04/09/2014 às 17h08min - Atualizada em 04/09/2014 às 17h08min

Sabesp despeja esgoto na Guarapiranga e cobra pelos serviços da comunidade

A constatação foi feita por técnicos da Secretaria do Verde e Meio Ambiente que estivem no local fazendo testes; solução é jogada na casa de morador e corre a céu aberto;

Gabinete vereador Ricardo Nunes

Por meio de denúncias feitas ao vereador Ricardo Nunes, moradores do Jardim Vera Cruz e Jardim Novo Horizonte, relatam o drama que vivenciam há mais de cinco anos com a falta de água potável e de serviços de saneamento, nos bairros Jardim Vera e Jardim Novo Horizonte . A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), responsável pelos serviços, cobra a taxa, mas o esgoto corre a céu aberto escorrendo diretamente na represa da Guarapiranga.

Nesta quinta-feira (29/08), a técnica da Secretaria do Verde e Meio Ambiente Flávia Madruga aplicou teste para aferir a ligação da rede de esgoto no bairro, constatando e considerando um crime ambiental feito pela própria Sabesp que não está enviando o esgoto coletado para a EEE Estação Elevatória de Esgoto, conforme divulgou em nota. Impossibilitando ainda de o esgoto ser bombeado para Estação de Tratamento de Barueri. Todo o esgoto coletado vai para a represa da Guarapiranga.

O teste foi feito com corante na casa do morador que paga entre R$ 50,00 e R$ 60,00 ao mês pelos serviços de água e esgoto, no entanto, tudo que é coletado vai direto para as ruas do bairro. A solução azul, como pode ser visto na foto, foi despejado do no vaso sanitário do morador. “A rede de esgoto da Sabesp não está ligada até ao final na “suposta estação de tratamento”. Apesar de não ter tido a permissão para verificarmos as bombas de tratamento, não há indícios de que esteja realmente funcionando. Não há barulho. Isso é mais um problema”, discorreu.

Os moradores alegam que das quatro bombas utilizadas para fazer o bombeamento do esgoto, apenas uma está no local, no entanto, quebrada.

Denúncia

A denúncia já havia sido comunicada a Sabesp pelo vereador Ricardo Nunes, por meio do ofício no. 152/2013 solicitando esclarecimentos. Como resposta, a Sabesp alegou que um núcleo de estudo estaria em andamento para implantação da rede de esgoto. Na última semana, o presidente da Associação de Arte e Cultura Jardim Vera Cruz, Júlio Cesar Fonseca, aproveitou a caminhada do candidato a governador Paulo Skaf para mostrar o drama que vivem aqueles moradores.

Divergências

Em nova Nota, a Sabesp afirmou os moradores estariam em área irregular. De acordo com a técnica da Secretaria do Verde e Meio Ambiente, “a casa vistoriada- assim como as demais -, está ligada à rede de esgoto e a cobrança está sendo feita, por tanto não há como afirmar que existe irregularidade”, esclarece. 

Foi constatado ainda, que existem várias caixas coletoras ao longo das vias, o que configura que a Sabesp coleta o esgoto da comunidade, conforme explicou a técnica. Ao tentar entrar na suposta Estação de Tratamento, um profissional de vigilância impediu a entrada pedindo a permissão, até mesmo do vereador que acompanhava a diligência. O local estava silencioso sem barulho de funcionamento da estação, conforme já se ouvia os relatados.

Segundo os moradores, depois das denúncias da última semana, a Sabesp tem enviado um caminhão Pipa para fazer a retirada de parte do esgoto. E que, alguns dias durante a semana à noite, uma das bombas de tratamento é ligada.

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, encaminhará o relatório da visita técnica intimando a Sabesp prestar esclarecimentos no prazo máximo de 15 dias para dar um retorno para comunidade.

Abastecimento

Para especialistas, a qualidade da água da represa Guarapiranga está comprometida pelo despejo do esgoto doméstico.  Estima-se que mais de 2,8 mil milhões de pessoas que residem na zona sul de São Paulo são abastecidas pela represa Guarapiranga e distribuída pela Estação de Tratamento Água no Alto da Boa Vista.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »