlio Cesar Barbosa, diretor executivo do Movimento Construção Saudável.

Aliar-se a uma instituição séria é um aval para o projeto de conscientização da população. “Nosso propósito inclui a educação e envolver os estudantes contribui para a formação e conhecimento prático. Trabalhamos constantemente com a turma, transmitindo toda a orientação necessária”, sinaliza Júlio.

Dividida em duas análises, uma quantitativa e uma qualitativa, o objetivo da pesquisa é compreender os níveis de informação e conhecimento sobre o tema, tanto da população como dos profissionais da área, como engenheiros, arquitetos e designers de interiores.

A pesquisa quantitativa será realizada via formulário nas redes sociais com a sociedade em geral, para entender o que a população percebe e entende sobre o tema. O outro estudo está dividido em dois períodos: participam da qualitativa, na primeira fase, 30 profissionais da construção civil, entre engenheiros, arquitetos e designers de interiores convidados e, após a análise desse conteúdo, será realizada uma quantitativa com foco no mesmo público, via redes sociais e formulário Google Forms.

A expectativa é contar com a participação de cerca de 500 pessoas, nas duas etapas. Após a coleta e análise dos dados, o material será compilado em um e-book, que será distribuído gratuitamente.

Alunos em ação
Estudante do 7º semestre, Tatyane Moraes da Silva conta que a participação na Pesquisa é uma oportunidade importante de dar os primeiros passos na carreira. “Acredito que a principal contribuição dessa experiência para a minha formação é atuar com um movimento cuja causa é realmente relevante para a sociedade, me desenvolvendo como pessoa, como profissional”.

Também aluno do 7º semestre de Relações Públicas, Lucas Silva, ressalta a expectativa de ampliar a conscientização e gerar conhecimento por meio desse estudo. “A importância do projeto está em poder contribuir com ideias que possam atingir o máximo de pessoas possível, fazendo com que compreendam a necessidade de buscarem formas de melhorar a qualidade de vida”. 
Anna Carolyna Cardoso dos Santos, que está no 8º semestre, ressalta a importância da prática para a sua formação. “A cada final de reunião sinto como se estivesse realmente aplicando todo conteúdo estudado durante a faculdade”.
Caroline Izidoro, 8° semestre, destaca o sentimento de empatia ao realizar o trabalho voluntário. “A jornada com o Movimento Construção Saudável é sobre a importância de respeitar, conhecer a histórias de diversas famílias e aprender todo dia mais. Minha expectativa é poder mostrar para a sociedade, em números, a importância de estar informado e como a falta de impermeabilização pode afetá-los no dia a dia”.

No 8º semestre, Alexandre Chaves, afirma que é uma experiência enriquecedora tanto para a vida acadêmica quanto profissional fazer parte do projeto. “Estamos falando sobre um tema social ainda pouco abordado e valorizado pela sociedade. É uma sensação de desafio e entusiasmo.”.

Ádila Camila Silva Monteiro, também do 8°semestre, conta que tem uma ligação pessoal com o tema. “Participar como estagiária trará um avanço para a saúde de pessoas, que assim como eu, possuem problemas respiratórios. O projeto está me fazendo crescer e aprender coisas que eu nem cogitava serem tão importantes como observo que são”.


Sobre o Movimento Construção Saudável
http://construcaosaudavel.org

O Movimento Construção Saudável reúne as principais empresas do mercado de impermeabilização – Mactra, Sika, Vedacit e Viapol – com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de cuidar da saúde das habitações e das pessoas.

Criada em 2019, a iniciativa discute os benefícios de impermeabilizar de forma correta e as consequências que o processo traz para a saúde das pessoas. O Movimento promove ações em eventos, revendas, home centers e demais pontos de venda.

Conscientes do impacto na vida da população e de que grande parte espera o problema aparecer ao invés de prevenir, as empresas criaram o Movimento para conscientizar os profissionais, ampliar a percepção da sociedade sobre a importância do tema e, consequentemente, fortalecer o setor para transformar essa realidade.

Legenda: Da esquerda para direita, acima, os estudantes Jessica Santos, Carolina Izidoro, Pedro Ramos, Tatyane Moraes, Anna Carolyna Cardoso; abaixo: Alexandre Xaves, Gislaine Araújo, Adila Monteiro, Lucas Silva e coordenador do projeto, o diretor executivo do Movimento Construção Saudável, Júlio Cesar Barbosa.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »