22/06/2021 às 10h36min - Atualizada em 22/06/2021 às 21h08min

4 dicas para se destacar em um processo seletivo tech

Preparo, autoconhecimento, persistência e aperfeiçoamento constante são alguns dos diferenciais competitivos para profissionais de tecnologia

SALA DA NOTÍCIA Analina Arouche
Divulgação/Freepik

Para quem está começando na área de Tecnologia da Informação (TI), encontrar a colocação no mercado de trabalho pode ser difícil, especialmente diante das exigências de experiência. No entanto, é possível acelerar a entrada no mercado de programação seguindo algumas recomendações. Pensando em otimizar a jornada da pessoa programadora, Daniel Kriger, CEO da Kenzie Academy Brasil, e Karen Vanesca, analista de carreira da Kenzie - escola de programação que se posiciona como alternativa ao ensino superior e atua na formação de pessoas programadoras em 12 meses de curso - , selecionaram algumas dicas. 

 

 

Uma delas é estar presente no LinkedIn, a maior rede de profissionais do mundo, mantendo o perfil sempre atualizado e em movimento, além de visitar sites como vagas.com, github.com e gupy.io. Outra dica é não desanimar quando o retorno demorar. “Essa é uma parte inevitável do processo seletivo e, enquanto se espera por uma resposta, é importante continuar buscando o emprego, com pesquisas por novas oportunidades, fazendo conexões e seguir candidatando-se”, afirma Kriger.

 

Confira as principais dicas de como se destacar e obter sucesso em um processo seletivo da área de programação:

 

  1. Clareza nos objetivos profissionais: Muitas pessoas não têm clareza sobre o que almejam para sua carreira profissional e isso pode passar insegurança para o recrutador no momento do processo seletivo. Portanto, a primeira soft skill a ser trabalhada é a do autoconhecimento - ter clareza de quem você é, saber quais os pontos a evoluir e quais são as características técnicas e comportamentais que mais chamam a atenção de qualquer recrutador;

 

  1. Adotar a mesma postura das entrevistas presenciais na videoconferência: Nas entrevistas que ocorrem remotamente, devido ao distanciamento social provocado pela pandemia da Covid-19, esses profissionais devem se comportar da mesma maneira, como se aquele momento fosse presencial. Desta forma, vão aqui algumas dicas básicas que não devem ser esquecidas:

 

  • Equipamento e conexão em ordem - É importante reservar um tempo para garantir que esteja preparado e que sua tecnologia esteja funcionando corretamente para que a entrevista seja menos estressante;

 

  • Material de apoio - Tenha em mãos os materiais necessários para uma entrevista, não esquecendo do seu currículo, referências e portfólio para consulta;

 

  • Preparação é tudo - Esteja pronto(a), ao menos, com 30 minutos de antecedência do horário previsto;

 

  • Foco e atenção - Manter a concentração pode ser difícil quando você está sendo entrevistado remotamente, então, lembre-se de ouvir atentamente as perguntas e se concentrar no entrevistador. 

 

  1. Saiba apresentar suas habilidades: Durante toda a entrevista você precisa pensar de forma estratégica, fazendo conexões das suas competências, de suas habilidades com as exigências da vaga. Sempre que possível, traga resultados das experiências anteriores, isso, sem dúvidas, vai mostrar seu preparo e sua capacitação na área.

 

  1. A importância do ‘match’ com a oportunidade: Além da busca constante por uma vaga, a pessoa também deve fazer uma seleção dos lugares onde deseja trabalhar. Vale analisar se a companhia tem uma cultura compatível com seus valores e, acima de tudo, que tenha real conexão com os desafios atuais da sua trajetória profissional.

 

Para conquistar rapidamente a vaga desejada, a especialista de carreira da Kenzie ainda recomenda o seguinte passo a passo: revisão do currículo, atualização do LinkedIn, inscrições regulares nas vagas de interesse, acompanhamento das empresas e aperfeiçoamento constante das habilidades. “É válido também lembrar que o trabalho não deve ser um peso, portanto, ao buscar uma vaga, veja se faz sentido para você e para o seu momento profissional”, explica Karen. 

 

Validação técnica do profissional de tecnologia

Para Fellipe Couto, CEO da Vulpi, plataforma com o foco na contratação e recrutamento de TI, uma das grandes dificuldades da pessoa recrutadora neste tipo de processo seletivo é entender mais a fundo sobre a validação técnica da pessoa desenvolvedora. No mercado, existem várias formas de validar tecnicamente profissionais desta área, os mais comuns são teste de lógica e algoritmos, teste técnico – projeto, análise de portfólio de projetos, whiteboard e pair programming. 

 

“Cada empresa escolhe a validação técnica que faz mais sentido durante o seu processo de contratação. Não há uma regra dizendo qual tipo deve ser feito e nem o que não se pode adaptar entre uma metodologia e outra. Tudo vai depender sempre da realidade da sua empresa e do tipo de skill técnica e comportamental que serão indispensáveis para a equipe”, avalia Couto. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »