04/09/2014 às 04h31min - Atualizada em 04/09/2014 às 04h31min

Efeitos da mudança na data do leilão de energia A-5 serão debatidos em São Paulo

A diretora de Tesouraria e Relações com investidores da AES Brasil, Clarissa Sadock Accorsi, e o gestor do Fundo de Energia I da Rio Bravo Energia, Fábio Okamoto, estão confirmados para discutirem o assunto no próximo dia 15 de setembro no Energy Summit

Michele Carvalho

Com a alteração na data de realização do leilão de energia elétrica A-5 (para ser entregue em cinco anos) para o dia 28 de novembro, conforme publicação do Ministério de Minas e Energia no Diário Oficial da União, o evento Energy Summit 2014 promoverá um debate para discutir quais os efeitos dessa alteração tanto para uma distribuidora, quanto para um investidor de energia, no próximo dia 15 de setembro, às 11h20. Estão confirmadas as presenças da diretora de tesouraria e relações com investidores da AES Brasil, Clarissa Sadock Accorsi, e do gestor do fundo de energia I da Rio Bravo Energia, Fábio Okamoto.

 

Além do debate, os especialistas farão uma análise pré e pós leilão para melhor estruturação financeiro-econômica, apontarão qual a melhor fonte de capital e quanto e como diversificar os recursos de financiamento do projeto para compor uma estrutura segura e rentável para cada projeto.

 

Leilão - O objetivo do leilão é que os novos empreendimentos tenham geração de fontes hidrelétrica, eólica, solar e termelétrica (movidas a biomassa, carvão ou a gás natural). Além da alteração de data, o Ministério aumentou o prazo para termelétricas protocolarem documentos que comprovem a disponibilidade de combustível até às 12 horas de 29 de setembro e autorizou que os projetos de hidrelétricas (com potência superior a 50 megawatts) possam ser habilitados pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) até às 12 horas de 10 de novembro.

 

De acordo com o edital, o preço-teto para os empreendimentos de geração eólica e solar é de R$ 137 por megawatt-hora (MWh), para usinas hidrelétricas de R$ 158 por megawaat-hora (MWh) e para as termelétricas de R$ 197. A previsão é que oferta de energia comece em 1 de janeiro de 2019. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »