30/09/2014 às 16h15min - Atualizada em 30/09/2014 às 16h15min

Construção em wood frame da Kürten atende determinações da Política Nacional de Resíduos Sólidos

Modelo construtivo reduz desperdício de material e a geração de entulho comum na construção civil tradicional

NCA Comunicação
Bebel Ritzmann

Com a entrada em vigor da Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS, instituída pela Lei nº 12.305/10, e que contém instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao país no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos, a arquitetura sustentável se tornou alternativa para a redução dos entulhos gerados pela construção civil. 

Exemplo é a tecnologia wood frame, importada em 2011 da Alemanha com pioneirismo pelo Grupo Kürten, comandado por Waldemir Kürten. "O modelo construtivo está de acordo com as premissas da PRNS e se tornou uma opção nessa nova ordem nacional de gestão de resíduos sólidos", assegura o empresário.

Além da consonância com a nova lei ambiental, Kürten explica que o wood frame atende o disposto na Resolução nº 307/02 do Conama - Conselho Nacional do Meio Ambiente, que estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para um correto gerenciamento dos resíduos sólidos da construção civil. 

Construção sustentável

A disposição inadequada de resíduos é uma das principais causas de degradação do meio ambiente, com potencial para afetar a qualidade de vida da população, os serviços dos ecossistemas e a disponibilidade de recursos naturais. E os resíduos oriundos das atividades da construção civil não são exceção, e podem se tornar parte deste problema caso não lhes seja dado o correto gerenciamento, gerando desperdício econômico, pois grande parte do material é passível de reciclagem ou reaproveitamento. 

Kürten explica que, se comparado às construções tradicionais, o sistema de wood frame é mais sustentável em vários aspectos. Primeiro porque reduz a emissão de CO2 na atmosfera pelo uso de madeira de reflorestamento (pinus), matéria-prima renovável. Kürten coloca que o Paraná é o maior produtor de pinus do país, com um terço do total. A espécie está presente em 2,8% do território paranaense e gera 300 mil empregos ao longo de sua cadeia produtiva.

Um segundo aspecto refere-se à significativa redução no desperdício de materiais, e os resíduos podem ser reutilizados na própria fábrica para produzir energia. Os sistemas de isolamento térmico adotados nesse modelo asseguram um menor consumo de energia com aquecedores, e os projetos podem incluir sistema de captação de água de chuva para reaproveitamento, arremetam o rol de vantagens do wood frame. "O resultado é uma obra seca e limpa", garante Kürten. 

Sistema wood frame

A fábrica de wood frame do Grupo Kürten utiliza maquinário com processos totalmente automatizados, a partir de tecnologia alemã da Homag-Weinmann, líder mundial no segmento. As habitações são construídas a partir de painéis em pinus, que recebem tratamento químico para garantir mais durabilidade. Kürten descreve que do lado de fora, os quadros de madeira são fechados com chapas de fibras e, internamente, recebem gesso acartonado ou lã de vidro, para ampliar o isolamento térmico e acústico. Ainda no interior são feitas as instalações elétricas e hidráulicas, além de cabos de telefone e televisão. Qualquer tipo de acabamento exterior e interior pode ser aplicado.

"Apesar de pré-produzidas em sistema industrializado, as construções em wood frame permitem atender a uma grande diversidade de plantas, servindo para residências, escritórios, escolas, em construções de até cinco andares", destaca o empresário. De acordo com ele, os projetos podem ser personalizados, bem como as fachadas, revestimentos, telhados e acabamentos. "Assim, é possível optar por construções de alto padrão de acabamento, pé-direito elevado ou mesmo habitações populares", observa Kürten.

Além dessas características, as construções wood frame são superiores às habitações de alvenaria na questão de segurança e na resistência. As peças horizontais entre os pilares diminuem a velocidade de propagação das chamas e funcionam como barreira. Kürten explica que o princípio é simples: "o fogo rompe o gesso e ataca a parte de baixo da estrutura. Com as barreiras, todo oxigênio é consumido dentro da parede antes que o fogo danifique gravemente a estrutura. A edificação só corre risco de ruir quando o incêndio se alastrar por toda a casa, incluindo a parte de cima dos pilares".


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »