08/09/2014 às 04h00min - Atualizada em 08/09/2014 às 04h00min

Inseed faz aporte em empresa com tecnologia única que recicla poliamida na produção industrial

Investimento em solução inovadora para atender setores automobilístico, moveleiro e eletroeletrônico; deve contribuir para que a indústria retire mais de 15 mil toneladas por ano de resíduos têxteis de poliamida (nylon) do meio ambiente, materiais que podem levar 400 anos para se decompor

William Parron

A INSEED Investimentos, gestora de recursos focada em empresas inovadoras com alto potencial de crescimento, acaba de anunciar aporte de capital na H3 Polímeros, empresa que desenvolveu uma tecnologia própria patenteada mundialmente, por meio da qual extrai o elastano (lycra) de resíduos de poliamida 6 e 6.6 da indústria têxtil, mantendo suas propriedades originais e reutilizando-a na produção de plásticos de engenharia com alta performance. Agora, esse material, que levaria até 400 anos para ser decomposto na natureza, é reaproveitado no desenvolvimento de produtos que atendem às indústrias automobilística, eletroeletrônicos, moveleira, construção civil, entre outros. “A perspectiva do fundo é investir em parceiros que têm soluções inovadoras, sustentáveis e com grande potencial para crescimento escalonado em diversos segmentos de mercado. A H3 é uma empresa que atua com processos com impacto positivo relevante no meio ambiente, disponibilizando produtos com alto valor agregado”, afirma Alexandre Alves, diretor da INSEED Investimentos.

 

 

O investimento - efetuado por meio do FIP INSEED FIMA – Fundo de Inovação em Meio Ambiente, primeiro fundo do Brasil destinado ao segmento de inovação aplicada ao meio ambiente -, será destinada à ampliação da capacidade produtiva, Pesquisa & Desenvolvimento, estruturação da gestão e expansão internacional. Já a partir do aporte, o FIP INSEED FIMA passa a participar da composição acionária e a equipe de aceleração da INSEED já começa a agregar know how na gestão da empresa. "Já por conta de nossa experiência anterior, sabíamos da importância do sócio-investidor para a criação de um negócio profissional, com governança corporativa e que possa ser perene. A equipe da INSEED, que tem perfil empreendedor como o nosso, veio agregar conhecimento e contribuir substancialmente na tomada de decisões", considera Ronaldo Heilberg, sócio fundador da H3 Polímeros.

 

Crescimento estruturado

 

A H3 Polímeros tem como meta para 2014 dobrar o número de clientes chegando próximo a sua capacidade atual de produção de 250 toneladas mensais de plásticos de engenharia. Para tanto, a empresa já trabalha no desenvolvimento de novas aplicações técnicas (utilização conforme propriedades específicas) para os polímeros. A empresa vislumbra ainda, não só crescer nacionalmente, mas também exportar sua tecnologia para outros mercados. Com a planta industrial situada em Bom Jesus dos Perdões (SP), é a primeira empresa brasileira a deter uma patente da área de Logística Reversa em seu segmento e está apta a fornecer o Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental (CADRI), atendendo a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/10). Em sua carteira de clientes há players dos segmentos automobilístico, eletroeletrônico, construção civil, moveleiro, entre as mais diversas aplicações.


Sobre o FIP INSEED FIMA

 

O FIP INSEED FIMA – Fundo de Inovação em Meio Ambiente é o primeiro fundo destinado ao segmento de Inovação Tecnológica aplicada ao meio ambiente do Brasil. Gerido pela INSEED Investimentos, o Fundo tem R$ 165 milhões de capital comprometido, captados junto a investidores como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), fundos de pensão e investidores privados. A perspectiva é de efetuar aporte de capital em 20 empresas do setor de tecnologias limpas com faturamento de até R$ 20 milhões/ano. Em 15 meses do Fundo foram 556 empresas prospectadas e três investidas. Além da Lamiecco e da H3 Polímeros, o primeiro aporte do fundo foi na EcoSynth, empresa de biotecnologia ambiental com soluções que permitem reduzir em cerca de 50% a geração de resíduos no tratamento de efluentes industriais e sanitários.

 

A estratégia do FIP INSEED FIMA contempla três eixos de investimento: Soluções Ambientais (Gestão e Recuperação de Resíduos Sólidos, Reuso e Tratamento de Água e Efluentes, Descontaminação do Solo e Recuperação de Paisagens e Despoluição do Ar e Redução da Poluição Sonora), Tecnologias Avançadas (Gestão e Uso Sustentável de Energia, Materiais Alternativos, Construções Verdes e Agropecuária Sustentável) e Novos Modelos (Serviço de Logística e Mobilidade Urbana, Eco-franquias e Novos Projetos e Desenho de Produtos e Serviços Sustentáveis).

 

Sobre a INSEED Investimentos

 

A INSEED Investimentos é uma gestora de recursos focada em empresas inovadoras com alto potencial de crescimento. Foi criada em 2009 a partir de uma spin-off do Instituto Inovação S/A, grupo que atua desde 2002 no segmento de inovação tecnológica, acelerou cinco empresas de base tecnológica e presta serviço para grandes empresas, governos, instituições e universidades, com objetivo de estabelecer um elo entre desenvolvimento científico e mercado. Entre suas iniciativas está a co-gestão do Fundo Criatec, maior fundo de capital semente do Brasil, com R$ 100 milhões de capital comprometido e que tem o BNDES e o BNB como cotistas. O Fundo Criatec investiu em 36 empresas e formou a principal carteira de S/As de inovação no segmento de pequenas e médias empresas do País. Desde 2012 a INSEED gere o FIP INSEED FIMA, o que totaliza R$ 265 milhões sob gestão.

 

Sobre a H3 Polímeros

A H3 Polímeros é uma empresa que utiliza uma tecnologia própria patenteada mundialmente e exclusiva no segmento, na produção de plásticos de engenharia de poliamida, por meio da reciclagem de sobras de tecidos da indústria têxtil coletados por um processo de logística reversa. Com uma planta industrial situada em Bom Jesus dos Perdões (SP), a empresa desenvolve produtos que podem ser utilizados na produção de componentes das indústrias automobilística, de eletroeletrônicos, moveleira e outras; além de contribuir para que as empresas têxteis cumpram com as determinações da Política Nacional de Resíduos Sólidos, por meio do reaproveitamento de materiais que seriam descartados.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »