29/06/2021 às 09h27min - Atualizada em 29/06/2021 às 19h22min

5 dicas para montar sua árvore genealógica italiana

SALA DA NOTÍCIA LUCAS WIDMAR PELISARI
Desde quando ouvimos os sobrenomes na lista de chamada na escola até quando vemos nomes de pessoas em notícias, notamos como a presença de descendentes de italianos no Brasil é vasta, afinal, somos o país que abriga mais italianos.

Os italianos imigraram massivamente para a América do Sul nos séculos 19 e 20 e, por isso, muitos são os interessados em descobrir mais sobre suas raízes italianas.

Saber nossa descendência sempre vale a pena, pois a pesquisa é uma ótima forma de conhecer nossas raízes, saber de onde nosso sangue veio e para alguns, até mesmo conseguir a cidadania.

Por isso, neste texto, colocamos cinco dicas para você que está pensando em montar sua árvore genealógica italiana.

 
  1. Converse com sua família

Antes de tudo, pergunte a quem conviveu com seus ancestrais. Mães, pais, avôs e avós são perfeitos para tirar dúvidas, pois conviveram com os primeiros descendentes italianos que vieram para o Brasil.
 
  1. Investigue o sobrenome

Faça investigações com base no seu sobrenome, pois ele pode revelar muito sobre seus antepassados. Sites podem te ajudar muito nesse tipo de pesquisa.
 
  1. Monte sua árvore genealógica

Montar uma árvore genealógica é um ótimo passo para quem está começando a se questionar se é, ou não, descendente de italianos.

Caso você tenha o objetivo de ter cidadania italiana, ter informações como essas em mãos é importantíssimo, pois pode definir se você tem esse direito.

Recorra a sites como o FamilySearch, pois são muito úteis para auxiliar na montagem da árvore genealógica.

 
  1. Procure documentos em cartórios

Cartórios são ótimos para a procura de documentos, sempre tendo como base seu sobrenome italiano. Certidões de nascimento e de casório são registros confiáveis.

Você pode solicitar certidões de antecessores da família em cartórios e verificar sobrenomes e nacionalidades.

Caso você já conheça as gerações mais novas, recorra ao passado, verifique bisavós, trisavós e tetravós.
 
  1. Vá atrás de órgãos competentes brasileiros

Sites de órgãos nacionais têm um vasto arquivo para oferecer. Neles pode-se encontrar documentos digitalizados e até mesmo listas de passageiros de navios que trouxeram imigrantes para o Brasil.

O Museu da Imigração do Estado de São Paulo e o Arquivo Nacional são os principais locais para essa busca.

O Antenati é um portal italiano que pode ser usado para o mesmo objetivo e tem disponível um completo arquivo de fotografias e listas de nomes.
 

Exceções do direito à cidadania italiana


Como dissemos antes, pessoas com sobrenomes italianos e que têm descendentes do país, podem começar seu processo de cidadania italiana. Então, quando terminar sua pesquisa para ver se você tem ancestrais italianos, procure saber se você tem direito à cidadania, o que é facilitado, pois não há limite de gerações.

Porém, existem algumas regras:
 

A naturalização do antepassado


É preciso que o seu antepassado italiano tenha se naturalizado brasileiro quando chegou
no país. Caso ele não tenha, você não poderá ter o direito à cidadania.
 

Linha materna de antecedência


Na Itália, havia uma lei que dizia que mulheres não podiam transmitir sua cidadania para seus filhos. Ela estava em vigor até 1948, então, se você tiver uma antepassada e ela for nascida antes do período, o direito será “dificultado”.

Porém, as pessoas que se encontram nessa situação, conseguem a cidadania por meio judicial. Se for o seu caso, você pode entrar com o pedido.
 

Documentos necessários


É preciso lembrar que a lista de documentos pode variar de acordo com a distância que o parente se encontra na linha de antecedência, afinal, ela pode ser longa.

Assim, se seu bisavô era italiano, você precisará dos documentos dele, isso serve para o avô, pai, etc.

Veja a lista de documentos:
 
  • Certidão de nascimento do seu antepassado italiano;
  • Certidão de divórcio (se houver);
  • Certidão de nascimento de todos da linha de descendência;
  • Certidões de casamento;
  • Certidão de óbito;
  • Certidão negativa de naturalização.

Ressaltamos aqui que os documentos devem ser traduzidos de forma juramentada, precisam ser certidões de inteiro teor e é obrigatório que tenham um apostilamento de acordo com a Convenção de Haia.

Meta: Veja aqui cinco dicas para você que está querendo montar sua árvore genealógica italiana. Leia mais e entenda como isso ajuda com a conquista da cidadania
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »