29/04/2021 às 20h37min - Atualizada em 29/04/2021 às 21h08min

Pelo fim à violência contra as crianças

Cícero Manoel Bezerra (*)

SALA DA NOTÍCIA NQM
http://www.uninter.com.br
Shutterstock
Apesar da pandemia e da dor devido à perda dos entes queridos, ainda chegam, as notícias tristes a respeito dos maus tratos de crianças. Os pequeninos sem habilidades para se defender sofrem nas mãos de pais desajustados. O sofrimento vem de dentro de casa, local que deveria ser ambiente seguro, onde pais e mães, que deveriam dar apoio e educação para que a criança cresça de forma saudável, são os principais algozes de seus filhos.

Dois casos recentes de maus-tratos mostram exatamente o descontrole emocional dos pais. O primeiro registro mostra o espancamento de uma criança de apenas seis anos pelo seu próprio pai que a agrediu com cabo de USB, após uma briga com a esposa, e depois trancou a criança numa jaula. O descontrole emocional acabou sendo descarregado sobre uma criança indefesa cujo emocional será afetado, assim como a percepção que ela terá por toda a vida a respeito do seu pai e sua mãe. O segundo caso mostra uma criança de três anos deixada nua, dentro de um barril pela própria mãe, uma jovem de 20 anos, que foi presa em flagrante. A criança tem deficiência e estava desnutrida. Dois relatos entre os inúmeros que acontecem diariamente.

As estatísticas sobre maus-tratos infantis são isoladas e pouco concentradas. Dados do estudo “Inspire”, conduzido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em parceria com diversas entidades internacionais e divulgado em 2016, estimou que em todo o mundo cerca de 1 bilhão de crianças e adolescentes entre 2 e 17 anos sofreram violência psicológica, física ou sexual no ano anterior à coleta dos dados. O levantamento foi feito em 96 países. É assustador.

Dados mais recentes no Brasil mostraram que o número de denúncias de violência contra crianças e adolescentes caiu 12% durante os meses da pandemia em 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado. Segundo o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, foram registradas 26.416 denúncias pelo canal “Disque 100” entre março e junho de 2020, contra 29.965 no mesmo período de 2019. Ainda assim é um indicador alarmante.

É necessário dar um basta à violência infantil. As crianças precisam de uma figura paterna e materna para ter confiança e segurança no seu desenvolvimento, em especial na fase de 0 a 7 anos. Precisam de possibilidades de futuro, ambiente seguro, onde haja harmonia, paz, carinho e proteção. Precisam de alimentação para que atenda suas necessidades físicas e essa é uma tarefa dos pais.

As crianças precisam brincar, correr, pular para ter um desenvolvimento emocional sadio. Precisam de educação como estabelece o artigo 227 da Constituição Federal que diz “ser dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão”.

Pais, mães e responsáveis devem ser comprometidos com a boa criação de seus filhos para que se tornem cidadãos saudáveis com boa formação ética e valores que possam ser reproduzidos por gerações.

(*) Cícero Manoel Bezerra é Doutor em Teologia e Coordenador da Área de Humanidades da Escola Superior de Educação do Centro Universitário Internacional UNINTER

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »