18/09/2014 às 12h38min - Atualizada em 18/09/2014 às 12h38min

Empresas que investem em pesquisas e desenvolvimentos tecnológicos podem aderir aos benefícios da Lei do Bem

Especialista dá quatro dicas para os empresários utilizarem os benefícios

Renata Caro

Criada para estimular investimentos privados em pesquisas e desenvolvimento tecnológico, a Lei nº 11.196/2005, conhecida como Lei do Bem, ainda é pouco usufruída pelas empresas brasileiras.

Por ser raro uma lei tributária criar isenção fiscal e dar incentivos à inovação, é uma lei que tem merecido a atenção dos empresários.

De acordo com a consultora de tributos, Lygia Carvalho Campos, da Moore Stephens Auditores e Consultores, uma das maiores redes do setor no mundo, a lei prevê benefícios fiscais a empresas, de qualquer área de atuação e porte, que investem em inovações, tendo como maiores beneficiadas aquelas que optam pelo chamado Lucro Real, que é uma das opções tributárias das empresas.

Ele elencou algumas dicas para a aplicação e utilização dos benefícios que a Lei do Bem pode trazer às empresas:

  • A empresa deve verificar se há previsão de Lucro Fiscal. Sabendo que a Lei do Bem não gera crédito fiscal, é importante que haja um lucro no ano fiscal em questão.
     
  • Verificar o Regime Tributário é sempre importante, embora trivial, sendo que a utilização da maior parte dos incentivos é para empresas em regime tributário de Lucro Real. Lembrando que ainda não é aplicável a empresas de Lucro Presumido, não havendo ainda implementação a esta mudança.
     
  • O valor do ganho depende de cada projeto. Assim como parte dos incentivos é destinada ao abatimento de Imposto de Renda (IR) e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).
     
  • As atividades do projeto devem estar de acordo com as previstas no Decreto 5.798. Embora o projeto seja inovador, há de se verificar se suas atividades estão em concordância com o Decreto. Sendo então, Pesquisa Básica, Pesquisa Aplicada, Desenvolvimento Experimental, Tecnologia Industrial Básica e Serviços de Apoio Técnico.

Sobre a Moore Stephens

A Moore Stephens é uma das maiores redes de auditoria e consultoria do mundo, classificada no ranking Top 10 da atividade. Está presente em 105 países, com mais de 660 escritórios e 27 mil profissionais.

A rede é referência em serviços de auditoria, consultoria tributária e empresarial, corporate finance e outsourcing de serviços contábeis, financeiros e fiscais.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »