29/08/2014 às 05h15min - Atualizada em 29/08/2014 às 05h15min

Financiamento e investimento em Infraestrutura

O painel “Financiamento e investimento em Infraestrutura” será pauta do painel 10 que acontecerá no 12 de setembro de 2014, das 10h40 às 12h00...

Imprensa AEAMESP
O painel “Financiamento e investimento em Infraestrutura” será pauta do painel 10 que acontecerá no 12 de setembro de 2014, das 10h40 às 12h00, como parte da programação da 20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. Considerado o principal Congresso Técnico da América Latina, a STM é uma realização da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metro – AEAMESP de 09 a 12 de setembro, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP).
 
A idéia dos organizadores ao propor o tema foi o de realizar um encontro entre agentes públicos e privados de financiamento e representantes de empresas responsáveis por obras de infraestrutura, para uma discussão sobre sugestões para elevar o nível dos investimentos em infraestrutura.
 
Financiamento e investimento em Infraestrutura
A solução dos sérios gargalos de infraestrutura no Brasil propiciará a melhoria do bem-estar da população através do acesso universal a serviços como fornecimento de energia elétrica, comunicações, transportes de bens e serviços, mobilidade urbana e saneamento. Uma infraestrutura adequada, incluindo a de mobilidade urbana, pode tanto promover oportunidades de ampliação dos negócios e de empregos de qualidade, quanto aumentar a produtividade da estrutura produtiva e a competitividade nacional.
 
Segundo o levantamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a participação do investimento em infraestrutura nos últimos anos no Brasil girou ao redor de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) enquanto na América Latina esse número atingiu entre 4 e 6% do PIB. Apurou ainda que de 2010 a 2012 o BNDES e a Caixa Econômica Federal (CEF) responderam por 39% dos financiamentos em infraestrutura que somados aos financiamentos liberados por fundos de investimento patrocinados por instituições públicas e por outros bancos públicos, além daqueles garantidos pelo Tesouro, é provável, que governo tenha sido responsável por mais de 65% dos recursos investidos.
 
“Enquanto esta responsabilidade continuar basicamente dependente do setor público, os investimentos em infraestrutura não alcançarão patamares necessários para que o Brasil possa crescer mais aceleradamente”, diz o presidente da AEAMESP, Emiliano Stanislau Affonso.
 
Papel dos bancos privados
 
Para que seja possível se atingir os níveis necessários de investimento em infraestrutura, será necessário contar com o aporte de recursos  e capitais privados. Porém, há um conjunto de questões que dificultam, em especial, a participação dos bancos privados nos projetosgreenfieldde longo prazo, entre elas:
 
 •         A atratividade das alternativas de aplicação dos recursos, tais como: empréstimos de curto prazo, títulos do governo, etc.;
 
•         A falta de liquidez das debêntures de infraestrutura;
 
•         O risco de inadimplência durante o período de construção; 
 
•         As dificuldades regulatórias e de construção das grandes obras urbanas;
 
•         Percepção de risco relacionada às agencias reguladoras dos serviços concedidos e de "mudança das regras do jogo”, entre outras.
 
Sistema de garantias e mercado secundário de ações
 
Hoje os governos criam mecanismos de garantia para o risco inadimplência dos projetos, porém esta capacidade é limitada diante do volume necessário de novos projetos, além disto, parece necessário o fortalecimento do mercado secundário de ações para permitir que os títulos sejam renegociados antes de seu vencimento.
 
Coordenador:
Fausto Morey - consultor e assessor técnico da Secretaria dos Transportes Metropolitanos
 
Palestrantes:
Marcio Giannico - gerente executivo da Diretoria Comercial do Banco do Brasil; Ricardo Von Glehn – diretor Financeiro da Concessionária Move São Paulo; Hugo Gonçalves Vieira da Assunção - Odebrecht Transport e Guilherme Narciso de Lacerda - diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente e Agropecuária e de Inclusão Social do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES.
 
Sobre a Semana – Realizada anualmente pela Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô (AEAMESP), a Semana de Tecnologia Metroferroviária é considerada o mais importante Congresso Técnico do setor de transporte metroferroviário do País. Durante os quatro dias de evento, técnicos das operadoras, dirigentes empresariais e profissionais do setor debaterão questões importantes relacionadas à mobilidade urbana nas grandes cidades. Durante os quatro dias serão apresentados 44 trabalhos e 11 paineis que abordarão temas voltados à mobilidade urbana. 
 
Sobre a METROFERR 2014 – Paralelamente ao Congresso, acontecerá a METROFERR, uma exposição que reúne empresas fabricantes de equipamentos metroferroviários, fornecedores de peças e serviços, mídias especializadas, etc. que levam ao evento as inovações oferecidas ao mercado. 
 
Para conhecer as opções de patrocínio e exposição, basta entrar em contato com David Niegeski, na CKZ Eventos: [email protected] ou nos telefones (21) 9737-7492 e (21) 2249-9550. 
 
Serviço
 
20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária
Data: 09 a 12 de setembro de 2014
Horário: 1º dia – 12 às 17h30
Horário: 2º ao 4º dia – 9h00 às 17h30
Local: Centro de Convenções Frei Caneca 
Endereço: Rua Frei Caneca, 596 – São Paulo – SP
 
Credenciamento à Imprensa até o dia 08/09 com Katia Siqueira – [email protected]
 
____________________________________________________________
 
 Informações para a Imprensa 
 Digital Assessoria Comunicação Integrada                          
(11) 3667-0640/ 5574-1103 / 5579-2918 / 9740-6122                           
Katia Siqueira – [email protected]                            
Letícia Silvi – [email protected]                            
Rodney Vergili – [email protected]

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »