09/09/2014 às 10h03min - Atualizada em 09/09/2014 às 10h03min

Contratação de energia depende de estratégias e planejamento a longo prazo

Sócio-gerente da Replace Projetos e Consultoria, Carlos Alberto Schoeps, defende o planejamento na aquisição a longo prazo. Evento em São Paulo discute cases de diversos segmentos na otimização do consumo energético

Michele Carvalho

Estruturar um planejamento de consumo de energia a curto, médio e longo prazos a partir de projeções sobre a variação do preço e tarifas, escolher o momento ideal para comprar energia e em qual mercado (cativo ou livre) serão alguns dos assuntos abordados na palestra ministrada pelo sócio-gerente da Replace Projetos e Consultoria em Energia, Carlos Alberto Schoeps, e pelo gerente de energia e gases da Arcelormittal Brasil, Márcio Guimarães Fenelon. A palestra sobre contratação de energia elétrica é parte do Energy Summit, que acontece de 15 a 17 de setembro, em São Paulo (SP). O evento é o mais tradicional encontro do setor de energia elétrica no país.

 

Com a elaboração de um planejamento adequada para a compra de energia, uma empresa de grande, médio ou pequeno porte pode economizar entre 10% e 20% nos custos anuais, como ressalta Schoeps. “Há casos de empresas que, após realizado o planejamento e constatado que a melhor compra é no mercado livre, por exemplo, a economia chegou a 30% os custos”, enfatiza. Na carteira de clientes da Replace estão empresas do porte da C&A, Grupo Pão de Açúcar, Carrefour, Burguer King, entre outros.

 

Desafio - Ainda de acordo com o Schoeps, o maior desafio para o agente de mercado (consumidor ou gerador) é o momento de fazer a aquisição de energia, seja para consumo próprio ou para atender demandas que o gerador possa ter, uma vez que o mercado de energia é volátil. “Deve-se definir o momento ideal para a compra, o volume e a melhor estratégia de compra a ser adotada para obter sempre a melhor condição, o menor risco de abastecimento e o menor custo a longo prazo ”, ressalta Schoeps, que acrescenta: “É necessário também saber organizar a compra do consumidor ou gerador e quais instrumentos utilizar para acompanhar as variações de mercado, uma vez que o setor de energia é volátil por natureza. Desta forma é possível ter energia a curto, médio e longo prazos a preços competitivos.

 

Ao longo do primeiro dia do Energy Summit, diversos profissionais da alta gestão de empresas participam de painéis exclusivos segmentados por contratação, racionalização do consumo e autoprodução de energia para um público composto de empresários e especialistas em gestão e eficiência enegética. Os painéis abordarão cases e experiências de segmentos consumidores de energia, tais como shoppings centers, hospitais, automobilístico, alimentícios, indústria eletrointensiva, entre outros. 

 

Contratação - Nas palestras com foco na contratação de energia elétrica, o diretor e CEO da América Energia, Andrew Frank Storfer, abordará os modelos de contratação de energia nos mercados cativo e livre, as formas de mapear riscos e oportunidades de cada mercado e encontrar soluções adequadas. Já Levindo Santos, Diretor-Presidente da Brix Energias e Futuros apresentará estratégias para colher as oportunidades trazidas pela Portaria 185.

 

Consumo - Já com foco em racionalização do consumo de energia elétrica serão apresentados diversos cases de empresas. O primeiro tem como personagem o Shopping Iguatemi SP e será  apresentado pelo gerente de manutenção, Fernando Paiva. Neste mesmo paínel será apresentado o case do Hospital Albert Einstein, tendo como porta-voz o seu coordenador de manutenção, Coroaci dos Santos Junior. O própósito é mostrar como a implantação de recursos tecnológicos ajudaram na redução de energia. 

Logo após, o gerente de manutenção da Renault, Alessandro Speranzetta, abordará o plano de eficiência energética implantando na empresa e quais foram os benefícios obtidos. Os últimos dois cases estão a cargo da gerente de segurança, saúde e meio ambiente da Pepsico, Lea Mayor, e do gerente corporativo de energia da Votorantim Cimentos, Luiz Germano Bernartt Junior.

 

Produção - Com o foco na produção de energia elétrica, o especialista em planejamento e energia da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), Diogo Costa de Santana, abordará no case da empresa como realizou a autoprodução a partir de análises comparativas dos investimentos necessários, potenciais de retorno e estímulos regulatórios. 

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »