28/07/2020 às 11h41min - Atualizada em 28/07/2020 às 15h13min

Veja porque o seu armário pode dizer muito sobre a sua personalidade

A escolha das roupas que ocupam espaço no seu guarda-roupa vai muito além de seguir tendências ou momentos em que você resolveu presentear-se. Aliás, a sua relação com as peças está diretamente relacionada com o seu histórico pessoal, as referências construídas ao longo da vida, os gostos e a gestão de necessidades.

Isso não significa necessariamente que quem tem mais peças no armário é mais superficial do que tem apenas uma camiseta para cada dia da semana. Porém, isso diz muito sobre a personalidade de cada um, sendo este o assunto deste texto. 


Menos é mais 

A começar pelo total de peças disponíveis no armário, é possível dizer muito sobre cada pessoa. Os armários cápsulas, como são conhecidos, abrigam uma pequena quantidade de roupas híbridas, geralmente, em tons neutros. A ideia desse estilo é oferecer praticidade, aliada à sustentabilidade e maior duração das peças.

Quem tem um desses armários possivelmente sabe exatamente o que gosta de vestir, prefere peças que durem mais tempo, tenham mais qualidade e conforto, além de não darem muita bola para tendências passageiras. Costumam ter um estilo mais básico, que passeia entre diferentes ocasiões, podendo usar a mesma calça para ir trabalhar ou sair com os amigos, por exemplo. 


Coleções e histórias

Por outro lado, temos as pessoas com armários repletos de peças muito distintas entre si. Isso pode se desdobrar em duas características: curadoria afetiva ou consumo excessivo.


Curadoria afetiva 

Stylists, colecionadores, brechozeiros e afins, esses são alguns dos perfis das pessoas que costumam ir atrás de peças com histórias e toques especiais. 

Nem sempre eles estão procurando peças para o uso cotidiano. Em busca de materiais diferenciados, modelagens surpreendentes e etiquetas vintage, com um olhar apurado, eles fazem da busca pelas peças um hobby. 

Outra leitura é que eles olham mais para a individualidade das peças do que para uma determinada tendência, ou seja, por mais que tenham um número absurdo de roupas, cada uma delas vai ter uma narrativa muito bem conhecida por eles. 


Consumo excessivo

Nos últimos anos, a indústria da moda tem revisto a forma como organiza seus calendários, o que influencia diretamente na velocidade com que as tendências e os produtos chegam nas mãos dos clientes ao redor do mundo. 

Uma das críticas ao universo do fast fashion e de seus consumidores é que as tendências mudam muito rápido, exigido que quem quer se manter atualizado com as peças do momento faça constantes idas às lojas.

Isso reflete mais pessoas usando as mesmas peças, virando uma espécie de uniforme ditado pelas marcas. Embora cada um tenha a liberdade de escolher o que vestir, as opções acabam ficando limitadas. 

Com isso, as pessoas passam a depender do que a indústria quer que elas vistam, adquirindo peças que, nem sempre, duram ou valorizam o estilo pessoal de cada um. 


Reflexão

Algumas dicas, antes e durante as compras, podem ajudar a escolher peças que tenham mais a ver com o seu estilo e que vão permanecer no seu armário por mais tempo. Desse modo, você pode fazer perguntas, como:

 
  • realmente vou usar essa peça? 

  • o material é compatível com o preço que estou pagando? 

  • ela tem a ver comigo ou me chamou atenção por ser uma tendência? 

  • já tenho alguma peça assim no meu armário?

  • ela vai combinar com outras peças que eu tenho?

 

Essas questões podem ser feitas antes de decidir uma compra, pois farão você olhar para os seus gostos pessoais e as peças já adquiridas. Com o tempo, você passará a fazer escolhas mais assertivas. 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »