26/04/2021 às 15h40min - Atualizada em 26/04/2021 às 22h20min

Pesquisa da Robert Half revela aumento de 40% nas contratações para projetos no primeiro tri de 2021

59% dos executivos brasileiros afirmam que utilizarão mais mão de obra especializada para projetos nos próximos anos

SALA DA NOTÍCIA Robert Half

São Paulo, abril de 2021 - Os últimos meses exigiram postura ativa e extremamente resiliente das organizações dos mais variados segmentos. Tendências que até o último ano eram apontadas para o futuro do mercado de trabalho, hoje fazem parte do presente, como é o caso do modelo de contratação para projetos. De acordo com os dados obtidos pela 15ª Edição do Índice de Confiança Robert Half (ICRH), lançado em março deste ano, o primeiro trimestre de 2021 apresentou aumento de 40% nas contratações para este modelo de atuação em comparação ao mesmo período de 2020.   

“A crescente nos processos de contratação de profissionais especializados para projetos já é um movimento que vem ocorrendo nos últimos anos e foi significativamente acelerado pela pandemia. Outra percepção interessante, que já mostra a maturidade do mercado, é que os prazos dos projetos estão diminuindo. Esse é um indicador de que o empresário brasileiro vê essa solução como estratégica para o seu negócio e não apenas para cobrir ausências temporárias.”, aponta Lucas Nogueira, diretor de recrutamento da Robert Half. 

O relatório Demandas por talentos no cenário atual indicou as top 5 áreas com mais procura para projetos especializados no primeiro semestre de 2021. O setor de tecnologia é o maior destaque, com 39% dos recrutadores afirmando que contrataram profissionais temporários para a área de TI da empresa nos últimos meses. Atendimento ao cliente, apoio administrativo, marketing e vendas, finanças e contabilidade vêm logo em seguida. 

Tendência que se fortalece para o futuro

Na visão de 59% dos empregadores, as suas empresas irão utilizar mais mão de obra especializada para projetos nos próximos anos. Do lado dos profissionais, 64% acreditam que trabalhar como um colaborador especializado em um projeto temporário se consolidará como tendência para o Futuro do Trabalho e quase 80% creem que, em 5 anos, haverá mais oportunidades para atuar em projetos do que atualmente.

Maior abertura dos profissionais

Além de uma maior demanda por parte do mercado, os profissionais estão bem mais abertos aos modelos de contratação que visam sanar alguma demanda pontual, sazonal ou emergencial, sem inflar o quadro de colaboradores permanentes. Apenas 17% dos profissionais empregados entrevistados pela Robert Half disseram que não aceitariam uma oportunidade em um projeto temporário. Entre os profissionais desempregados, o número despenca para 1%.

O que explica o aquecimento 

De acordo com as empresas, os motivos para a tendência de aumento nesse modelo de contratação estão relacionados às oportunidades de projetos pontuais (40%), à necessidade de as organizações se tornarem mais ágeis e flexíveis (17%) e de aliviar as sobrecargas das equipes (13%). Os profissionais acreditam também na preferência e facilidade de contratação por projetos em relação à ampliação do headcount de permanentes (66%) e na mudança de mindset das organizações (51%).

“Entre os principais motivos para o crescimento na demanda estão a flexibilização da legislação trabalhista brasileira que, desde novembro de 2017, possibilitou a terceirização de atividades-fim por parte das empresas, diminuindo a insegurança jurídica que antes era significativa. Além do próprio cenário de incertezas, diretamente associado à pandemia, que gera receio nas empresas em relação à possibilidade de contratações futuras de profissionais permanentes.”, completa o executivo da Robert Half. 

Oportunidades geradas e principais vantagens

Na percepção dos profissionais que estão dispostos a trabalhar por projetos, as principais oportunidades estão associadas à possibilidade de trabalhar em uma empresa fora do país, mesmo que remotamente (49%), atuação em um projeto desafiador (43%) e ampliação de conhecimentos e networking (43%). 

A grande maioria dos entrevistados (92%) ainda disseram que trabalhar por projetos foi ou é positivo para os seus currículos e apontam que as principais vantagens são: adquirir experiência (69%), networking (66%), contato com ferramentas novas (55%), oportunidade de efetivação (52%) e flexibilidade (42%).

Metodologia do ICRH - Lançado em agosto de 2017, o Índice de Confiança Robert Half (ICRH) é um indicador de difusão que varia de 0 a 100. Os indicadores de difusão são de base móvel (50 pontos), construídos de forma que os valores acima de 50 pontos indicam agentes do mercado de trabalho de profissionais qualificados confiantes. A 15ª edição do ICRH é resultado de uma sondagem conduzida pela Robert Half entre os dias 09 e 28 de fevereiro de 2021, com base na percepção de 1161 profissionais, igualmente divididos em três categorias: recrutadores (profissionais responsáveis por recrutamento nas empresas ou que têm participação no preenchimento das vagas); e profissionais qualificados empregados e desempregados (com 25 anos de idade ou mais e formação superior). Todos distribuídos regional e proporcionalmente pelo Brasil, de acordo com os dados do mercado de trabalho coletados na PNAD. Para os cálculos da taxa de desemprego dos profissionais qualificados, foram utilizados os microdados da PNAD trimestral, fornecidos pelo IBGE em seu portal. Foram executados recortes na amostra para condizer com o perfil de profissionais qualificados, conforme mencionado.

Sobre a Robert Half

É a primeira e maior empresa de recrutamento especializado no mundo. Fundada em 1948, a empresa opera no Brasil selecionando profissionais temporários e permanentes nas áreas de finanças, contabilidade, mercado financeiro, seguros, engenharia, tecnologia, jurídico, recursos humanos, marketing e vendas e cargos de alta gestão.  

Ao todo são mais de 300 escritórios na América do Norte, Europa, Ásia, América do Sul e Oceania. Em 2021, a Robert Half foi novamente considerada pela Fortune uma das empresas mais admiradas do mundo. A Robert Half integra também o Índice de Igualdade de Gênero da Bloomberg, graças ao seu compromisso em promover a igualdade e proporcionar uma cultura que apoia a diversidade.

Mais informações para a imprensa:

RPMA Comunicação
Leonardo Stavale (11) 98118-0455 
[email protected]
Giulia Szpektor (11) 94386-9965
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »