25/08/2014 às 02h23min - Atualizada em 25/08/2014 às 02h23min

LUCAS PENNACCHI EXPÕE NO MESTIÇO

Após 25 anos apresentando sua arte no Brasil e no exterior, o artista plástico Lucas Pennacchi estará até 14 de Setembro de 2014, no Mestiço com a exposição “Além Natureza”. Serão 23 obras escolhidas especialmente para o Mestiço.

Suggestiva Comunicação

Após 25 anos apresentando sua arte no Brasil e no exterior, o artista plástico Lucas Pennacchi estará até 14 de Setembro de 2014, no Mestiço com a exposição “Além Natureza”. Serão 23 obras escolhidas especialmente para o Mestiço.

“Lucas Pennacchi teve o privilégio de crescer num ambiente que se respirava arte. Filho do grande desenhista, pintor, muralista e ceramista Fulvio Pennacchi e Filomena Matarazzo Pennacchi, foi vendo o pai trabalhar que ele se deixou envolver pelo fascínio da pintura. Fulvio, vendo em Lucas seu herdeiro artístico, guiou com desvelo seus primeiros passos no terreno do desenho e da pintura (...) Lançando mão da tinta acrílica, da areia, do nanquim e de outros materiais, e conservando uma certa maneira de ver que lembra a de seu pai - a maneira de ver de um mestre - Lucas Pennacchi avança cada vez mais em direção a um universo pictórico pessoal e único, caracterizado por fina sensibilidade e reinvenção da paisagem brasileira em sua dimensão de lirismo e poesia”, comentou o renomado crítico de arte, marchand e colecionador Enock Sacramento.

Artista catalogado no Julio Louzada e há mais de 25 anos no mercado de artes, as obras de Lucas Pennacchi foram adquiridas por galerias como Renot, Galeria Mizrahi e Jacques Ardies, e se encontram à venda nos espaços culturais mais importantes de São Paulo.

O estilo singular e ousado de Lucas orna as paredes das casas de diversos conhecedores e apreciadores tais como as das famílias Matarazzo Benavides, Setúbal, Lindenberg, Comenale, Vandersen, Pacheco e, do renomado médico psiquiatra Dr. Táki Athanassius Cordás, colecionador de obras do artista.

Excerto da Biografia de seu pai, Fulvio Pennacchi

“Luca se dedica com interesse e amor à pintura e rapidamente mostrou, com rara facilidade, como vencer problemas pictóricos, compositivos e de desenho no sentido de alcançar o que de mais lindo existe na paisagem, sem procurar os cânones modernos das imitações, fórmulas que estão muito na moda hoje (...) com o desejo de alcançar uma beleza agradável, exprimir e mostrar aos homens o que Deus criou para nós com tanto amor”.

Excerto de Olívio Tavares de Araújo, consagrado crítico de arte (1996)

“Lucas Pennacchi tem hoje 31 anos, não é mais nenhum adolescente, nem um principiante na criação. Por isso mesmo, achei que se pode prever que seu copo é este e não outro, uma pintura figurativa do sensível imediato. Mas seria temerário considerar circunscrito seu futuro.  É certo, por um lado que o lirismo dos Pennacchi sempre o vai acompanhar, é certo ainda que seu temperamento é de quem deseja uma arte do prazer, e não do questionamento existencial, mas é certo finalmente que não se sabe que alterações haverá entre seu talento e o entorno. Neste instante, Lucas se contenta em dar forma á sua própria poesia. Daqui há anos poderá ter sido um resistente de certo tipo de proposta, ao mesmo tempo em que poderá estar fazendo outras vertentes de linguagem. Vamos esperar enquanto observamos gostosamente sua pintura atual”.

Crítica por Valério Antônio (2002)

“Lucas é um pintor! A infinita variedade e inventividade de suas cores é um sub-produto de uma auto estimulação que dá início a um processo interno de recepção sensorial como se a pintura resultante fosse seu sexto sentido!

É louvável o rigor que tem para com o seu trabalho. Sempre a partir de uma referência real, cria imaginárias paisagens marinhas ou interioranas de caráter idealizador e romântico, passando para as naturezas mortas, flores e frutos, e desaguando de forma fortuita e borbotoante em feixes de peixes e pássaros e outras formas geométricas criando composições francamente oníricas, mas sempre com proporções harmoniosas”.

Excerto do texto de Valério Pennacchi, marchand, escritor e colecionador das obras do artista - "Considerações sobre o trabalho de Lucas Pennacchi",  outubro de 2002.

 “Lucas Pennacchi nasceu em São Paulo, em 1960. Pintor, gravador e desenhista, desde criança se dedicou à arte pictórica com seu pai, o consagrado Fulvio Pennacchi. A proposta de sua pintura é direcionada pela estética e proporção, resultando muitas vezes em uma mescla entre o geométrico e o figurativo. Expressa, em suas várias fases, uma poesia colorida da natureza, do amor e do humor. Seu imaginário é transferido para as telas através das mais diversificadas técnicas e temas. Lucas brinca com as cores e as formas com tal facilidade que faz sentir ao observador que no mundo não há limites - o amor entre um pássaro e um peixe, por exemplo. Outras linguagens, como no caso dos abstratos, transcendem as fronteiras do cotidiano através de uma força divina em toda sua epifania”.

 

 

 

Serviço:

Exposição: Lucas Pennacchi – “Além Natureza”

Realização: Eduardo Esteves Arts Management

www.amelp.com.br[email protected]

Local:Restaurante Mestiço

Rua Fernando de Albuquerque, 277 – Consolação

São Paulo – Telefone: (11) 3256-3165

Período: até 14 de setembro de 2014

Horário: Todos os dias a partir das 11h45

Técnica: Técnica Mista sobre tela

Dimensões:  De 34x24cm até 200x100cm

Preços: De R$ 800,00 até R$ 8.000,00

Censura: Livre

Entrada:Gratuita

Estacionamento:Pago com manobrista

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »