24/07/2020 às 16h58min - Atualizada em 28/07/2020 às 15h13min

Cauda quebrada: saiba como agir para ajudar na recuperação do seu pet

A cauda é uma parte muito importante no corpo de cães e gatos porque é uma extensão da coluna vertebral desses animais. No entanto, por ficar mais exposta, e em constante movimento, ela pode ser facilmente lesionada.

 

Para se ter uma ideia, até uma preensão na porta pode causar estrago no rabo. Nessas horas, o mais importante é saber como cuidar do animal para evitar complicações e acelerar a recuperação do bichinho.

 

Procurar atendimento médico-veterinário é o primeiro passo, sem sombra de dúvidas, mas existem medidas que você pode tomar mesmo dentro de casa.

Cauda

Como já foi dito, a cauda é a continuidade da coluna vertebral de cães e gatos. Contudo, além de ser uma forma de comunicação, pois, o balançar do rabo não significa somente que o animal está feliz, essa parte do corpo colabora para o equilíbrio do bicho — sua real função.

 

Apesar de, muitas vezes, se manter em constante movimento, o rabo é muito frágil, por ser recoberto apenas por uma pequena camada de músculo, pele e pelos.

 

É exatamente essa fragilidade que faz com que edemas e rompimentos aconteçam, principalmente, em situações em que o animal se sinta ameaçado ou, por um acidente, acabe tendo o rabo preso em uma porta, por exemplo.

 

Isso sem falar que, por estar muito próxima das regiões excretoras, ânus, pênis e vagina, uma cauda com problemas também pode interferir na defecação e na micção do seu cão ou gato. 

 

Falar de todos esses fatores é importante para que donos de animais como esses tenham a real noção do perigo que é ter o rabo do seu pet machucado. Trata-se, na verdade, de um alerta. 

Sinais

O primeiro sinal que qualquer bicho dá quando está machucado é a mudança de comportamento. Eles podem ficar mais quietos, se movimentando menos e apresentando hematomas na região ferida. 

 

Se a suspeita é de que ele tenha machucado a cauda, tente pegar essa parte, com muito cuidado, e sentir se existe alguma deformidade evidente, inchaço ou pus. Também verifique a reação do animal. No geral, nenhum deles gosta de ser tocado nessa parte do corpo, mas tente observar se há algum desses indícios.

 

Na dúvida, o mais interessante é sempre buscar ajuda de um profissional. É o médico-veterinário que vai poder analisar com cautela o que pode ter acontecido e quais são as medidas que devem ser tomadas daqui para frente.

 

Em alguns casos mais graves, o animal pode ter parte ou a cauda inteira amputada. Entretanto, na maioria das vezes, trata-se de rompimento de nervos na região, que causa muita dor ou, até mesmo, pequenas torções e fraturas, que podem ser resolvidas com a imobilização do local.

Tratamento

Chegando em casa, todas as orientações veterinárias devem ser seguidas a risca, e a observação do comportamento do animal continua sendo importante. Caso perceba que ele esteja tendo dificuldade na hora de fazer coco ou mesmo urinando sem perceber, pode ser que o machucado tenha afetado o aparelho excretor.

 

Na dúvida, fale com o veterinário. Não deixe que o animal lamba a região, principalmente se tiver com feridas expostas. Nesse caso, o recomendado é o famoso colar elizabetano, aquele cone colocado no pescoço, que impede que o animal consiga lamber a cauda.

 

O uso de anti-inflamatórios e analgésicos prescritos deve ser feito com a regularidade proposta pelo médico para aliviar as dores no animal. Por isso, atente-se aos horários. Com esses cuidados e uma dose extra de carinho e atenção, logo seu bichinho estará recuperado.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »